Zyuganov: “Inglaterra faz barulho contra Rússia para ocultar mísseis dos EUA”

images.jpg

O Partido Comunista da Federação da Russa declarou através de seu dirigente Gennady Zyuganov, que a expulsão dos diplomatas russos da Inglaterra visa prejudicar as relações de seu país com o restante da Europa.

O dirigente do PC russo afirmou que a atitude inglesa é uma concessão aos EUA: “fazer barulho para ocultar as tentativas norte-americanas de instalar mísseis no Leste Europeu”. Gennady Zyuganov acrescentou ainda que “a Inglaterra foi quem iniciou a crise. A Rússia não fez nada de errado”.

“Na verdade, ambos – EUA e Inglaterra – não gostam que a Alemanha, França, Itália, Espanha e a Europa em geral estejam prontas para avançar nas suas relações com a Rússia”, disse Zyuganov.

A União Européia declarou ser importante a imediata cooperação com a Rússia na questão e que espera uma “decisão satisfatória” para o problema.

BEREZOVSKY

A declaração foi feita enquanto Zyuganov comentava a expulsão dos diplomatas com base na recusa russa em extraditar, como queria a Inglaterra, o cidadão russo Andrei Lugovoi, acusado pelos ingleses de assassinar em Londres o ex-espião Alexander Litvinenko. Lugovoi nega seu envolvimento e acusa o mafioso Berezovsky – para o qual já trabalhou como guarda-costas – e a espionagem inglesa como responsáveis pelo assassinato de Litvinenko.

Em coletiva em Moscou, há algumas semanas, Lugovoi disse suspeitar de que a inteligência da Inglaterra, a máfia e o magnata russo Berezovsky, possam estar envolvidos com a morte de Litvinenko. “O papel principal foi desempenhado pelo serviço secreto britânico e por seu agente, Berezovsky”, disse à época Lugovoi, em coletiva exibida pela TV.

“Nossa Constituição não permite esse tipo de extradição, eles sabem perfeitamente bem disso, mas eles estão tentando entrar em uma porta fechada”, denunciou Zyuganov. “Os ingleses são especialistas nesse tipo de provocação. O serviço de inteligência deles faz isso muito bem”, acrescentou o líder do PC russo.

A Rússia determinou na quinta-feira, 19, a expulsão quatro diplomatas ingleses de Moscou, em resposta à decisão inglesa.

Hora do Povo

Rizzolo: Esse papel ridículo da Ingaterra denota ” culpa no Cartório ” não há dúvida que é uma provocação da Inglaterra inclusive para causar um mal estar na Comunidade Européia, não deixando que os demais países avançem na diplomacia com a Russia; tudo isso é claro , orquestrado em sintonia com os EUA, que achavam a Russia é um país de idiotas, e que iriam ” abaixar a cabeça” para suas intentonas belicistas.

Mídia eleva tom contra Lula e ministro militar sugere golpe

O tom das críticas ao governo Lula, em função da crise no setor aéreo, vem subindo crescentemente na mídia. Os principais jornalões do país atacam frontalmente o presidente da República e sua equipe de governo usando termos como “imcompetência”, “inexperiente”, “corriola”… O tom das palavras sobe também em alguns setores da sociedade. Além da desqualificação do governo federal, com o uso de adjetivos cada vez mais pesados, começam a aparecer também discursos de caráter golpista.

por Marco Aurélio Weissheimer

O tom das críticas ao governo Lula, em função da crise no setor aéreo, vem subindo crescentemente na mídia. O editorial do jornal O Estado de S. Paulo, nesta terça-feira (24), fala em “governo desacreditado” e “colapso do lulismo em matéria de permitir, em última análise, que o país funcione”. O Estadão refere-se ao Presidente da República como “o inexperiente Lula, o qual na irrefutável constatação de Orestes Quércia, em 1994, nunca dirigiu nem um carrinho de pipoca, antes de ambicionar o Planalto”. Na mesma direção, o colunista Clóvis Rossi, pergunta hoje, na Folha de S. Paulo: “se o país é incapaz de segurar um avião na pista, vai segurar o quê?”.

O jornal O Globo, também em editorial, diz que “a crise é mais profunda do que se quer fazer crer”. Também no Globo, Dora Kramer diz que “à corriola governamental tudo é permitido: agredir o público com grosseria, com leviandade, com futilidades, com fugas patéticas ao cumprimento dos deveres, com indiferença, vale qualquer coisa se a anarquia tem origem nas hostes governistas”. “Corriola”, em seu uso informal, significa “grupo de pessoas que agem desonestamente ou de forma inescrupulosa; quadrilha”.

Ministro do STM sugere golpe

O tom das palavras sobe também em alguns setores da sociedade. Além da desqualificação do governo federal, com o uso de adjetivos cada vez mais pesados, começam a aparecer também discursos de caráter golpista. Um exemplo:

“O que podemos dizer a esses ilustres jovens militares. Não desistam. Os certos não devem mudar e sim os errados. Podem ter certeza de que milhares de pessoas estão do lado de vocês. Um dia, não se sabe quando, mas com certeza esse dia já esteve mais longe, as pessoas de bem desse País vão se pronunciar, vão se apresentar, como já fizeram em um passado não muito longe, e aí sim, as coisas vão mudar, o sol da democracia e da Justiça brasileira vai voltar a brilhar”.

A declaração foi feita pelo ministro do Superior Tribunal Militar, Olympio Pereira da Silva Junior, durante a entrega de espadins a alunos que ingressaram nas academias militares do Exercito, Marinha e Aeronáutica, em julho deste ano. Ao saudar os novos alunos, Olympio Junior critica a situação política do país, faz uma apologia da honra, da moral e do patriotismo, lamentando que os jovens cadetes não poderão manusear os instrumentos militar que conhecerão no treinamento. Ele diz:

“Aqueles jovens, ainda puros, não sabem que vão estudar (e como vão estudar, durante toda a carreira) tudo sobre a arte da guerra e do combate e vão conhecer e aprender tudo sobre equipamentos e instrumentos militares, os mais modernos do mundo, mas que na realidade nunca irão manusear porque, no nosso País, não se acredita ser necessário a compra de armamento/equipamento militar para ficarmos em igualdade bélica a outras nações”. E critica a condição dos militares em relação aos demais funcionários públicos:

“Preparam-se, por toda a carreira, para dedicarem-se e ser fiel à Pátria, cuja honra, integridade e instituições deverão ser defendidas mesmo com o sacrifício da própria vida e têm, mesmo assim, seus vencimentos tão diferenciados de outros funcionários públicos que nunca deram nem vão dar nada ao País, pois dele só querem benesses, vantagens e lucros e o que é pior, porque ninguém faz nada a respeito e calam-se diante dessa imoralidade”.

O texto do ministro foi publicado em sites nacionalistas de direita como “A verdade sufocada” e “Terrorismo nunca mais”. Bacharel em Direito, Olympio Junior ingressou na carreira do Ministério Público Militar em 1976, tendo sido designado pelo então presidente, general Ernesto Geisel, para assumir a Procuradoria junto à Auditoria da Justiça Militar, em Juiz de Fora (MG). Desde 18 de novembro de 1994, é ministro do STM.

Qual é mesmo o papel da Justiça Militar no Brasil? Segundo o site do STM, é julgar “apenas e tão somente os crimes militares definidos em lei”. O texto de apresentação do órgão faz um elogio da “independência, altivez e serenidade do órgão”: “no período de regime militar de 1964 a 1984, levou juristas famosos na luta em defesa dos direitos humanos, como Heleno Fragoso, Sobral Pinto e Evaristo de Morais, a tecerem candentes elogios à independência, altivez e serenidade com que atuou o Superior Tribunal Militar na interpretação da Lei de Segurança Nacional e na aplicação dos vários Atos Institucionais”.

Há um caldo de cultura perigoso formando-se no ambiente político brasileiro.

Fonte: Agência Carta Maior
Site do PC do B

Rizzolo: Será que alguns setores da direita entreguista acham que os militares não tem hoje em dia intelectualidade ideológica em realmente saber o que é ser patriota ? Será ? Será que a direita acha que pode usar os miliares como massa de manobra a favor dos interesses internacionais com um discurso nacionalista vazio ? Será? Acho que eles estão mal informados, hoje não há ninguem mais nacionalista e preocupado com o real desenvolvimento das forças armadas com o povo brasileiro e a proteção do país do que a esquerda. Sinto muito, viu .

Advogado especializado em defender pessoas raptadas por extraterrestres

strahovka1.jpg

Um advogado alemão decidiu defender apenas casos de pessoas que afirmam terem sido raptadas por extraterrestres e que garantem ter ficado afectadas física e mentalmente nas mãos das estranhas criaturas, noticia o site Ananova.

Jens Lorek, especialista em lei industrial, decidiu em 2006 que ia passar a defender aqueles que sofreram depois de terem sido vítimas de encontros de terceiro grau.
Só mais recentemente é que o advogado teve o seu primeiro grande caso. O primeiro cliente, um chefe de cozinha de um hotel, diz que há dois anos foi sequestrado por ET, quando uma nave espacial em forma de cruz o sugou e levou para o espaço. «Desde então nunca mais fui o mesmo», afirmou Paul Hoffmann.

Tomou banho nu em fonte municipal «a mando de ET»

O homem de 23 anos diz, no entanto, não conseguir lembrar-se da aparência física dos extraterrestres mas apenas que foi «manipulado» e transportado de volta para a terra como «aprendiz» e intermediário das criaturas.
«Era suposto abençoar a cidade onde moro para a chegada de mais extraterrestres», argumentou. Desde então, o chefe de cozinha fechou a conta bancária, ocupou uma propriedade vazia na cidade alemã de Dresden e tomou banho nu numa fonte municipal «por ordem dos ET», defendeu.

Quando a polícia o apanhou na rua a andar de bicicleta, sem qualquer tipo de roupa, foi enviado para uma unidade psiquiátrica de um hospital local. Agora, o advogado Jens Lorek acha que as autoridades não agiram correctamente e pede a libertação do cliente.

«Estado é responsável por raptos»

Entretanto, Lorek levantou um processo contra a cidade, que culpa pelo comportamento estranho do jovem cozinheiro. O advogado acrescentou ainda que não existem quaisquer leis que indiquem que alguém deva ser colocado num hospital psiquiátrico porque foi vítima de seres extraterrestres.

«Se não consegue proteger as pessoas de raptos de ET, o Estado é socialmente responsável», explicou.

No exercer das suas funções Larek mostra-se solidário com as vítimas de raptos extraterrestres. O advogado afirma mesmo conhecer o modo de actuação das criaturas: «Espetam agulhas nos genitais da vítimas e interferem com o funcionamento dos seus órgãos», referiu.

O especialista lembra que, desde 1961, já ocorreram milhares de raptos perpetrados por extraterrestres.

Pravda.Ru

Rizzolo:Está aí um novo mercado para a advocacia, isso pode até esclarecer posições hesitantes de membros do governo, que provavelmente podem ter sido abduzidas, ou no caso do PSDB a abdução foi ideológica o que é muito pior vez que essa é realizada por um tipo de ET ” reaça “. A Comissão de Ética da OAB deve estar em alerta com esse provável novo segmento do mercado. ( risos……) . Agora a mídia golpista em vez de culpar por tudo o Lula , pode culpar os abduzidos.

Nelson Jobim deve assumir Ministério da Defesa

nelson.jpg

O ex-presidente do Supremo Tribunal Federal Nelson Jobim (PMDB-RS) deverá ser o novo ministro da Defesa, em substituição a Waldir Pires. Jobim já havia sido convidado duas vezes pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva — em março deste ano e na semana passada —, mas recusou. Na noite desta terça-feira (24), teria aceitado a indicação para a vaga, de acordo com reportagem publicada pelo jornal Folha de S.Paulo. O anúncio da troca deverá ser feito nesta quarta.

Jobim pode substituir Waldir Pires Segundo a Folha, Lula disse a Jobim que o futuro ministro terá autonomia para fazer todas as mudanças que julgar necessárias na aviação brasileira, inclusive mudando a Infraero e a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). O presidente procurava um ministro capaz de comandar e acompanhar de perto o pacote de medidas do governo para o setor, lançado na última sexta. As medidas vinham sendo conduzidas por Dilma Roussef, da Casa Civil.

Além de Jobim, foram cogitados para o cargo os ministros Paulo Bernardo (Planejamento) e Jorge Hage (Controladoria Geral da União), além do deputado federal e ex-ministro Aldo Rebelo (PCdoB-SP). A troca de Pires não deverá ser a única — o presidente da Infraero, brigadeiro José Carlos Pereira, também poderá ser demitido. Conforme a Folha, um dos políticos citados para o cargo é o experiente Fernando Bezerra, do PTB, ex-senador e ex-ministro do governo Fernando Henrique Cardoso.

Além das mudanças nos principais cargos ligados ao setor, o governo estuda alterações no Conselho de Aviação Civil (Conac), que estava esvaziado até o acidente da última semana. Agora, o governo ensaia ampliar o conselho (hoje formado por seis ministérios e pelo comandante da Aeronáutica) e tirar do ministro da Defesa o status de presidente do órgão. Os ministérios da Justiça e Planejamento devem ser incluídos no conselho e podem até ocupar sua presidência.
Site do PC do B

Rizzolo: Certa ocasião aqui no Blog eu disse que as forças golpistas iriam tentar sem trégua minar e desetabilizar o governo Lula, que para a elite é o nordestino que teve a ” petulância ” de se transformar em Presidente da República, disse também logo no inicio do ” Apagão Aéreo” que na realidade não era um problema aéreo e sim político, Waldir Pires é um homem honesto e competente mas está sendo ” detonado” pela mídia golpista e pela elite que o vêem como ” homem de esquerda ” até já ouvi de uma ex- deputada do PSDB que esteve na minha casa que Waldir era um ” comunistazinho “. Na realidade Lula não se defende da direita, e da mídia, quer agradar a todos e se enfraquece, na visão de ” composição sindical” a saída e chamar pra comandar essa crise ” um amigo dozomme ” ou ( um amigo dos homens da elite ) como se diz na linguagem popular , e encontrou, né, como diz Paulo Henrique Amorim;o Ministro da Defesa Nélson Jobim tem as melhores e mais íntimas relações com os filhos de Roberto Marinho. As Organizações (?) Globo estão na frente do golpe. O Ministro da Defesa Nelson Jobim teve, no passado, sólidos vínculos de amizade com o presidente eleito José Serra. José Serra em várias oportunidades se colocou à frente das tropas golpistas. (Embora não abra o bico para falar da cratera do Metrô, onde morreram sete pessoas.) A Globo de São Paulo e Serra são a mesma coisa, enfim acredito que esse loteamento à direita venha agradar aos donos de Companhias Aéreas, a mídia golpista, a elite branca reacionária, e venha apaziguar o governo Lula por que esse é ” Amigo dozome “.

PMDB aprova aproximação com PCdoB em SP

As executivas estaduais do PMDB e PCdoB se encontraram na última semana em São Paulo para definir ações conjuntas de aproximação política das duas legendas. Os peemedebistas aprovaram em sua direção estadual a orientação de realizar contatos com os comunistas em todas as regiões do estado.

O vice-presidente estadual do PMDB, Marcelo Barbieri, em entrevista ao Vermelho-SP, apresenta uma análise da situação política de São Paulo:

Vermelho-SP: Como você avalia o encontro das executivas estaduais do PMDB e do PCdoB?

Marcelo Barbieri: A reunião ocorreu em um clima de amizade, nós estamos buscando esta aproximação com o PCdoB já há alguns anos. Na eleição passada procuramos o PCdoB para compormos uma aliança para o governo estadual, mas já estava muito em cima e as articulações não deram certo. Estamos buscando refazer as relações que tínhamos nos anos 80 entre os dois partidos. A reunião das Executivas do PMDB e do PCdoB teve como intenção formular uma proposta de trabalho comum. Nós, do PMDB, aprovamos na direção estadual, uma orientação de termos uma relação de diálogo privilegiado com o PCdoB em todas as regiões do estado e verificarmos a oportunidade de trabalho conjunto.

Vermelho-SP: Qual o contexto político desta aproximação?

Barbieri: O PMDB e o PCdoB apóiam o governo do presidente Lula porque consideramos que este governo tem elementos importantes para promover o desenvolvimento do país. Mas, assim como o PCdoB, o PMDB também considera que é necessário avançar nas ações do governo federal, que é possível e necessário o Brasil crescer mais do que está colocado como meta pelo governo e o Estado tem um papel fundamental para projetar este crescimento. Consideramos que o PMDB e o PCdoB são partidos importantes para travar a luta política sobre quais rumos esse governo deve tomar. E somos críticos às ações equivocadas do governo quando não consegue dar as respostas necessárias para o crescimento econômico do país.

Vermelho-SP: Em quais condições pode ocorrer uma ação conjunta entre o PMDB e o PCdoB?

Barbieri: O PMDB e o PCdoB têm trabalhos comuns nos diversos segmentos organizados da sociedade. No movimento sindical, de juventude e estudantil, nas associações de moradores, no movimento de mulheres. Já atuamos juntos em diversos movimentos populares e devemos intensificar essa aproximação. Outro trabalho fundamental são as eleições de 2008; temos a vontade política de traçarmos, junto com o PCdoB, os principais locais no estado onde pode haver alianças políticas. É claro que temos que respeitar a realidade de cada cidade e cada região, mas o movimento das direções estaduais visam aproximar os entendimentos e possíveis alianças locais.

Vermelho-SP: O PMDB se prepara para o processo de disputa em 2008?

Barbieri: A política de lançar candidaturas próprias nos locais do estado depende das articulações de alianças com as forças políticas. Por exemplo, em Campinas o PCdoB e o PMDB apóiam a administração do Doutor Hélio (PDT); a depender das articulações locais podemos caminhar juntos com essa candidatura. Temos condições de realizar conversas amplas em São Paulo, Osasco, Carapicuíba, no ABC, onde se concentram cidades importantes, Santos, Araraquara, onde procuro viabilizar minha candidatura a prefeito, Americana, enfim, queremos dialogar amplamente. Marcamos uma nova conversa entre as executivas estaduais para agosto e passar em revista as 40 principais cidades do estado, verificar a situação do PCdoB e do PMDB, as dificuldades e facilidades de aproximação, como gesto inaugural desta nova relação política.

Vermelho-SP: Na política estadual, como você avalia o governo Serra?

Barbieri: O governo Serra está começando agora, tem menos de um ano de mandato, é preciso verificar como será o seu comportamento com mais tempo. Contudo já é possível destacarmos alguns elementos críticos importantes. Por exemplo, o governo Serra errou na crise das universidades; a tentativa de tirar a autonomia da USP, Unesp e Unicamp criou uma situação de dificuldade para o governo. Nós do PMDB fomos contra as medidas do governo, a autonomia é uma conquista das universidades públicas durante o governo Quércia, que garantiu não apenas a tese da autonomia, mas a sua implantação financeira com dotação orçamentária própria e tudo mais.

Outra marca importante do governo Serra é sua característica centralizadora, enfraquecendo as regiões do interior paulista, fechando escritórios e delegacias de representações em várias pastas importantes, em um movimento contrário ao de administrações inovadoras do mundo inteiro que optam justamente pela descentralização administrativa. É importante destacar que o governo Serra também não deu resposta e não demonstrou ainda a capacidade de realizar mudanças em setores fundamentais, como saúde e educação, onde temos uma opinião crítica com relação ao governo.

Rodrigo de Carvalho, pelo Vermelho-SP

Rizzolo: Nada mais saudável ao PMDB do que esta aproximação, em São Paulo a política neodesenvolvimentista do PMDB pode dar alcançe aos entendimentos na aproximação com os comunistas do PCdo B, inclusive com os comunistas dentro do PMDB paulista. Uma guinada mais à esquerda para o PMDB paulista será alavancar os interesses da população carente e pobre que sempre acreditou no maior partido do país; a característica de partido de esquerda se dá mais em alguns governos como o de Requião no Paraná onde o desenvolvimento social está em primeiro plano.

Governo anuncia liberação de mais 6 bilhões para o PAC

Recursos foram desbloqueados durante a avaliação das receitas do terceiro bimestre. Previsão de crescimento do PIB aumenta pra 4,7% e se aproxima da meta do presidente

O Ministério do Planejamento informou que o governo irá liberar R$ 6,8 bilhões do Orçamento, dos quais R$ 6 bilhões serão investidos em obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Os recursos serão destinados principalmente aos ministérios dos Transportes (R$ 2,1 bi), das Cidades (R$ 1,6 bi), da Integração Nacional (R$ 1,1 bi) e da Saúde (R$ 824,7 milhões).

O descontingenciamento dos recursos foi anunciado na segunda-feira e consta no relatório de avaliação de receitas e despesas relativas ao terceiro bimestre de 2007, encaminhado ao Congresso Nacional, ao Judiciário e ao Ministério Público da União. Este foi o primeiro desbloqueio anunciado no ano, após o contingenciamento de R$ 16,4 bilhões feito em fevereiro.

Com a liberação, foram abertos créditos extraordinários destinados ao PAC, que deverão intensificar as obras do programa que já estão em andamento – 912 até maio, de acordo com o Comitê Gestor do programa – e às obras de Infra-estrutura Social e Urbana, anunciadas recentemente. As obras irão beneficiar milhares de habitantes que por muito tempo permaneceram reféns do tráfico e do descaso, através do investimento na urbanização e saneamento de favelas do Rio de Janeiro (R$ 3,237 bilhões), São Paulo (R$ 4,926 bilhões) e Minas Gerais (R$ 3 bilhões).

Em cada uma das áreas que irá receber o recurso, o objetivo é o mesmo, como afirmou a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Roussef: “melhorar a vida da população”. Além do investimento nas principais favelas do país, trata-se também, no caso do Ministério dos Transportes, de investimentos em rodovias, ferrovias, portos, aeroportos e hidrovias. Na área da saúde, a meta, segundo o ministro José Gomes Temporão, será um “setor onde se criará inclusive postos de trabalho e que contribua para o desenvolvimento econômico do país”. De acordo com o ministério, um dos principais pontos no setor será a estratégia de pesquisa, desenvolvimento e produção no setor da saúde, incluindo equipamentos e insumos, mas principalmente remédios.

DESBLOQUEIO

A liberação dos R$ 6,8 bilhões que estavam contingenciados para investimento em sua quase totalidade no PAC, mostra claramente a retomada do Estado como indutor do desenvolvimento do país. Esse rumo já vinha sendo apontado no primeiro semestre quando os investimentos públicos federais totalizaram R$ 17,609 bilhões, um aumento em 33,2% em relação ao mesmo período do ano passado. Isso se refletiu na geração de postos de trabalho, que nos seis primeiros meses deste ano chegou a 1.095.503 de novos empregos com carteira assinada.

De acordo com o relatório, foi revista a estimativa para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2007: 4,7%, contra os 4,5% projetados anteriormente.

JÚLIA CRUZ

Hora do Povo

Rizzolo: A liberação de 6 bilhões para o PAC vem de encontro às necessidades urgentes do país. As verbas para o ministérios dos Transportes (R$ 2,1 bi), das Cidades (R$ 1,6 bi), da Integração Nacional (R$ 1,1 bi) e da Saúde (R$ 824,7 milhões), vai fazer como diz ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Roussef “melhorar a vida da população”, até porque garnde parte do investimento será nas principais favelas do país, onde a população sempre sentiu a ausência do Estado ficando refem do tráfico e dos exploradores.

Finalmente o Estado retoma como ator social capaz de promover o desenvolvimento esquecido com as políticas perversas neoliberais implantadas no governo FHC que açambarcou o patrimônio público coma s privatizações entregando-as ao capital internacional sedento de lucro.
Na realidade o povo brasileiro sempre foi esquecido, relegado a segundo plano onde a primazia estava no desenvolvimento financeiro , na agiotagem, na especulação, e aos pobres só restava o desalento. Com o PAC a coluna vertebral do desenvolvimento é o Estado, que direcionará os investimentos privados por segmento, assim como na época do regime militar, regime esse que muito embora fora financiado pelo governo americano, e tinha características perversas e antidemocráticas, tinha sim algo de patriotismo pelo menos na política econômica, e na proteção à indústria nacional durante algum período. É a única coisa boa que se pode lembrar desse regime que manchou a história do Brasil. Uma vergonha. Mas havia mais patriotismo , viu ! Até a esquerda era mais patriótica. Digo isso de carteirinha !

“Datafolha” diz que Kassab dobrou sua avaliação em apenas 4 meses

Poucos semanas após começar a publicar textos sobre denúncias de corrupção no governo de Geraldo Alckmin, em especial na CDHU e na Nossa Caixa, a “Folha de S. Paulo”, através de seu instituto “Datafolha”, deu um jeito de dobrar a popularidade do prefeito Gilberto Kassab (DEM, ex-PFL).

Sem nenhum fenômeno capaz de explicar tamanha e repentina simpatia, o “Datafolha” diz que o prefeito de São Paulo é considerado ótimo ou bom por 30% dos paulistanos e regular para 30%. Cerca de 35% o consideram ruim ou péssimo. Quatro meses antes, Kassab tinha a aprovação de apenas 15% da população e era, segundo o próprio jornal publicou, um candidato inviável na avaliação de seus “especialistas”. Outra “pesquisa” do Datafolha, desta vez em 2006, mostrava que apenas 23% dos paulistanos sabiam quem ele era.

No início deste ano, matérias carregavam nas tintas relatando o ataque histérico do prefeito contra um pequeno comerciante que protestava contra um de seus atos. Hoje, o fenômeno tem alta aprovação, sendo que “os mais altos índices estão entre eleitores acima de 60 anos (46%), com ensino superior (34%) e renda acima de dez salários mínimos (32%)”.

Hora do Povo

Rizzolo: Pura balela, a Datafolha já está maquiando Kassab, é a imprensa golpista querendo fazer a cabeça do povo, todos sabemos como vai mal a prefeitura principalmente em termos de ensino, abaixo transcrevo uma matéria do PC do B sobre Kassab só para vc conhecer o que tem feito esse fenômeno criado agora pela mídia:

ENSINO PEDE SOCORRO !

“Vai de mal a pior a educação na capital paulista: faltam uniformes escolares para novecentas mil crianças, existem problemas na distribuição de leite, na segurança, as escolas de lata ainda persistem, diferente do prometido, e há déficit de vagas nas creches.

A secretaria municipal de educação admitiu ao Jornal da Tarde a triste situação a qual estão submetidos os alunos do município.

A reportagem do JT, que também ecoou no Estadão, mostra que nem de longe o prefeito Gilberto Kassab está cumprindo os compromissos assumidos de privilegiar a educação. Para justificar o atraso na entrega dos uniformes, o secretário Alexandre Schneider culpou os recursos, que considera “abusivos”, movidos pelo Tribunal de Contas do Município e por empresas que se julgam prejudicadas no processo de licitação.

A secretaria municipal também culpa os fornecedores pelo calote na cota mensal de leite distribuído. são mais de um milhão de crianças prejudicadas, sendo duzentas mil apenas na zona norte. Aprender sob calor digno de sauna no Verão e frio intenso no Inverno ainda é realidade para mil e quinhentas crianças que estudam nas “escolas de latinha”, que perduram graças ao não cumprimento de outro compromisso assumido pelo governo municipal.

Outro problema está no desempenho do ensino. Estimativa da própria secretaria aponta que, em 2005, cerca de um terço dos estudantes na 3ª série ainda não estavam alfabetizados, ainda que o secretário aponte que este número recuou para 15 por cento.

Outros problemas crônicos ainda são identificados, como a falta de segurança nas escolas, devido à incapacidade de a Guarda Civil Metropolitana resguardar toda a rede. A resposta do governo não é aumentar o efetivo da GCM e seus recursos materiais, mas contratar vigilância privada, terceirizando a obrigação de zelar pelos próprios municipais. Muitos alunos ainda estão sujeitos a estudar em escolas depedradas ou em péssima situação de conservação. E há o déficit de vagas em creches , estimado em noventa mil.

O prefeito tenta passar responsabilidades às gestões anteriores, alegando que a situação da educação era pior. Os fatos presentes na reportagem falam por si e a educação pública municipal precisa de socorro.”

Site do PC do B

Que beleza hein ! Como se diz em Direito ” Contra fatos, não há argumentos ! ”