Comunistas americanos lembram sexto aniversário do 11/9

No sexto aniversário da tragédia de 11 de setembro, ao mesmo tempo em que cerimônias rememoram as quase três mil vidas perdidas nos ataques terroristas daquele dia, uma questão ainda perturba a mente de muitos americanos.

Editorial do People’s Weekly World, jornal do PC dos Estados Unidos.

A resposta da administração Bush aos ataques ao World Trade Center e ao Pentágono trouxe mais segurança ao mundo?

Um número cada vez maior de pessoas em nosso país e ao redor do mundo responde negativamente a essa questão.

Embora nenhuma evidência ligasse o ditador Saddam Hussein aos ataques, a administração usou o 11 de Setembro como pretexto para uma guerra na qual já morreram mais de 3.750 soldados e centenas de milhares de iraquianos, enquanto milhares de outros civis e militares foram severamente feridos. Uma guerra que deixou os iraquianos em piores condições que antes de seu início, e que fez de seu país um novo paraíso para terroristas.

A administração Bush desviou e colocou de lados os esforços diplomáticos, enquanto imensos recursos foram dirigidos para impulsionar nosso país na direção de um futuro de guerra perpétua.

Enquanto a pressão popular em casa e ao redor do mundo forçou a administração a dar um passo atrás em relação à Coréia do Norte, Bush e Cheney estão aumentando progressivamente as ameaças de atacar o Irã.

Ao mesmo tempo, as liberdades civis foram erodidas em nosso país, com os programas de vigilância ilegais e a destruição pela extrema direita dos programas sociais e de emergência. Essas políticas deram combustível para o racismo, para a histeria anti-imigrantes, para a desigualdade, o que ameaça o “Et pluribus unum” (e todos por um), nosso consagrado lema nacional.

Se a “guerra ao terror” da a administração Bush não conseguiu fazer o mundo um lugar mais seguro, o que então faria?

Para muitos, um fim à ocupação do Iraque, com a retirada das tropas e dos mercenários americanos do país, sem deixar bases. Uma política externa voltada para a diplomacia e cooperação, ao invés do poderio militar. Uma política comercial que beneficiasse as pessoas pobres aqui e ao redor do planeta.

E, em casa, redirecionando as somas astronômicas gastas na guerra para dar ao povo a segurança em suas vidas cotidianas: saúde para todos, educação pública de qualidade que promova a paz e a compreensão multicultural, fornecer moradia e transportes, preservação ambiental e garantir o financiamento de infra-estruturas de segurança em emergências.

Trabalhar nesses objetivos seria o melhor tributo às vítimas do 11 de setembro de 2001.

Fonte: Peoples Weekly World (http://www.pww.org)

Rizzolo: Com efeito, a política americana belicista prejudicou não só os países atacados injustamente, como também a própria popluação interna dos EUA; na verdade, nada ficou provado em relação ao ataque de 11 de setembro de 2001, as opiniões divergem e existem muitas dúvidas em quem realmente provocou a tragédia. Enquanto isso a população americana, principalmente os negros e latinos, são esquecidos, não existe política social capaz de assisti-los com dignidade, hoje nos EUA existem 45 milhões de pessoas sem seguro saúde, se percorrermos Manhattam encontramos pedintes, pessoas pobres nas esquinas, e até miséria, os recursos que deveriam ir para população mais pobre acabam direcionados para o gastos promovidos por Bush nas invasões e desestabilizações de governos assistidas pela CIA. Hoje os EUA é o maior Estado terrorista do planeta. Obra dos republicanos, que pouco se importam com o social e sim com o domínio e o lucro. Acredito que o povo americano acordará, e deixará pricipalmente de acreditar no maior trunfo dos exploradores que é a mídia e os meios de comunicação americanos, que manipulam os pobres alienados através de falsas informações e discursos republicanos belicista, e que tem sim suas sucursais por aqui no Brasil e na América Latina, onde apregoam a democracia ” relativa “, do “Partido da Mídia” , a ideal para que o povo seja sempre engando, mal informado, e manipulado, e que acabem consentindo sem perceber, com seus disígnios espúrios.

Publicado em Política. 1 Comment »

Uma resposta to “Comunistas americanos lembram sexto aniversário do 11/9”

  1. uifor Says:

    Estados Unidos Cosecho lo que sembró por su política imperialista, por desgracia los perjudicados mucha veces son gente inocente, la misma que subre el yugo explotador día a día del capitalismo yankee.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

<span>%d</span> blogueiros gostam disto: