Carnaval uma ofegante epidemia

Sempre existe no ar algo de mágico no carnaval, o povo brasileiro canta suas tristezas na avenida, e nada melhor para representa-la, como a música escrita por volta dos anos 80 chamada ” Vai passar” de Francis Hime e Chico Buarque. Não apenas pela plenitude do sentido das palavras na sua letra, mas pela emoção que o ritmo nos conduz.

Todo carnaval é essencialmente alegre, até para aqueles, que como eu apreciam pelo camarote, quando convidado, ou pela TV. Ainda me lembro quando menino os carnavais do Guarujá, de Santos, os velhos carnavais de rua, com direito a levar um banho de talco e serpentina.

Contudo, com o passar dos anos, o carnaval de um modo geral, tornou-se ainda mais belo, mais caro, mais luxuoso, e os temas dos enredos, mais históricos e educativos, fazendo com que essa simbiose entre as cores, movimentos, e letras, levasse os espectadores a um grande espetáculo. Mas algo estranho surgiu nesse carnaval, e não por culpa dos carnavalescos, nem dos letristas, mas inserido num tema triste para a humanidade. O Holocausto.

A escola de samba Viradouro, no enredo ” É de arrepiar “, pretende expor uma montanha de corpos que mais parecem esqueletos, nus e empilhados. Seria, a representação do Holocausto, o extermínio de 6 milhões de judeus pelos nazistas durante a II Guerra Mundial, que logicamente, contrastaria com a alegria dos foliões no desfile da Viradouro, no Rio. Na realidade, não houve má intenção da escola, longe disso, mas protestar contra uma das maiores atrocidades cometidas pelo Homem, num contexto carnavalesco, é evidentemente inapropriado.

Face a isso, a pedido de Sergio Niskier, presidente da Federação Israelita do Estado do Rio de Janeiro (Fierj), a Justiça proibiu, na madrugada desta quinta-feira, que a Viradouro desfile com o carro alegórico do Holocausto, que reproduz uma pilha de corpos, em alusão aos seis milhões de judeus mortos pelo regime nazista. A liminar foi concedida pela juíza de plantão do Tribunal de Justiça do Rio Juliana Kalichsztein. Se a agremiação descumprir a ordem, terá que pagar multa de R$ 200 mil. Se entrar com algum componente fantasiado do ditador Adolf Hitler, terá que desembolsar R$ 50 mil.

“Um evento de tal magnitude apesar de, em sua essência, pretender passar alegria, descontração e alertar a população sobre fatos importantes que ocorreram e ocorrem através dos anos, não deve ser utilizado como ferramenta de culto ao ódio, qualquer forma de racismo, além da clara banalização dos eventos bárbaros e injustificados praticados contra as minorias, especialmente cerca de seis milhões de judeus (diga-se, muitos ainda vivos), e liderados por figura execrável chamada Adolf Hitler”, diz a juíza no despacho.

Entendo que a polêmica pode gerar mais prejuízos do que vantagens, mas de forma nenhuma podemos nos esquecer que muito embora o carnaval seja uma alegria fugaz, ainda persistem entre a humanidade as feridas das atrocidades cometidas e legitimadas em nome de regimes autoritários, que começam com poucos alegres como num bar de Munique, e terminam na tristeza de muitos. O Holocausto deve ser relembrado com a visão da liberdade, mas não de liberalidade como carnaval, festa alegre, bonita, enfim, uma ofegante epidemia onde não há lugar para tristezas.

Fernando Rizzolo

3 Respostas to “Carnaval uma ofegante epidemia”

  1. Global Voices Online » Brazil: Last minute ban on holocaust-themed carnival float Says:

    […] Fernando Rizzolo [pt] believes that remembering the Holocaust should be done with a different view: O Holocausto deve ser relembrado com a visão da liberdade, mas não de liberalidade como carnaval, festa alegre, bonita, enfim, uma ofegante epidemia onde não há lugar para tristezas. […]

  2. Zailda Says:

    O Holocausto é ainda uma chaga viva no coração da humanidade e aprensetar algo relacionado a ele no carnaval realmente seria uma banalização de assunto tão grave e doloroso para muitos. Seria expor um assunto sério para pessoas que não estariam ali para perceber a enormidade que foi cometida contra os judeus, mas sim para se divertirem.
    Este é um assunto para ser tratado com seriedade em outros meios e de outra forma.

  3. trio eletrico Says:

    Parabens pelo blog!
    Estou enviando esse site pois acredito ser muito pertinente com o assunto
    trioeletrico.net.br


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: