Filme lembra cantor dos EUA que virou o ”Elvis comunista”

deanreed.jpg

Um longa-metragem alemão que chega nesta semana aos cinemas tira do esquecimento Dean Reed – cantor americano que fez sucesso durante a guerra fria com músicas de exaltação ao marxismo. Der Rote Elvis (”O Elvis Vermelho”, na tradução literal) mostra a trajetória inusitada do músico, que nasceu nos Estados Unidos e se tornou um ídolo nos países socialistas.

Depois de uma carreira medíocre em seu país, Reed acabou se tornando marxista ao fazer uma turnê pela América Latina em 1961, onde seu álbum Our Summer Romance fez bastante sucesso. Na época, o artista teve contato com grupos oposicionistas na Argentina, no Chile e também no Brasil – e se revoltou com a pobreza no continente.

A partir daí, fez propaganda para o comunismo e ficou sendo o americano mais conhecido nos países socialistas da Europa do leste. Foi nessa época que Reed ficou conhecido pelo apelido que dá nome ao filme: o ”Elvis vermelho”, em uma alusão a Elvis Presley.

Amigo pessoal do presidente chileno Salvador Allende e do líder palestino Yasser Arafat, o cantor protestou contra a guerra do Vietnã. Depois de se casar com uma alemã, foi morar na Alemanha Oriental, onde atuou em vários filmes e foi privilegiado pelo regime.

Depressão

No fim de sua vida, pouco antes de o Muro de Berlim cair, Dean Reed estava depressivo e tinha ficado no esquecimento. O filme do diretor Leopold Gruen mostra a ascensão e a queda do cantor – que acabou morrendo afogado no ano de 1986, em circunstâncias duvidosas, num lago nas cercanias de Berlim.

O documentário inclui depoimentos de ex-políticos alemães orientais e também da escritora Isabel Allende, filha do presidente chileno morto em 1962. A carreira do cantor também é contada em um livro cujo título traz o que muita gente pensa sobre a vida do artista – A Estória Muito Estranha de Dean Reed.

O ator americano Tom Hanks e o diretor Steven Spielberg pretendem fazer um filme sobre a vida de Dean Reed com o título Comrade Rockstar. No entanto a pequena produtora de filmes Totho, de Berlim, chegou à frente de Holywood. Segundo o diretor Leopold Gruen, ele já pesquisa o assunto desde 2002.

Da Redação, com informações da BBC Brasil
Site do PC do B

Rizzolo: Fico imaginando a pressão que Reed teve ter sofrido na época, vou pesquisar a história dele. Aceito colaborações ! ( risos..)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: