Poder Popular passa a integrar a Carta Magna

No artigo 136, sobre o poder público Chávez propôs incorporar o poder popular, acrescentando: “O povo é depositário da soberania, a exerce diretamente através do Poder Popular. Este não nasce do sufrágio, nem de eleição alguma, mas nasce da condição dos grupos humanos, organizados como bases da população. O Poder Popular se expressa constituindo as comunidades, as comunas e o autogoverno das cidades”.

Ele se estabelece “através dos Conselhos Comunais, Conselhos de Trabalhadores, os Conselhos de Camponeses e os Conselhos Estudiantis e outras entidades que sejam assinaladas por lei”.

Junto com o Poder Popular o Estado criará uma rede de unidades de produção socialista um espaço fora do mercado capitalista “que tenha por objetivo satisfazer necessidades, irão surgindo novas formas de distribuição, de apropriação, de ingressos, irá nascendo uma nova cultura, é a moral socialista, o primeiro motor constituinte.

Exemplificou entre outras coisas com “a participação do Estado nos processos econômicos estimulando as distintas expressões da economia social” e “a participación dos trabalhadores e trabalhadoras na gestão das empresas públicas” e ainda estimula à criação “de organizacões cooperativas e empresas comunais”.

“O artigo 70 são os meios de participação e protagonismo, aqui temos: eleição de cargos públicos, referendo, agregando os conselhos de poder popular, ‘São meios de participação e protagonismo do povo em exercício direto de sua soberania e para a construção do socialismo a eleição de cargos públicos: o referendo, a consulta popular, a revogação do mandato, as iniciativas legislativas constitucionais e constituintes, a assembléia de cidadãos e cidadãs, Os conselhos do poder popular, ou seja: conselhos comunais, conselhos de trabalhadores, conselhos estudantis, conselhos camponeses, entre outros, a gestão democrática dos trabalhadores e trabalhadoras de qualquer empresa de propriedade social direta ou indireta.

“Estamos semeando o socialismo. Todos os que votaram pelo candidato Hugo Chávez votaram para ir rumo ao socialismo, é uma responsabilidade suprema a construção do socialismo bolivariano, o socialismo venezuelano, nosso socialismo, nosso modelo socialista.

“Algumas empresas de pesquisas tentam de orientar a opinião publica, então fazem perguntas como esta: que tipo de sistema de governo você prefere, democracia ou socialismo? Não, nosso povo não é tonto. Na medida em que este debate vai acontecendo e a realidade o for demonstrando, poderemos concluir que só no socialismo será possível a verdadeira democracia. No capitalismo a democracia não é possível.

“Nos Estados Unidos há democracia? Não, nos Estados Unidos funciona uma ditadura econômica, política, midiática, militar inclusive.

“São meios para a construção do socialismo, os Conselhos Populares, a gestão democrática dos trabalhadores e trabalhadoras de qualquer empresa de propriedade social, direta ou indireta, a autogestão comunal, as organizações financeiras e micro financeiras comunais, as cooperativas de propriedade comunal. Este é um conceito totalmente distinto, que nem sequer existiu no socialismo iugoslavo, por exemplo. Lá as cooperativas foram capitalistas, terminaram sendo capitalistas e concorrendo umas com outras, nas leis do mercado, crítica que fez corretamente o Che Guevara depois que passou pela Iugoslávia: “Bem, isto é capitalismo”. Uma cooperativa capitalista termina sendo igual, igual; um patrão, uns assalariados, e depois a mais-valia, o lucro e toda a produção se transforma em mercadoria. Capitalismo puro!

Por isso não nos enganamos, o cooperativismo não garante a marcha para o socialismo. Nada! Não garante, aliás, bem que pode confundir o povo, o coletivo, e nós mesmos muitas vezes. Por isso quis incluir aí esta figura das cooperativas de propriedade comunal.

“As poupanças comunais, as redes de produtores livres associados, o trabalho voluntário, as empresas comunitárias e demais formas associativas constituídas para desenvolver os valores da mútua cooperação e a solidariedade socialista. A lei estabelecerá as condições para o efetivo funcionamento dos meios de participação previstos neste artigo.

Hora do Povo

Rizzolo: Quando nos aprofundamos no sentido do que é a verdadeira democracia, observamos que a democracia participativa, aquela que está sendo implantada na Venezuela, é sim na sua essência a verdadeira democracia. Não há que se pensar em democracia manipulando o povo através de eleições em que os eleitos são na realidade representantes do capital, o povo, sim, o povo, deve através dos mecanismos como o Poder Popular fazer com que o papel do Estado se submeta e este último.

É a democracia pura, verdadeira, participativa. É evidente que aqueles que se alçam como “democratas” não gostam, gostam sim de manipular o povo através da mídia, do dinheiro, do financiamento privado das campanhas e o povo, bom o povo sempre fica como uma marionete, como nos EUA atualmente, um povo apático, alienado; porque esta receita de exclusão vem de lá, dos amantes da democracia relativa.

E ainda se consideram viver num pais livre, livre de que? Só se for dos negros e latinos que entopem as prisões americanas, por serem excluídos do sistema que os segrega. Belo exemplo de democracia, hein !

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: