Fluxo cambial caminha para pior mês desde janeiro/1999

SÃO PAULO – O fluxo cambial no Brasil está negativo em 4,397 bilhões de dólares em outubro, até o dia 24. Se o mês já estivesse fechado, este seria o pior resultado mensal desde janeiro de 1999 –quando a saída líquida do país foi de 8,59 bilhões de dólares em meio à maxidesvalorização do real.

A cifra dos 18 primeiros dias úteis deste mês, segundo dados do Banco Central divulgados nesta quarta-feira, resulta de déficit de 6,131 bilhões de dólares nas transações financeiras. As operações comerciais tiveram saldo positivo de 1,734 bilhão de dólares no período.

A crise global de crédito atingiu com mais força o país a partir da segunda quinzena de setembro, derrubando a Bolsa de Valores de São Paulo e fazendo o dólar atingir 2,50 reais depois de ter caído, em meados do ano, para a faixa de 1,50 real.

Em setembro, o fluxo cambial ainda ficou positivo em 2,803 bilhões de dólares.

No ano, o país acumula entrada líquida de 12,791 bilhões de dólares. De janeiro a outubro de 2007, o fluxo estava positivo em 73,62 bilhões de dólares, segundo o BC.

Agência Estado

Rizzolo: O fluxo cambial reflete não só as exportações e importações do País mas também as operações financeiras em investimentos, em bolsas, em títulos, em empréstimos, inclusive empréstimos no mercado bancário. O que está ocorrendo, é que as exportações continuam sendo maiores que as importações, até porque as importações tendem a cair em função do que se espera que aconteça no Brasil, que é um crescimento menor. Provavelmente, vamos importar menos, para não deixar crescer os estoques na mão das empresas.

O problema é que o fluxo cambial fica negativo porque o que sai muito dinheiro e o que entra é muito pouco. Está saindo muito dinheiro do investidor, que tinha dinheiro na Bolsa, em títulos do governo. Os investidores estão deixando o País, por dois motivos: primeiro, pelo medo do Risco País, que está se apreciando, passou de 500 pontos; segundo porque eles precisam desse dinheiro para se socorrer lá fora, e socorrer prejuízos que eles tiveram em operações no exterior. Sem contar é claro, que o Investimento Estrangeiro Direto, também reduziu-se, em função da própria crise.

Publicado em últimas notícias, Brasil, construtoras em crise, cotidiano, Crise, Crise Financeira, crise imobiliária no Brasil, crise na China, crise nos bancos brasileiros, Direito Internacional, economia, estatização dos bancos no Brasil, mundo, News, notícias, Política, Principal. Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Leave a Comment »

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: