Lula critica “debate irresponsável” e diz que “verdade virá à tona”

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu hoje (23) “a compreensão do povo brasileiro para que não haja julgamento precipitado de quem quer que seja” na apuração das causas do acidente como avião da TAM. Segundo ele, “não existe hipótese alguma de a verdade não vir à tona”.

“Essa é a obrigação do governo, fazer uma investigação séria para que a gente não acuse e nem absolva ninguém antes de a gente ter uma apuração correta, que ela vai sair com base nas investigações que a Aeronáutica está fazendo e, sobretudo, com o resultado do que tiver na caixa-preta do avião que neste momento está nos Estados Unidos sendo aberta para que a gente possa apurar”, disse Lula, em seu programa de rádio Café com Presidente.

O presidente classificou como “prematuro” e “quase que irresponsável” o debate, neste momento, sobre as possíveis causas do acidente, seja do governo, seja da companhia aérea. “A melhor coisa que nós temos de ter é a prudência para investigar corretamente ao invés de ficarmos fazendo ilações, culpando alguém ou absolvendo alguém”, afirmou. “É preciso que a gente tenha apenas a prudência de investigar corretamente com uma seriedade que uma investigação desse porte merece.”

Lula, mais uma vez, se dirigiu aos familiares e amigos das vítimas do acidente. Segundo ele, as pessoas têm o direito de estar revoltadas. “Eu queria pedir para as famílias apenas isso: muita força, muita fé em Deus porque eu sei o que vocês estão passando e eu sei o sofrimento.”

Leia, abaixo, a íntegra do programa Café com Presidente:

Apresentador: Olá amigos em todo o Brasil. Eu sou Luiz Fara Monteiro e começa agora o programa de rádio do presidente Lula. Presidente, na última sexta-feira, o senhor convocou rede de rádio e televisão para falar sobre o acidente ocorrido com o avião da TAM na última semana em Congonhas. Presidente, sobre essas decisões anunciadas pelo governo na sexta-feira?

Presidente: Luiz, antes de começar a falar da tragédia que aconteceu no Aeroporto de Congonhas, eu queria, mais uma vez, me dirigir aos parentes, aos amigos, aos pais, às mães, aos filhos das vítimas. Seja dos que estavam dentro do avião, seja dos que estavam fora do avião. Não para pedir paciência e compreensão. Apenas para pedir força porque as pessoas têm o direito de estarem revoltadas, têm o direito de estarem querendo saber o que aconteceu. E essa é a obrigação do governo, fazer uma investigação séria para que a gente não acuse e nem absolva ninguém antes de a gente ter uma apuração correta, que ela vai sair com base nas investigações que a Aeronáutica está fazendo e sobretudo com o resultado do que tiver na caixa-preta do avião que neste momento está nos Estados Unidos sendo aberta para que a gente possa apurar. Eu queria pedir para as famílias apenas isso: força. Muita força, muita fé em Deus porque eu sei o que vocês estão passando e eu sei o sofrimento.

Apresentador: Como o senhor vê esse debate, presidente, de uma eventual responsabilidade, seja do governo, seja da compania aérea. É prematuro esse debate agora?

Presidente: Eu acho que todo julgamento prematuro é, eu diria, quase que irresponsável. Em um momento como esse, que tem uma tragédia, a melhor coisa que nós temos de ter é a prudência para investigar corretamente ao invés de ficarmos fazendo ilações, culpando alguém ou absolvendo alguém. Nesse momento, isso não é o mais importante, você dizer “fulano de tal não tem culpa ou o aeroporto não tem culpa, quem tem culpa é o governo, quem tem culpa é o avião, quem tem culpa é o piloto ou quem tem culpa é a chuva”. Tudo isso, na verdade, são ilações. É preciso que a gente tenha apenas a prudência de investigar corretamente com uma seriedade que uma investigação desse porte merece. Nós sabemos que têm desastres aéreos que não se tem possibilidade de ter provas porque não tem, sequer, a caixa-preta. Mas, nesse caso, nós temos a caixa-preta, ela já está sendo estudada e eu espero que a gente tenha a resposta. Eu só peço a compreensão, a compreensão do povo brasileiro para que não haja julgamento precipitado de quem quer que seja, que a gente espere, com prudência, a investigação para dizer o que aconteceu. Ou seja, não existe hipótese alguma da verdade não vir à tona. Se o problema foi da chuva, se o problema foi da pista, do avião, se o problema era do piloto. Tudo isso, eu peço a Deus que a gente tenha condições de obter o resultado na caixa-preta do avião para que a gente possa informar a opinião pública.

Apresentador: Você está ouvindo o Café com Presidente. Hoje falamos sobre a tragédia com o avião da TAM ocorrida semana passada em São Paulo. Presidente, com essas mudanças todas, como fica o Aeroporto do Congonhas?

Presidente: Nós vamos transformar o Aeroporto de Congonhas, que vai cuidar do transporte São Paulo e Rio, quem sabe de Congonhas a Belo Horizonte, quem sabe Brasília. Mas é preciso diminuir os vôos, que não tenha mais conexões, que não tenha mais troca de passageiros ali em Congonhas e que a gente tente utilizar Viracopos, tente utilizar o Aeroporto de Guarulhos. Também nós decidimos que em 90 dias o Conac vai apresentar para o governo uma proposta e um local da construção de um novo aeroporto em São Paulo. Agora, é importante lembrar: por mais seguro que seja o Aeroporto de Congonhas, ele foi cercado pela cidade. É só olhar de baixo ou de cima que a gente vai ver a quantidade de prédios e mais ainda, não faz muito tempo, tem prédios novos sendo inaugurados ali na linha que passa o avião perto do Jóquei Clube em São Paulo. Essas coisas, nós vamos fazer a parte que cabe ao governo federal, à Infraero, à Aeronáutica, ao Ministério da Defesa, vamos procurar um outro local, vamos tentar fazer um outro aeroporto para diminuir as possibilidades de uma nova tragédia.

Apresentador: Obrigado, presidente, e até semana que vem.

Presidente: Obrigado a você, Luiz. E mais uma vez eu quero dizer que precisamos dar a garantia de que estamos oferecendo o melhor ao povo brasileiro, à quem sobe no avião para viajar.

Apresentador: O Café com Presidente volta segunda-feira que vem. Acesse o nosso conteúdo em http://www.radiobras.gov.br. Um abraço para você e até lá.

Fonte: Agência Brasil
Site do PC do B

Rizzolo: Não há dúvida que a apuração com a causa virá, o que ocorre é claro, é a manipulação política da direita que ” baba” em de qualquer forma jogar a culpa de tudo no Lula, e desetabiliza-lo. Ora, isso é ridículo, ter ganho político e misturar questões aéreas num “panelão do golpe” é uma atitude covarde; a verdade é que como o próprio Lula disse e eu estou cansado de dizer, independentemente da causa, precisamos ter outro aeroporto. Como diz Lula: ” Agora, é importante lembrar: por mais seguro que seja o Aeroporto de Congonhas, ele foi cercado pela cidade. É só olhar de baixo ou de cima que a gente vai ver a quantidade de prédios e mais ainda, não faz muito tempo, tem prédios novos sendo inaugurados ali na linha que passa o avião perto do Jóquei Clube em São Paulo. Essas coisas, nós vamos fazer a parte que cabe ao governo federal, à Infraero, à Aeronáutica, ao Ministério da Defesa, vamos procurar um outro local, vamos tentar fazer um outro aeroporto para diminuir as possibilidades de uma nova tragédia ” É o óbvio , mas os aerocratas não querem, porque ali, nesse aeroporto, eles ganham dinheiro, e como na nossa sociedade do lucro e da especulação , o lucro é o que importa, vale mais como dizem eles, o aeroporto ” estar bem localizado “. Uma vergonha safada. Lula tem razão, em outras palavras ele disse que quer mesmo fechar esse monstro ! Danem-se os que não querem !

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: