Lula aposta em crescimento de 4% do PIB para 2009

Apesar da crise econômica mundial, o governo vai trabalhar para que o Produto Interno Bruto (PIB) cresça 4% em 2009, disse nesta segunda-feira (22) no Rio de Janeiro o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em discurso para empresários europeus e brasileiros, durante o Seminário Empresarial Parcerias Brasil-União Européia: Desafios e Oportunidades para os Próximos Anos.

Ele voltou a cobrar regras que limitem a especulação no sistema financeiro mundial e reafirmou que o Brasil está preparado para enfrentar a crise. “O país não vai entrar em recessão e vai continuar crescendo. Certamente, não crescerá os 6% ou 7% que gostaria que crescesse, mas poderá crescer 4% e vamos trabalhar por isso”, disse Lula. “Apesar de gente dizer que o Brasil vai crescer 2,8% ou 3%, quero que os empresários saibam que no governo e na equipe econômica vamos trabalhar com a perspectiva de 4% [de crescimento econômico]. Não haverá um único projeto do governo que será paralisado por conta da crise”, acrescentou.

Lula defendeu uma ampla reforma do sistema financeiro internacional para evitar que novas crises ocorram e disse que os atuais problemas econômicos são resultado de uma “especulação financeira desavergonhada”.

“Precisamos reforçar os mecanismos de controle, a transparência e representatividade de decisões que afetam toda a humanidade. Muitos não podem continuar pagando pela irresponsabilidade de poucos”.

De acordo com o presidente, a resposta do país à crise tem sido “apostar no investimento, na expansão do consumo, na defesa dos empregos e no apoio às indústrias”.

De improviso, voltou a afirmar que continua otimista e que apenas com a manutenção do consumo o país poderá reverter os efeitos negativos da crise econômica. “Sou o maior estimulador da retomada do crescimento. Vou para a televisão todo dia pedir para comprar, exportar e importar porque isso é que roda a roda da economia”.

Fonte: Agência Brasil

Rizzolo: A grande diferença será a necessidade do aumento do mercado interno para vencer os aspectos negativos da crise. Para tanto precisamos rever as taxas de juros, e coloca-las num patamar aceitável para que o crédito possa fluir e minimizar os efeitos da desaceleração da economia. O Brasil tem uma economia vigorosa, muito embora dependente também da economia chinesa, até mais do que a dos EUA, e a economia chinesa entra em declive. A recessão americana, principalmente, está reduzindo os pedidos de importação da China. E como as indústrias chinesas vinham num ritmo muito forte, elas estavam bastante estocadas. Agora precisam reduzir fortemente a produção para se adequarem à nova realidade. Para se ter uma idéia do tamanho da freada, já há projeções de que o crescimento chinês no primeiro semestre de 2009 ficará em torno de 5%. Menos da metade do crescimento de 11,9% registrado no mesmo período de 2007. As projeções de Lula poderão se concretizar caso o fator juros venha a contribuir.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: