Programa para aquisição de novos caças será retomado em janeiro

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva determinou ao comandante da Aeronáutica, brigadeiro Juniti Saito, a retomada em janeiro do Programa FX – política de reaparelhamento para a aquisição de 36 novos caças para a Força Aérea Brasileira. Dentro dos moldes do Plano Estratégico Nacional de Defesa, o reaparelhamento será implementado também no Exército e na Marinha, e deverá ter como prioridade a transferência tecnológica na aquisição dos equipamentos, como forma de incentivo à reativação da indústria nacional de defesa.

No caso da FAB, entre os favoritos para vencer a licitação estão o russo Sukhoi 35, o Eurofighter Thypon (consórcio Grã-Bretanha, Alemanha, Itália e Espanha), o anglo-sueco Gripen, e o francês Rafale, da Dassault. O norte-americano F-35, fabricado pela Lockheed, é o menos cotado, uma vez que os Estados Unidos negam a transferência tecnológica. Foi o caso vivido pela Venezuela, que recentemente comprou 24 Sukhoi 30 depois de ter sido negado não só a aquisição de novos equipamentos de defesa dos EUA, mas também peças e materiais de reposição.

Nesta semana, a Secretaria de Política, Estratégia e Assuntos Internacionais do Ministério da Defesa promove o Simpósio da Indústria Nacional de Defesa, reunindo as principais empresas do setor. Segundo o general José Benedito de Barros Moreira, o objetivo do evento é debater a participação do setor no Plano Estratégico Nacional. “Elas vão apresentar todas as suas reivindicações, mostrar o que está atrapalhando a indústria”, afirmou o general Barros Moreira. Este é o terceiro evento promovido pela Defesa para discutir o assunto.

“Um dos grandes gols obtidos durante os simpósios é a aproximação com a base industrial de defesa. Na realidade, você não consegue ter Forças Armadas sem uma indústria específica que possa lhe dar condições de operar”, disse o secretário de Ensino, Logística, Mobilização, Ciência e Tecnologia do Ministério da Defesa, brigadeiro Marco Aurélio Mendes. De acordo com ele, “queremos obter, por meio da participação da indústria, um grau elevado de autonomia para a obtenção desses meios e, assim, diminuir a dependência do exterior”.

Além do reaparelhamento, o Brasil está articulando com os países vizinhos um plano de defesa regional. A partir de fevereiro, representantes do Executivo e das FFAA deverão iniciar viagens a todos os países sul-americanos para negociar a elaboração do plano
Hora do Povo

Rizzolo: Tenho dito sempre que precisamos reequipar nossas Forças Armadas, destinando recursos para que possamos restabelecer o nosso Parque Industrial Bélico, para isso é necessário não só a compra de equipamentos, mas a transferência de tecnologia. Temos que, de uma vez por todas lembrar que os EUA jamais serão parceiros no âmbito militar, e mais, hoje todos sabem que qualquer mudança na política que não vá de acordo com o “Consenso de Washington” é motivo suficiente para os EUA negarem peças de reposição e embragos. Não podemos contar com isso, temos que explorar outras opções no mercado, e o mais importante, absorvermos tecnologia. Como disse o disse o secretário de Ensino, Logística, Mobilização, Ciência e Tecnologia do Ministério da Defesa, brigadeiro Marco Aurélio Mendes, “você não consegue ter Forças Armadas sem uma indústria específica que possa lhe dar condições de operar”. De acordo com ele, “queremos obter, por meio da participação da indústria, um grau elevado de autonomia para a obtenção desses meios e, assim, diminuir a dependência do exterior”.

Muitos tentam insinuar que o reaparelhamento das Forças Armadas tem relação com os investimentos da Venezuela nessa área, o que é uma grande besteira, Chavez reestrutura suas Forças Armadas não visando o Brasil, que é um país amigo e irmão, mas sim em se defender de possíveis agressões por parte de EUA, que no momento historio são contumazes na arte de invadir países com fins políticos e econômicos. Uma vergonha ! Os que apostam nessa teoria são os mesmos que querem e promovem a desunião da América Latina a mando do capital internacional. Podemos traduzir isso como falta de patriotismo, temos que ter o compromisso de construir uma América Latina unida e forte !

3 Respostas to “Programa para aquisição de novos caças será retomado em janeiro”

  1. gaitero Says:

    alguem do alto escalao das forças armadas me escutem. xD todos sabem que os AMX foram uma piadas pra que modernizalos a italia ta abandonando-os vamos abandonar tambem gastem esse 400 milhoes pra comprar 28 mirrages e mais 4 caças modernos ai seriam 40 mirrages e 40 rafaeles ou su-37, pensem um poco poha. 40 mirrages com vida util de no minimo 15 anos 55 f-5m com vida de no minimo 10 anos e 40 caças com vida util de mais de 30, voces teriam 10 anos para pensar em um novo caça para substituir os f-5 e os mirrage, e nesse tempo nos ainda seremos uma das mais bem armadas forças do cone sul ^^

  2. silveira Says:

    isso ai gaiteiro to contigo e não abro. mais e a embraer como fica?. mais o caminho é esse.

  3. gaitero Says:

    xD pois é
    más quem sabe com a absorçao da tecnologia dos 40 novos caças agente possa daqui a 10 ou 15 anos construir um caça de 4 ou 5 geraçao da propria embraer????


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: