Igreja excomunga envolvidos em aborto de menina estuprada

BRASÍLIA – Os envolvidos no processo de aborto de uma menina de 9 anos que foi estuprada foram excomungados pelo arcebispo de Olinda e de Recife, d. José Cardoso Sobrinho. De acordo com a polícia, o padrasto da criança já confessou que abusava da garota. A decisão da Igreja foi criticada pelo ministro da Saúde, José Gomes Temporão.

Para o ministro, a decisão foi “radical” e “inadequada”. “A lei brasileira é muito clara: a interrupção da gravidez é autorizada em caso de estupro. Trata-se de uma criança e, do ponto de vista biológico, não acredito que ela tivesse condições de levar a termo essa gestação de gêmeos”, disse, ao participar de entrevista a emissoras de rádio durante o programa Bom Dia, Ministro.

Para Temporão, o ato de excomungar os envolvidos no aborto é um contra-senso diante do que aconteceu à criança, vítima de estupro pelo padrasto. “Fiquei chocado com os dois fatos: com o que aconteceu com a menina e com a posição desse religioso que, equivocadamente, ao dizer que defende uma vida, coloca em risco uma outra tão importante.”
agência estado

A menina está em uma maternidade pública do Recife, onde foi internada na última terça-feira, 3, quando começou a receber medicamentos para interromper a gravidez. No fim da manhã da quarta-feira, 4, a direção do hospital confirmou o aborto.

Rizzolo: Realmente a postura da Igreja Católica neste caso é lamentável. Ademais, afronta algo do ponto de vista jurídico como lícito. Não bastasse o sofrimento que o destino impôs a esta criança, os envolvidos, no estrito cumprimento do dever legal, sofrem esta censura religiosa. O ministro Temporão está coberto de razão ao expor sua indignação. Por estas e por outras tantas, é que os evangélicos avançam em direção a mais adeptos a cada dia que passa. Neste caso específico, não há que questionar aspectos religiosos, e sim aliviar o sofrimento das vítimas.

8 Respostas to “Igreja excomunga envolvidos em aborto de menina estuprada”

  1. Ric Dahmer Says:

    Que medo! Ser excomungado deve ser realmente horrível. Pena que Deus não existe.

  2. adilson Says:

    é uma pena que a sociedade insiste em justificar um crime com outro crime, penso que as autoridades politicas devem se preocupar mais com a garantia de dignidade e seguranca para os brasileiros e para uma educacao mais eficaz. quanto ao crescimento das religioes evangelicas, se for por que elas aprovam aborto, nao sei, mas se for elas podem anunciar tudo, até o demonio, menos Jesus e seu reino. fique claro portanto, tirou uma vida do risco, mas matou duas!!! matou duas!!! matou duas!!! e isso é legal, afinal no Brasil a morte se tornou mais legal do que a vida.

  3. Helenilson Pereira da Silva Says:

    Não foi D. José Cardoso Sobrinho quem excomungou os envolvidos. Cada pessoa que participra de algo dessa natureza se auto excomunga.

  4. Francisca Says:

    Ninguém é a fovor da violência, ninguém é favor do aborto…
    Ao senhor Adilson: Quantas crianças filhas da violencia sexual você adotou? Quantos assassinatos de crianças violentas você evitou? Quantas mães e pais você deu seu apoio e ombro nos enterros de seus filhos violentados e mortos? “Faca de dois gumes”. Seu padre ou o seu pastor te ajudam a pagar suas contas, te livram da violência das ruas, te dariam apoio se cometesse um crime nem que fosse leve?
    Tenha uma boa semana senhor Adilson

  5. M[ario Gontijo Says:

    Até quando a Igreja Católica Apostólica “ROMANA” vai retroceder nesta ignonímia de excomungar quem ou o que quer que seja? Se pela etmologia “católica” quer dizer para todos, no momento em que a igreja crsitã primitiva aceitou “ROMANA” no Concílio de Niceia, segregou os demais p/aceitar o paganismo de um imperador decrépito e pagão (até no leito da morte) e se tornou o próprio IMPÉRIO ROMANA em guerras (cruzadas), corrupção e etc!!!

  6. Charles Says:

    O criminoso foi o estuprador, não as duas crianças geradas no ventre da criança violentadas. Logo, quem deve ser penalizado é o criminoso não as crianças que foram mortas pelo aborto. A postura do mencionado Bispo deu-se em favor da vida. Havia o risco de morte da criança que gerava. Não há coerência em substituir o risco da morte de uma criança pela certeza da morte de duas crianças.

  7. Gustavo Rocha da Silva Says:

    A posição de D. José Cardoso Sobrinho é coerente com a da Igreja Católica. Quem não gostar disso que deixe a Santa Madre Igreja; ninguém é obrigado a ser católico. Aborto é crime previsto no Direito Canônico e punido com a excomunhão. Ponto final.

    Em tempo: os falsos moralistas e sentimentalóides que fizeram campanha contra D. José podem punir o estuprador como sugiro aqui: por castração. Quem se habilita? Ou será que vão invocar “direitos humanos” do padrasto? “Sois como sepulcros caiados!”, disse-nos Jesus Cristo, o que cabe muito bem a todos os santarrões deste país, desde o Presidente da República até o Sr Fernando Rizzolo, incluindo o repulsivo Ministro Temporão, que Deus nos livre das suas ministrações!

    Gustavo Rocha da Silva

  8. Mario Ribeiro Says:

    Parabéns a você, Gustavo. Belo texto, belas palavras.

    Na verdade, a ignorância e a vaidade, a soberba, comum ao ser humano, é que fazem muitas pessoas acharem que não erram, que seu pensamento é o certo e o dos outros é que é errado. Quantos estamos vendo agora agirem assim… Raciocinam mal e, precipitadamente, atacam o arcebispo e a Igreja Católica neste momento. Nem pensam que podem estar errados em seu raciocínio…

    Primeiro, a verdade está acima das frágeis e imperfeitas leis humanas. E é a verdade que devemos procurar, com muita humildade, numa hora como essa. Devemos procurar saber – não importa a lei do Brasil, dos EUA… – qual é a verdade ou o justo nesse caso. Afinal, além daqui, é a verdade que estará como uma espada sobre nossas cabeças e as leis nacionais não valerão mais nada!

    E é uma verdade que ABORTAR é MATAR! Não existe outra forma de “desengravidar”. Só matando o ser humano em formação no ventre de sua mãe. E, caro Rizzolo, com todo o respeito, ainda que a religião judaica permita o aborto, não quer dizer que isso agrade a Deus, que isso seja justo. Nem mesmo no caso de MATAR um inocente, para “salvar” outro inocente.

    E por que Deus permite que uma criança engravide aos 9 anos? Para que depois se faça aborto? Não conhecem os inúmeros casos, pelo mundo, de meninas com a mesma idade que engravidaram e tiveram seus filhos normalmente? Ou isso é um caso único, o primeiro no mundo? Falta é fé no Criador, que sabe o que faz, ao contrário de nós… Havia mais riscos, mas não certeza de morte para a menina. E morrer é ruim? Ela, inocente, não iria direto, sem pecados, para o que chamamos de Céu ou Paraíso? Não seria uma privilegiada? Jesus Cristo não disse “a felicidade não é deste mundo”? Há quem verdadeiramente creia em Deus e acredite que este mundo é melhor do que o além? Então a menina perderia ou ganharia? Tudo começa a ficar claro, se verdadeiramente pensamos em Deus com fé, como alguém que não erra e que não precisa de nossa ajuda para salvar quem quer que seja…

    E, caro Rizzolo, pelo que sei, a grande maioria das igrejas evangélicas sérias são contra o aborto, em qualquer situação. Pelo que sei, os principais pastores evangélicos que aparecem na TV, Silas Malafaia e R R Soares, são contra o aborto em qualquer situação, também. Quem eu sei que é a favor é o tal “Bispo” Macedo, que todos nós já conhecemos muito bem…

    Um abraço.


Deixe uma resposta para Mario Ribeiro Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: