Serra e a tática da Defesa Prévia

Uma das características na elaboração de uma defesa processual no âmbito criminal, é optar entre logo após ao início da ação penal, que se dá com o recebimento da denúncia, abrir a linha da defesa na chamada ” defesa prévia”, ou escondê-la ao Ministério Público, titular da ação penal. São duas variantes, podemos de plano nos defender e aí então a parte contrária saberá até onde iremos, ou falaremos o mínimo possível, com uma defesa prévia singela. Podemos constatar hoje numa analogia no cenário político brasileiro, algo semelhante entre dois candidatos a presidência, Aécio e Serra.

As articulações de Aécio são muitas, ampliando seu espaço no tucanato e de plano sabemos aonde ele quer chegar. A derrota do deputado Arnaldo Madeira para a liderança na Câmara foi a última grande demonstração de fragilidade do Serra, lembrando que o vencedor naquela disputa – o deputado José Aníbal (SP) – tinha o apoio de Aécio, alem disso tem o mineiro tem se esforçado para ampliar as negociações em torno de uma eventual candidatura à presidência aos partidos de centro-esquerda, como o próprio PMDB e o PSB de Ciro Gomes.

Como se não bastasse, patrocina uma articulação em Belo Horizonte que pode fazer com que o estado de Minas marche unido em 2010: a aliança PSDB-PT na eleição municipal da capital mineira deste ano teria como conseqüência o apoio dos tucanos ao nome que o PT indicar para o governo do estado, em uma coligação que nem o clima beligerante de Brasília parece estar atrapalhando. E as coisas não param por aí não, Aécio distribui afagos a esquerda, apoiando causas estranhas aos PSDB como a manutenção da contribuição sindical, nem com o ávido desejo dos tucanos obstruírem a votação conseguiram êxito, o danado do mineiro convenceu o líder José Aníbal a votar a matéria, em um claro afago ao deputado Paulo Pereira da Silva, o Paulinho da Força (PDT-SP).

Por este quadro político, o governador de Minas declaradamente se enquadra e se postula como um candidato pós Lula, se distanciando da ortodoxia tucana. Numa analogia processual, Aécio já apresentou tudo em suas justificativas, não precisa dizer mais nada. Mas a pergunta que não quer calar seria: Qual a tática de Serra? Dizem que Serra calado é um poeta, Serra foi um militante da esquerda, tem estratégia, pensa muito e fala pouco, avança e recua, talvez na calada da noite lembra-se frase de Lenin quando da nova política econômica em 1921 apregoava “um passo para trás, para dar dois na frente”, mas a verdade é que nobre governador está muito quieto, provavelmente num momento de reflexão, inserido num tríduo contestatório processual de cunho singelo, em conversas reservadas com Lula em Brasília semana passada, sem falar muito, sem alarde. Não podemos nos esquecer que Serra calado pode ser um poeta, mas pensando e agindo pode ser Maquiavel…

Fernando Rizzolo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: