Lula orienta PT a não trepidar com arenga golpista contra Renan

p3-lula1.jpg

É “coisa de fascismo” a ação de parte da mídia, aponta Renan

Presidente do Senado reuniu-se com Lula e afirmou que não vai “permitir calúnias, maledicências”. “Isso não pode continuar”

Na quarta-feira, o presidente Lula, mobilizado pelos acontecimentos no Senado, onde alguns senadores da oposição – mais precisamente, a bancada do ex-PFL – resolveram despir-se da dignidade senatorial para rebaixar-se a cortesãos da mídia golpista, pedindo o afastamento do presidente da Casa, solicitou ao senador Renan Calheiros que fosse ao Planalto.

Horas depois de conversar com o presidente do Senado, Lula convocou a liderança do PT naquela instituição – a senadora Ideli Salvati e o senador Tião Viana. O presidente discutiu a questão, perfilando sua posição de que o PT não deve se intimidar diante da campanha contra Renan. Segundo uma fonte citada pelo jornalista Tales Farias, referindo-se aos problemas no Conselho de Ética, Lula teria comentado: “vocês foram loucos de colocar o Suplicy no Conselho!”. Não sabemos se ele disse exatamente isso. Mas, se disse, estamos mais uma vez pasmados com a clarividência do nosso presidente…

GUARDIÃO

Como guardião constitucional das instituições republicanas, Lula, provavelmente, percebeu que nada há de mais desmoralizante para uma câmara legislativa – e, no caso, trata-se daquela que alguns chamam de “Câmara Alta” – do que afastar seu presidente meramente porque há uma campanha orquestrada contra ele. Quando a verdade não importa mais, a própria instituição passa a ser inútil para a Nação, pois deixa de ser um órgão do país para transformar-se em instrumento subserviente de uma oligarquia, de uma plutocracia, ou de um bando – o que é mais ou menos a mesma coisa.

Não é esse o caso do Senado brasileiro. Ele tem dado, nos últimos dias, apesar de alguns percalços no seu Conselho de Ética, demonstrações de que não aceita esse papel. O apoio da maioria dos senadores ao seu presidente, contra uma cruzada das mais barulhentas, deverá ficar na História como um momento de brilho e independência.

Mas que haja dentro do Senado, ainda que seja uma pequena minoria, quem se proponha a compor o coro de uma infâmia, é algo bastante grave. Pois, até agora, embora pareça incrível a alguns, nada há contra o senador Calheiros. É risível que haja quem repita como se fosse verdade o que a mídia diz – e apresente como prova da verdade o fato de que é a mídia que o diz.

Não estamos nos referindo ao povo. Este, depois da campanha presidencial passada, está, na maior parte, se lixando para o que a mídia golpista fala e berra. Prefere formar sua opinião tomando como referência o presidente Lula, o que, sem dúvida, é mil vezes mais confiável. Há dias, tentaram crucificar o irmão mais velho de Lula. Mas quando este garantiu que se tratava de um bom sujeito, acabou o charivari – e o presidente, como mostrou o Ministério Público ao excluir Vavá do processo judicial em que queriam envolvê-lo, estava com a razão. O que foi mais um motivo para reforçar a confiança do povo em seu presidente.

Como disse, também na quarta-feira, o senador Calheiros, “estamos vivendo no Brasil uma coisa de fascismo, que acredita que quanto maior a mentira maior a capacidade das pessoas de acreditarem nela. Isso não pode continuar”.

Um desavisado perguntou a Renan sobre quem estava agindo de forma fascista. A resposta: “não é o Conselho de Ética, não é o Senado, não é a imprensa, é parte da imprensa”.

Realmente, é a parte golpista da mídia. Porém, é a própria atitude de Renan que está fazendo fracassar o golpismo. Na sua avaliação, “as injustiças vão parar porque essas coisas estão cansando e não há nenhuma prova contra mim. Fizemos a prova contrária. O que for necessário fazer eu faço para que a verdade prepondere, o meu limite é esse. Não vou permitir ser assassinado moralmente sem provas. Não vou permitir calúnias, maledicências, vou mostrar ao Brasil que não tenho nada a ver com isso”.

São tristes os tempos onde se acusa sem provas e o acusado é obrigado a mostrar provas de que é inocente. Mas isso está no fim. A vitória de Lula contra essa canalha golpista foi, provavelmente, o marco da virada nesse sentido. O caso do senador Renan Calheiros está se tornando a consolidação dessa virada. Naturalmente, já apareceram os juristas do “julgamento político”, que entendem essa expressão como igual à condenação sem provas. Porém, o próprio Renan expôs essa indigência, ao citar Ruy Barbosa, repelindo um julgamento em que se emite a sentença e depois vai-se arrolar supostas provas que a justifiquem.

Segundo informou Renan, em sua conversa de 40 minutos com Lula, expôs a situação, o fato de que os documentos já entregues mostrarem sua inocência, manifestando ao presidente da República que “a verdade prevalecerá”. Algumas fontes relataram que o presidente teria dito: “se querem transformar isso numa guerra entre governo e oposição, pior para eles”. Ao presidente do Senado, Lula frisou que entendia os ataques ao aliado como uma tentativa de desestabilizar o governo: “os radicais deles ficam sempre muito irritados quando saem pesquisas colocando a minha popularidade em alta”.

CONFUSÃO

Lula considerou que “o pessoal do nosso lado bobeou na escalação dos membros do Conselho de Ética”, o que é a mais pura verdade. Se dependesse da maioria esmagadora dos senadores, essa confusão já teria acabado. A acusação era, e é, absurda. Os acusadores nada provaram – tanto assim que passaram a levantar uma carrada de ilações e suspeitas que nada têm a ver com o que se está julgando, na tentativa de mascarar a falta de provas.

Não é possível a quem pretende alguma justiça para o mundo – ou, se não para o mundo, para si próprio, que seja, conviver com uma injustiça tão clamorosa. Mas é evidente que não é apenas Renan que querem atingir com essa campanha, mas o próprio governo Lula. Não há outra explicação para a reincidência diária num caso tão escasso de substância.

C.L.

Hora do Povo
Rizzolo: Concordo com o senador Calheiros, “estamos vivendo no Brasil uma coisa de fascismo, que acredita que quanto maior a mentira maior a capacidade das pessoas de acreditarem nela. Isso não pode continuar”. Essa mídia golpista não descansa enquanto não conseguir desqualificar o governo Lula, e aqueles que com ele fizeram a coalizão, é impressionante, nada comprovaram, tudo no campo das ilações desviadoras, sem provas , do falar por falar, apenas para desqualificar, uma vergonha, mas tanto no campo aéreo como no caso desses amotinados controladores, quanto no caso da mídia golpista sobre Renan, Lula foi rápido , e agiu bem, na velocidade do golpe.

Publicado em Política. 1 Comment »

Uma resposta to “Lula orienta PT a não trepidar com arenga golpista contra Renan”

  1. Carneiro Luiz Says:

    A permanencia do presidente do senado, Excelentissimmo Senhor, Renan Calheiros, irá denegrir se precedente a imagem do Senado federal,visto que o senado é a casa do povo onde os componentes desta casa tem por dever e o direito de cumprir suas atribuições Alferida pelo povo,de modo ético e transparente,quando o homem publico que ocupa uma cadeira no senado para representar o povo e trabalhar para o povo deixa de cumprir estes deveres de modo digno e honesto não pode continuar a exercer suas funções nesta dignissima casa. Posto issos sejamos prudentes e sabios,retirando-o tais homens do poder para não macular a imagem do Senado junto ao Povo Brasileiro que tanto esperam desta digna Instituição. Pr.Luiz Carneiro


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: