Meirelles volta a sabotar esforço pelo crescimento travando queda da taxa de juros

O Copom decidiu interromper a queda dos juros básicos mantendo a taxa em 11,25% ao ano. Para os empresários a decisão foi “danosa” e “pode comprometer o ritmo de crescimento da economia”. Para o presidente da CUT, Artur Henrique, a decisão “não facilita o crescimento econômico e não contribui para a criação de empregos”.

BC interrompe queda dos juros e afronta esforço pelo crescimento

Contrariando o conjunto da nação, Copom decide, por unanimidade,
manter a taxa Selic em 11,25%

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central in-terrompeu dois anos de queda dos juros básicos (Selic) e decidiu nesta quarta-feira, por unanimidade, manter a taxa em 11,25% ao ano. Com isso, o titular do BC, Henrique Meirelles, põe em risco os esforços do presidente Luiz Inácio Lula da Silva de garantir o crescimento da economia na casa dos 5%. De acordo com o IBGE, o PIB cresceu 5,4% no segundo trimestre em comparação ao mesmo período de 2006, e 4,9% no primeiro semestre sobre os primeiros seis meses do ano passado.

Conforme análise do economista chefe do Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial (Iedi), Edgard Pereira, os indicadores da economia não justificam a decisão do Copom, que poderá comprometer a continuidade dos investimentos dos setores produtivos. “É uma decisão desnecessária diante de uma série de informações positivas da economia; a inflação está sob controle a não há sinais de superaquecimento. A partir de agora, os empresários vão ficar mais receosos, vão parar para pensar em fazer novos investimentos”, afirmou Edgard.

A decisão tomada por unanimidade também foi destacada pelo economista do Iedi. “A decisão unânime é uma sinalização forte de que até o início do próximo ano essa política não vai mudar. É uma sinalização ruim, principalmente porque a decisão foi unânime. Isso mostra que o BC está preocupado com o aquecimento da economia. Eu acredito agora que os empresários vão limitar os investimentos”.

Em nota de duas linhas, o BC afirma que após avaliar “a conjuntura macroeconômica”, o Copom decidiu “fazer uma pausa no processo de flexibilização da política monetária”, ou seja, uma pausa no crescimento do país. “Os efeitos serão sentidos ao longo do ano que vem”, declarou Edgard Pereira. “Pode comprometer o ritmo de crescimento da economia. Começa a ficar mais difícil a manutenção [de crescimento de 5% ao ano] pela forma como a decisão foi tomada, por unanimidade. É uma indicação de desaquecimento da economia”.

Quanto à produção industrial, que vem acumulando altas sucessivas – 6,8% no segundo trimestre e 4,9% no primeiro semestre, segundo o IBGE -, “o efeito será heterogêneo”, afirma Pereira. “Existem setores que estão crescendo forte. Os setores que estão crescendo pouco são os mais voltados para o mercado interno, de produtos com menor valor agregado. Esses poderão ser os mais penalizados”.

Em relação aos juros reais (descontada a inflação), com a decisão do Copom, o Brasil continua sustentando a segunda colocação do ranking mundial, atrás da Turquia. Considerando que o IPCA dos últimos 12 meses encerrados em setembro foi de 4,20%, os juros reais ficam em 6,8% ao ano. Pesquisa realizada pela consultoria “Up Trend”, usando como base informações de 40 países, mostra que a Turquia mantém a primeira colocação com juros reais de 9% ao ano. O Brasil está longe do terceiro posto, dividido entre Austrália, Israel, Inglaterra e Filipinas, em torno de 4%. “Uma taxa acima de 5% é ruim, não tem efeito expansivo para a economia”, diz Jason Vieira, economista chefe da “Up Trend”.

A interrupção da queda dos juros também influencia diretamente na taxa de câmbio, prejudicando as exportações. Além de elevar o endividamento das famílias, os juros altos impedem a formação do crédito de longo prazo. Os únicos beneficiados com a política do BC de travar a queda da Selic são os bancos e agiotas estrangeiros, que invadem o país com o propósito exclusivo de multiplicar seus dólares, sem nenhum compromisso com investimentos que façam o país crescer.

FREIO

Como havia declarado o ministro do Trabalho, Carlos Lupi, na véspera da decisão do Copom, “se puxar o freio de mão, o carro pode capotar. Deixa o carro andar”. O ministro, que assim como todos os brasileiros comprometidos com o país esperava a continuidade da queda dos juros, havia destacado que a trajetória de queda da Selic nos últimos dois anos contribuiu para a expansão dos investimentos da indústria, resultando no aumento da geração de emprego com carteira assinada: “A economia está sob controle, a inflação está abaixo das projeções e as empresas estão investindo pesado em todos os setores da economia nacional”, declarou Lupi.

LUIZ ROCHA
Hora do Povo

Rizzolo: A política econômica do BC ditada pelo Copom, insistindo em manter o nível da taxa básica de juros (selic) na estratosfera, sustentando a segunda colocação do ranking mundial, atrás da Turquia, faz com que o “Cassino Brasil” atraia cada vez mais, capital internacional especulativo fazendo com que a cotação do dólar caia. Isso na verdade faz com que as exportações despenquem e em contrapartida, aumentemos as importações financiando empregos no exterior.

Fica patente que no país da especulação, não há interesse no investimento em produção, em geração de emprego, muito pelo contrário, alguns segmentos como de calçados e outros, sentem a dificuldade em exportar em face a um real fortalecido. É claro que a indústria nacional sofre, com essa política que beneficia sim, as multinacionais que vêem a oportunidade cada vez maior de fazer suas vultuosas remessas de lucros e dividendos em dólar e ainda, sem pagar imposto de renda ao povo brasileiro. O lucro já ocorre, de imediato, com a própria conversão das moedas, antes mesmo de que com a atividade especulativa em si, seja com títulos públicos, seja na Bolsa, uma verdadeira vergonha, num país pobre que precisa gerar quatro milhões de empregos por ano aos jovens que ingressam no mercado de trabalho, e aos que perdem seus empregos.

Publicado em Política. Tags: . Leave a Comment »

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: