Chávez envia tanques à fronteira com Colômbia e fecha embaixada

O presidente venezuelano, Hugo Chávez, enviou tanques para a fronteira com a Colômbia neste domingo (2), depois que tropas colombianas invadiram o Equador na véspera em uma ofensiva contra rebeldes das Farc.

Chávez também pediu o fechamento da embaixada da Venezuela em Bogotá e a retirada da equipe diplomática, alertando que as ações da Colômbia podem dar início a uma guerra da América do Sul.

“Senhor ministro da Defesa, mova 10 batalhões até a fronteira com a Colômbia, de imediato, batalhões de tanques”, disse Chávez durante seu programa semanal de rádio e TV.

O presidente venezuelano disse que falou na manhã desse domingo com o mandatário equatoriano, Rafael Correa. O Equador está “mobilizando tropas para o norte. Correa conta com a Venezuela para o que quer que seja, em qualquer circunstância”, assinalou Chávez.

“Não queremos guerra, mas não vamos permitir que o império nem o seu filhote nos venha debilitar”, acrescentou.

Equador
O Equador também retirou neste domingo seu embaixador em Bogotá, ao considerar como “transgressão” a operação colombiana que matou, em território equatoriano, 17 guerrilheiros das Farc, incluindo o número dois do grupo, Raúl Reyes, informou a chancelaria.

“O Equador resolver retirar, de imediato, seu embaixador em Bogotá frente aos graves fatos ocorridos na zona fronteiriça, que constituem uma transgressão dos princípios de soberania e integridade territorial”, afirmou o ministério em um comunicado.

Farc
As afirmações do governo colombiano de que o chefe rebelde Raúl Reyes foi morto no Equador “são pouco menos que uma infâmia”, disse nesse domingo a revista ‘Resistencia’, órgão de difusão das Farc, na primeira reação do grupo rebelde.

“Por agora, podemos assegurar que as afirmações do governo que dizem que nossos camaradas estavam na república irmã do Equador são pouco menos que uma infâmia”, assinalou ‘Resistencia’ em sua página na internet. Na mensagem, os autores pedem ainda que não se abale “o esforço em favor da troca humanitária e que continua o nosso processo de paz”.

Com agências internacionais
Folha online

Rizzolo: O presidente Hugo Chavez infelizmente está se perdendo numa “teia de aranha”. Depois da queda de sua popularidade, com a derrota nas urnas, se tornou um ” garoto propaganda das Farc “; Chavez se distancia cada vez mais do seu propósito inicial, que era estabelecer um socialismo democrático de mercado, se indispõe com vizinhos, se alia a grupos paramilitares, assusta a população venezuelana com seu radicalismo, e agora desta feita, numa manobra diversionista, emana gritos de guerra para demonstrar ainda mais sua incompetência na condução e no desenvolvimento de uma sociedade justa como outrora propunha.

Aqueles que ainda permanecem ao seu lado, o fazem constrangidos e desnorteados; a fantasia do socialismo do século vinte um, só não virou realidade por pura incompetência daqueles que como Chavez um dia, entenderam que o isolacionismo é uma virtude. O Brasil precisa saber avançar e recuar no âmbito diplomático, e nesse momento, entre a briga de Uribe e Correa, o melhor ” ad cautela” é se afastar de Chavez, e tentar acalmar os ânimos contenciosos entre os dois presidentes envolvidos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: