Berzoini afirma que não “tem razão nenhuma” para CPI do setor aéreo

berzo.jpg

O presidente nacional do PT, deputado Ricardo Berzoini, descartou a criação de uma CPI para os problemas do setor aéreo. “Ela não é necessária”, afirmou. Para o presidente do PT, a CPI “não sai” por que ela “está caracterizada mais como instrumento de disputa política do que efetivamente como instrumento de investigação’’.

“Temos meios eficazes para detectar as razões desse acontecimento. Aliás, já está claro para o país que se trata de uma disputa corporativa e com característica, no caso militar, de insubordinação, o que não é aceitável numa democracia. Quanto ao caso específico das questões técnicas e operacionais, o governo já está tomando todas as providências para que eles (os controladores) sejam ouvidos, independentemente, por se tratar de um setor muito específico, não dá pra resolver no curtíssimo prazo, mas é preciso garantir que haja a disciplina por parte daqueles controladores militares que estão praticando um ato de insubordinação”, disse Berzoini em entrevista ao site “Conversa Afiada”, do jornalista Paulo Henrique Amorim.

Berzoini condenou o comportamento de certa mídia no episódio: “os fatos têm que ser divulgados, discutidos, debatidos com a máxima liberdade possível, mas nós sabemos que muitos meios de comunicação procuram apenas fazer um trabalho de oposição ao governo e não de dar espaço para as mais diversas opiniões envolvidas”.

Na entrevista semanal ao Portal do PT, o presidente do partido disse que “há uma insatisfação salarial e funcional dos controladores de vôo. Essa crise se agudizou na semana passada e o governo tomou a decisão de negociar. Aparentemente, a negociação produziu resultados positivos e não há nenhuma razão para nenhum tipo de comissão parlamentar de inquérito com a característica que a oposição queria”. Para ele, uma CPI só serviria “para criar mais turbulências no tráfego aéreo”.

O líder do governo na Câmara, deputado José Múcio (PTB-PE), destacou que uma CPI para esse caso não tem razão de ser. “O foco da CPI era encontrar o problema da crise aérea, que já foi detectado”, disse, ao afirmar que a insatisfação dos controladores foi a principal causa das crises nos aeroportos do país.

Para o vice-líder do governo, deputado Henrique Fontana (PT-RS), os fatos que ocorreram no final de semana, com o motim dos controladores, “reforçam a tese de que a CPI é para botar fogo no circo”. “A última coisa que podemos fazer é uma CPI, que causaria mais problemas do que ajudaria”.

Jornal Hora do Povo

Pesquisa mostra sociedade dividida sobre temas polêmicos

Pesquisa do DataFolha, publicada no domingo pela Folha, em quatro matérias diferentes – “Aumenta apoio à pena de morte entre os brasileiros”, “Eutanásia é reprovada por 57% da população, aponta pesquisa”, “Maioria defende que lei sobre aborto não seja ampliada” e “União homossexual é rejeitada por 49%; para 52%, casais gays não podem adotar” (só para assinantes), revela que há um relativo equilíbrio na avaliação de nosso povo sobre vários temas polêmicos e complexos na vida das sociedades modernas, como o aborto, a eutanásia, a pena de morte, a união civil de homossexuais e a adoção de crianças por casais homossexuais.

A pesquisa mostrou que 55% dos entrevistados são a favor da pena de morte, enquanto 40% são contra; 57% são contra a eutanásia; 49% são contra a legalização da união homossexual, enquanto 42% são favoráveis à medida; e 52% dos entrevistados são contra a adoção de crianças por casais de homossexuais. Outros 43% são favoráveis à possibilidade.

Considerando que o debate sobre esses temas ainda é pequeno no país, esses números até que não são muito desanimadores. Ou seja, há uma clara divisão da opinião pública sobre eles.

Ao contrário, mostram a necessidade urgente de se ampliar o debate e o estudo sobre esses temas e que todos, governo, mídia e entidades da sociedade civil organizada, devem fazer um esforço para dar ao nosso povo o maior número de informações e, assim, criar as condições para que o parlamento possa decidir sobre tais questões e, depois, submetê-las a referendo ou mesmo direto a um plebiscito. Como acabou de fazer Portugal sobre o aborto, que foi autorizado, depois de várias tentativas. Somente na quarta consulta, o povo português concordou em ampliar os casos de aborto legal, descriminalizando uma prática ilegal e nociva à saúde da mulher, que existe também no Brasil.

Sobre a pena de morte, nem mesmo as campanhas histéricas de setores de nossa sociedade, incluída uma parte da mídia, leva nosso povo a posições extremas. O país está dividido meio a meio sobre esse tema, o que não acontece no caso da descriminalização do aborto, onde quase 2/3 são contra.

enviada por Zé Dirceu

Publicado em Política. 2 Comments »

A CPI já começou– Não precisa do STF

images4.jpg
Toninho da Barcelona
. Antes de entrar para a Globo, Caetano Velloso disse que assistia ao jornal Nacional não para saber o que acontecia, mas para saber o que o Jornal Nacional queria que ele pensasse que acontecia.

. É uma das formas de se ler a mídia conservadora (e golpista) deste país.

. Não para saber o que acontece. Mas, para saber o que ela quer que se ache que acontece.

. A leitura da mídia conservadora (e golpista) na manhã deste domingo, dia 8, desnuda o que a oposição quer com a CPI do Apagão.

. A leitura de O Globo é particularmente reveladora: está tudo lá.

. A CPI já se instalou, à revelia do Supremo Tribunal Federal, que, agora, ao substituir o Legislativo, legisla e executa – além de julgar.

. E como existe uma simbiose estrutural entre a mídia conservadora (e golpista) e a oposição no Congresso, fica fácil: o que um diz é o que o outro publica; o que um publica é o que o outro quer fazer.

. A CPI do Apagão não é a CPI do Apagão, nem do caos aéreo.

. É a CPI do “Barata Avoa”, como já tentei demonstrar aqui (clique aqui).

. O negócio da mídia conservadora (e golpista) e da oposição é dar o golpe e derrubar o Presidente Lula.

. Primeiro, começa como CPI do Apagão.

. Em dois dias, chega à Infraero.

. Vai ao deputado petista Carlos Wilson, ex-presidente da Infraero.

. Como todas as CPIs anteriores, a CPI só apura o que a mídia conservadora (e golpista) quer que a oposição apure.

. Logo, não se fala sobre o que a gestão tucana fez na Infraero.

. De Carlos Wilson, chega-se, em dois dias, ao advogado Roberto Teixeira, compadre de Lula, devidamente triturado na entrevista da página 3 de O Globo, de hoje.

. De Roberto Teixeira, convoca-se Dona Marisa (citada na entrevista do Globo), para a semana seguinte.

. De Dona Marisa vai-se a Lulinha.

. De Lulinha a Delubio Soares.

. De Delubio a Paulo Okamoto.

. De Paulo Okamoto a Duda Mendonça.

. De Duda Mendonça a Roberto Jefferson.

. De Roberto Jefferson a Toninho da Barcelona.

. Nessa seqüência, pelos cálculos mais conservadores, o Governo Lula cai em quinze dias.

. E o Supremo declara a vacância do poder, enquanto o Presidente for ao toalete.

. A mídia conservadora (e golpista) e seus porta-vozes no Congresso não têm o menor interesse em saber por que o Ministro Celso de Mello não conseguiu voar de Brasília para São Paulo.

. A mídia conservadora (e golpista) e seus porta-vozes no Congresso querem é derrubar o Presidente Lula.

. A mídia conservadora (e golpista) e seus porta-vozes no Congresso já nomearam o Presidente e o Relator da CPI.

. O Supremo só precisa referendar o que está nos jornais de hoje (especialmente em O Globo, esse baluarte das instituições democráticas).

Paulo Henrique Amorim

Máximas e Mínimas 288