O que vale é a intenção

images.jpg

Como de costume, todo Sábado procuro não escrever textos que não estejam relacionados com o Shabbat e com o estudo da Tora. Sem ter a intenção de dar uma conotação pessoal religiosa ao que escrevo, permito dirigir me a você, que acompanha minhas reflexões diariamente, e compartilhar com o amigo(a), de uma forma humilde, esses momentos de introspecção dos meus estudos no Shabbat, que se iniciam todas às sextas-feiras, quando me recolho duas horas antes da primeira estrela surgir no céu, numa Sinagoga ortodoxa que freqüento em São Paulo.

Como já disse anteriormente, tenho profundo respeito por todas as crenças, religiões, e acima de tudo sou um brasileiro patriota, amo meu país e o povo brasileiro, e tenho sim, uma grande satisfação espiritual em ao estudar a Parashá (Porção da Tora semanal) relacioná-la ao que vivemos nos dias atuais. Shabbat é um dia de paz, descanso e harmonia. Devemos nos abster das tensões e às exigências da vida cotidiana.

Como é uma reflexão de estudo pessoal, baseada na introspecção bíblica, recomendo a todos que acompanhem no Antigo testamento (Torah ) os comentários aqui expostos, para que possamos ter uma semana de paz; e que através dos estudos judaicos, possamos compreender nossas vidas e encontrar formas de superar as adversidades na visão de Hashem (Deus). Isso nos dará energia e um “Idiche Kop” ( perspicácia particular), para que enfim tenhamos condições de construir um Brasil cada vez mais digno e com mais justiça social, que é a base do Judaísmo, do Cristianismo, do Islamismo, e de todas as religiões que levam a um mesmo Deus.

E lembre-se, Deus não quer apenas que você ore, mas que você aja com um parceiro dele aqui neste mundo, promovendo mudanças, estudando, se aperfeiçoando cada vez mais em sua área de atuação, e lendo, lendo muito. Quem não lê não pensa, e quem não pensa será para sempre um servo . Nesses aspectos, Ele Hashem ( Deus), precisa mais de você do que você dele. Somos aqui nesse mundo, parceiros de alguém maior. Quando se dirigires a Deus, ” Um homem deve saber que, durante sua prece, ele se acha no palácio do rei e que não vê senão o rei. Ele se esquecerá então até da sua existência ” Rabi Nahman de Bratslav”.

A parashat desta semana chama-se Tsav (Vayicrá 6:1:36) começa com D’us continuando a ensinar Moshê muitas das várias leis relativas ao serviço no Mishcan, Santuário. Entretanto, enquanto a Porção da semana passada descreveu os corbanot, sacrifícios, da perspectiva do doador, nesta semana a Torá concentra-se mais diretamente nos Cohanim, fornecendo mais detalhes sobre seu serviço.

Após descrever primeiro a manutenção do fogo que ardia sobre o altar, a Torá discute em detalhes os vários tipos de corbanot que Aharon, seus filhos e as gerações seguintes de Cohanim estariam oferecendo. As oferendas deveriam ser trazidas com as intenções apropriadas, e comidas em um estado de pureza espiritual.

Finalmente, Moshê realiza os prolongados melu’im, serviço de consagração do Mishcan , e Moshê unge e introduz Aharon e seus filhos para o serviço deles no Mishcan, em frente de toda a congregação de Israel.

Como as duas primeiras porções da Torá de Vayicrá tratam quase que exclusivamente do serviço sacrificial, podemos refletir que relevância têm para nós estas oferendas. Infelizmente hoje em dia não temos um Templo Sagrado, e conseqüentemente não mais temos a oportunidade de realizar estes serviços. Talvez a seguinte percepção possa nos ajudar a relacionarmo-nos melhor com os corbanot de antigamente e, por sua vez, com nosso serviço atual a D’us.

A respeito de muitas das oferendas, a Torá declara que elas serão um “agradável aroma para D’us”, independente de a oferenda ser um valioso novilho trazido por um rico homem de negócios ou sua alternativa mais simples – uma oferenda de refeição trazida por uma pessoa destituída de meios.

Nossos rabinos comentam: “Tanto faz se a pessoa faz mais ou menos, desde que sua intenção seja pelo mérito dos Céus” (Talmud – Tratado Berachot 5b). A dúvida, entretanto, ainda poderia ser aventada se tanto o pobre como o rico estão doando igualmente por amor a Hashem; neste caso então aquele que está fazendo uma contribuição maior não realiza mais que aquele que doa menos? Como podem os rabinos afirmarem que são iguais?

O Sfas Emes resolve este dilema ensinando-nos uma lição extremamente importante sobre o que D’us espera de nós. Ele explica que nossa missão principal na vida é realizar nosso compromisso particular de todo o coração, e preencher nosso potencial a serviço de D’us. Se estamos fazendo tudo aquilo que podemos e somos verdadeiramente incapazes de fazer mais, então, embora nossa contribuição seja mínima, vale tanto quanto aquela que alguém com maior potencial, que está fazendo mais. Ambos indivíduos estão trabalhando com sinceridade, esforçando-se para realizar seu potencial. É irrelevante se um doa mais que o outro. As pessoas têm forças e potenciais diferentes, mas essencialmente estão todas fazendo o mesmo – usando tudo que possuem para servir ao Criador. E isto é o que D’us deseja de nós – servi-lo sincera e verdadeiramente, da melhor forma possível.

Tendo isso em mente, a pessoa jamais deve desesperar-se naquilo que está fazendo, pois Hashem visualiza cada um individualmente, percebendo suas características e sua posição na vida. Isso significa que toda e cada prece, cada mitsvá, cada ato de bondade que fazemos é apreciado quando Ele vê Seus filhos amados esforçando-se para servi-Lo com cavaná, verdadeira intenção. Portanto, não importa qual seja sua oferenda, saiba que terá sempre “um agradável aroma para D’us”.

Fonte : Beit Chabad

Tenha um sábado e uma semana de paz !

Fernando Rizzolo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: