Crise aérea não afeta aprovação de Lula, aponta Datafolha

Pesquisa do Datafolha publicada na Folha deste domingo, aponta que o acidente com o Airbus da TAM –que matou 199 pessoas no dia 17 de julho– e a crise aérea pela qual passa o país há mais de dez meses não afetaram a popularidade do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Segundo o levantamento feito nos dias 1º e 2 de agosto, 48% dos brasileiros consideram que o governo Lula continua ótimo ou bom, exatamente o mesmo índice registrado em março.

Os detalhes da pesquisa, como a variação por faixa de renda e escolaridade, além de outros perfis abordados, podem ser conferidos na edição deste domingo da Folha.

Crise aérea

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, confirmou neste sábado a demissão do presidente da Infraero (estatal que controla os aeroportos), brigadeiro José Carlos Pereira. O cargo será ocupado pelo atual presidente da AEB (Agência Espacial Brasileira), Sérgio Gaudenzi.

Em entrevista à Folha Online, Carlos Pereira afirmou que teve momentos “horríveis” durante sua passagem pela estatal, principalmente durante os acidentes da Gol, no ano passado, e da TAM. Ele disse, porém, que encara muito bem sua saída e que, com a crise aérea, “alguém deveria ser demitido”.

“O ministro [da Defesa, Nelson Jobim] não queria me demitir. Mas disse a ele, ‘tudo bem, alguém tem que ser demitido, a sociedade quer uma demissão’. Quem mais seria? a Aeronáutica? A Anac?”, afirmou o brigadeiro.

A Infraero é a estatal que cuida da infra-estrutura de 67 aeroportos, 84 unidades de apoio e 33 terminais de carga. Em 2006, arrecadou R$ 2 bilhões em taxas e concessão de espaços comerciais. Desde 2003, tem mais de 80 processos no Tribunal de Contas da União.

Vôo 3054

Também neste sábado foi confirmado que a TAM vai demolir neste domingo o prédio da TAM Express atingido pelo Airbus da companhia no último dia 17 de julho. NO momento do acidente, funcionários da empresa trabalhavam no local.

Com relação às vítimas, o IML (Instituto Médico Legal) informou ter identificado neste sábado mais 12 pessoas. Com isso, subiu para 151 o número de nomes do acidente aéreo confirmados.
Fonte Folha online

Rizzolo: Para tristeza dos golpistas que alem de ter sido frustrante o ” Fora Lula ” com apenas 800 pessoas em São Paulo , agora lels tem que amargar a pesquisa em que a ” crise aérea ” fabricada não afetou a aprovação de Lula. Olha, a elite não é do ramo em termos de passeatas e mobilizações, ficam cansados, querem ir pra casa logo, ir pro Shopping Iguatemi, não adianta; agora o povo mesmo, o pobre o que sofre, esse sabe o que é ficar cansado de verdade após um dia de trabalho, de ser explorado pelo patrão, de viver nas favelas, no desalento, esse tem motivos de sobra, agora essa gente, essa elite, isso é uma piada , né, o dia em que a massa trabalhadora sofrida ficar zangada pra valer, aí à elite só vai restar uma saída, Cumbica.

O jornalista Fernando Damasceno no site do PC do B escreveu um artigo umuito interessante transcrevo na integra:

” O percentual é idêntico ao registrado em março e praticamente igual ao que Lula tinha no início de outubro de 2006 (49%). Os números mostram que, ao contrário do que insiste a mídia hegemônica e parte da elite brasileira, a população tem discernimento suficiente para não atribuir tragédias dessa natureza a eventuais problemas do governo.

Entre o mês de março e agora, a taxa de ruim/péssimo do governo apenas oscilou, de 14% para 15%. Em outubro passado era maior: 17%.

A reportagem da Folha de S.Paulo deste domingo (5) mostra o inconformismo do jornal diante dos números. Entre as explicações para a não-alteração da popularidade do presidente estão o fato de que a grande maioria dos brasileiros é pobre e a constatação de que apenas uma minoria viaja de avião (8%).

Além disso, a Folha entende que a boa situação do país a situação econômica do país e a cada vez maior eficiência do programa Bolsa Família “também ajudam a entender a manutenção da alta popularidade de Lula”. Apenas isso e nada mais que isso.

Avaliação inadequada

Entre os mais ricos, com renda familiar mensal acima de dez mínimos (R$ 3.500), a avaliação do presidente Lula despencou sete pontos entre março e agora. Mas entre os que ganham até cinco mínimos (R$ 1.750), ela oscilou positivamente dois pontos –dentro da margem de erro do levantamento.

É nesse nicho que o jornal dos Frias se agarra. O trecho abaixo é emblemático: “A variação mais significativa na avaliação de Lula ocorreu entre os brasileiros com renda familiar mensal acima dos dez salários mínimos (R$ 3.500), segmento no qual 39% costumam viajar de avião, taxa cinco vezes maior do que a verificada entre o total dos entrevistados. Comportamento semelhante ocorreu entre os pesquisados quando se leva em conta o grau de escolaridade”.

Para os Frias, somente essa parte da população (cerca de 7% dos brasileiros) é capaz de fazer uma avaliação adequada do governo. No total, o Datafolha ouviu 2.095 pessoas em 211 municípios em todas as regiões do país. Talvez o jornal devesse enviar para essas regiões mais do que pesquisadores, mas também alguns repórteres para descobrir que há um Brasil diferente daquele a que pertence a “população esclarecida” do país.”

Da redação site do Pc do B
Fernando Damasceno

Acho melhor a elite em coro cantar ” Deixa o homem trabalhar !” (risos..)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: