OAB SP reprova 88% na 1ª fase do exame, o pior resultado da história

Apenas 2.233 bacharéis foram aprovados na 1ª fase do exame em SP.
No quadro nacional, SP ficou em 24º lugar entre 26 estados.

A Comissão de Estágio e Exame de Ordem da OAB SP informou nesta quarta-feira (27) que o estado de São Paulo registrou seu pior resultado no exame da ordem. Foram reprovados na primeira fase 88% dos bacharéis inscritos, segundo informou a seccional São Paulo da OAB. O exame é realizado desde a década de 70.

Foi a primeira vez que o estado de São Paulo participou do exame da ordem unificado. Em São Paulo, houve 18.925 candidatos inscritos e apenas 2.233 aprovados na primeira fase, equivalente a 12% de aprovação (o percentual considera as abstenções).

O desempenho é pior do que os 12,87% de aprovação, percentual registrado na primeira fase do exame 126, em maio de 2005. Na ocasião, foram aprovados apenas 7,16% dos candidatos, o pior resultado final obtido no exame de ordem de São Paulo.

“O resultado do estado de São Paulo surpreende negativamente e deve ser analisado com relação ao desempenho obtido em outros estados, levando-se em consideração o número de faculdades existentes e o de bacharéis que prestaram a prova.

Em Sergipe, por exemplo, que ficou em primeiro lugar no país, com 33% dos candidatos aprovados, existe um número reduzido de faculdades de direito. São Paulo tem mais de 200 instituições de ensino jurídico e, infelizmente, nem todas são ilhas de excelência. Portanto, ficou claro que problema não está no exame, mas na preparação dos bacharéis”, declarou o presidente da OAB SP, Luiz Flávio Borges D’Urso.

Ranking

No quadro nacional, São Paulo ficou em 24º lugar entre os 26 Estados que realizam o exame de ordem unificado em todo o Brasil, com exceção de Minas Gerais. Em termos de número de aprovados, somente Mato Grosso (11,8%) e Amapá (11,6%) tiveram índices mais baixos.

Entre as cidades com maior número de inscritos em São Paulo, os resultados foram: Campinas, com 911 inscritos e 98 aprovados; São José do Rio Preto, com 855 inscritos e 87 aprovados; ABC, com 1.115 candidatos e 144 aprovados; Ribeirão Preto, com 549 candidatos e 74 aprovados, e Santos, com 793 inscritos e 88 aprovados.

Os candidatos não aprovados na primeira fase poderão recorrer à Comissão de Estágio e Exame de Ordem da OAB SP, por meio do Sistema Eletrônico de Interposição de Recurso, no site, no prazo de três dias úteis, contados a partir da data de divulgação do resultado.

A segunda fase do exame de ordem será aplicada, às 14h, no dia 28 de junho e inclui redação de peça jurídica e de cinco questões práticas. A nota mínima para aprovação nessa fase é seis.

Globo

Rizzolo: Infelizmente poucas são as Universidades que preparam o aluno de Direito a exercer a profissão de Advogado, ou que proporcionam o mínimo de conhecimento jurídico ao Bacharel para passar no Exame de Ordem. Esse dado de reprovação é surpreendente; 88% dos bacharéis inscritos, segundo informou a seccional São Paulo da OAB, foram reprovados, o que demonstra que estes inscritos jamais teriam condições mínimas para o exercício da advocacia. Isso denota o quanto o Exame de Ordem é necessário, também nos aponta o nível de ensino jurídico no Estado de São Paulo, onde poucas são as Universidades realmente comprometidas com o ensino de qualidade.

Como professor do Curso de Pós-Graduação em Direito da Universidade Paulista (UNIP), tenho insistido com meus alunos já formados, que atualmente em termos de mercado de trabalho só a graduação já não mais é o suficiente. Há que se fazer uma Pós- Graduação, especializando -se em determinada área do Direito, explorando a visão crítica das questões jurídicas, e fomentando o raciocínio interpretativo tão importante ao Advogado. Quanto ao Exame de Ordem, o importante é continuar estudando e realizando sempre os Exames, nem que vocês não contem a ninguém suas tentativas, mas jamais desistam. Vocês serão aprovados, acreditem.

“Chega de corrupção e rolo, para deputado federal Fernando Rizzolo- PMN 3318 “

Publicado em últimas notícias, Brasil, comportamento, cotidiano, cultura, D´Urso conta com Sarney na defesa das prerrogativas, Direitos Humanos, Exame de Ordem, Fernando Rizzolo Universidade Paulista, geral, inclusão dos negros na sociedade, News, notícias, OAB e o exame de ordem, OAB Federal, Política, Principal, Universidade Paulista, vestibular e educação. Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . 3 Comments »

Coreia do Norte reativa usina nuclear e ameaça atacar Seul

SEUL – A crise com a Coreia do Norte se aprofundou nesta quarta-feira, 27, depois que o regime afirmou ter reativado seu principal reator nuclear e ameaçou atacar a Coreia do Sul se o vizinho se juntar à iniciativa liderada pelos EUA contra a proliferação de armas nucleares. O regime comunista também declarou que não se vê mais vinculado ao armistício que em 1953 pôs fim à Guerra da Coreia.

A Iniciativa de Segurança contra Proliferação (PSI, na sigla em inglês), mecanismo criado em 2003 por sugestão dos EUA para a interceptação de navios suspeitos de carregar materiais ou armas de destruição em massa, recebeu na terça-feira a adesão plena da Coreia do Sul, em resposta ao teste nuclear e de mísseis balísticos realizado pela Coreia do Norte nos últimos dias. A decisão de Seul é “uma declaração de guerra contra nós”, diz um comunicado de uma representação militar norte-coreana em Panmunjom, na fronteira entre os dois países.

A agência de noticias estatal controlada pelo regime, a KCNA, citou um porta-voz do Exército norte-coreano afirmando que “o menor ato hostil contra nossa república, incluindo a interceptação e a revista em nossos navios pacíficos, enfrentará como resposta um ataque militar forte e imediato”. “Os imperialistas dos EUA e o grupo do traidor Lee Myung-bak (presidente da Coreia do Sul) levaram a situação na península coreana a um estado de guerra.”

“Nossos militares não mais estarão vinculados ao acordo de armistício, já que a atual liderança dos EUA atraiu as marionetes (Coreia do Sul) para o PSI”, afirma o comunicado. Como o armistício não é mais obrigatório, “a península coreana voltará ao estado de guerra”, acrescenta o informe oficial. Isso significa que as tropas da Coreia do Norte adotarão a “ação militar correspondente”, diz o comunicado, sem dar detalhes. “Aqueles que nos provocarem enfrentarão punição inclemente e inimaginável.”

O comunicado transmitido pelos meios de comunicação oficiais de Pyongyang afirma ainda que o país “não garantirá o status legal” de cinco ilhas sul-coreanas próximas à disputada fronteira, no Mar Amarelo. A Coreia do Norte também não vai garantir a segurança das embarcações militares e civis da Coreia do Sul e dos EUA na área, segundo o comunicado.

A Coreia do Sul afirmou que responderá “duramente” a qualquer provocação da Coreia do Norte, segundo a agência de notícias sul-coreana Yonhap. Nos limites marítimos entre as nações, Pyongyang afirmou que não mais garante a segurança de embarcações estrangeiras. “Caso a Coreia do Norte provoque, nós reagiremos duramente”, afirmou o Comando Militar Conjunto sul-coreano, em comunicado, informou a agência. “Nossa principal prioridade é manter a atual superioridade armada sobre a Coreia do Norte” no Mar Amarelo, onde as marinhas de ambos os países se confrontaram após o fim da Guerra da Coreia em 1953.

A Marinha sul-coreana deslocou um destroier para a fronteira marítima com a Coreia do Norte e intensificou a vigilância na zona, informou a Yonhap. Nos últimos meses, a região foi testemunha de um aumento da atividade militar, inclusive da Força Aérea norte-coreana, assinalou a fonte do Ministério da Defesa do vizinho do sul. “A preparação norte-coreana para a guerra está em seu máximo nível”, acrescentou.

A península coreana é uma das áreas mais militarizadas do mundo, com um milhão de soldados da Coreia do Norte, 655 mil da Coreia do Sul e outros 28,5 mil militares americanos assentados em território de seu aliado sul-coreano desde o final da Guerra da Coreia. A Coreia do Norte efetuou seu segundo teste nuclear e lançou pelo menos cinco mísseis de curto alcance – na terça-feira se informou do último deles -, rechaçando as advertências dos EUA, Japão, Coreia do Sul e da própria ONU.

Reator nuclear

A Coreia do Norte reiniciou sua usina de reprocessamento de combustível nuclear, voltada a produção de armas à base de plutônio, segundo informações publicadas na imprensa sul-coreana. A notícia seguiu-se à informação de que, na noite de terça-feira(pelo horário de Brasília),e a Coreia do Norte havia testado mais um míssil de curto alcance no Mar do Japão, depois de testar dois no começo do dia, elevando para cinco o número de mísseis testados desde a segunda-feira.

Sinais de fumaça vinham recentemente saindo da usina de Yongbyon, ao norte de Pyongyang, em um sinal de que está sendo reativada, informou o jornal sul-coreano Chosun Ilbo. “Satélites espiões dos Estados Unidos interceptaram vários sinais de que a usina, que havia sido fechada, está sendo reativada, com vapor saindo dela”, disse uma fonte ao jornal. A agência de notícias Yonhap divulgou a mesma notícia.

No mês passado, a Coreia do Norte anunciou abandono do acordo entre seis nações de desarmamento nuclear e que poderia reativar a usina de Yongbyon. A decisão de abandonar o acordo foi tomada em resposta à censura do Conselho de Segurança das Nações Unidas ao lançamento de um foguete em 5 de abril. Em julho de 2007, a Coreia do Norte fechou o reator e outras usinas, como parte do acordo de desarmamento.

O jornal Chosun Ilbo disse que o aparente reinicio do funcionamento da usina de Yongbyon se deu antes do previsto pelos peritos e que levará entre dois a quatro meses para voltar a operar. Segundo o jornal, se o Norte operar a usina em seu total poderá obter plutônio suficiente para fazer uma arma nuclear.

agência estado

Rizzolo: Como este Blog sempre afirmou, o desenrolar dos fatos e a petulância dos ditadores aumentaram desde que estes perceberam que os EUA agora, estão sob o comando do Sr. Barack Obama, o ” enviado da paz”. A Coréia do Norte desafiou deu um tapa na comunidade internacional ao realizar a prova, e agora ameaça a Coría do Sul por aderir à iniciativa americana contra o tráfico de armas de destruição em massa (PSI, na sigla em inglês).

Quando dizia eu que os democratas iriam afundar os EUA e que entre Obama e MacCain eu ficaria ainda com este último, muitos discordaram. Nunca gostei dos republicanos, mas infelizmente a escalada do terrorismo internacional aumentou de tal forma que uma potência como os EUA não pode ficar com um discurso frágil como o do Sr. Obama.

Um país para manter sua hegemonia precisa de pulso firme e nesse momento os EUA se calam com o Irã, se amedrontam com a Coréia do Norte, e tem medo da Rússia, e se der espaço, até da Venezuela, se resguardam. Muito embora, na Coreia do Sul, os EUA mantém cerca de 37.000 soldados em 100 instalações e o maior campo de tiro da Ásia, isso é pouco.

Hoje, o arsenal nuclear dos Estados Unidos inclui 5.400 ogivas nucleares armadas em mísseis balísticos intercontinentais em terra e mar; outras 1.750 bombas nucleares e mísseis cruzeiros prontos para ser lançados desde aviões B-2 e B-52; adicionalmente têm 1.670 armas nucleares classificadas como ‘táticas’. E, ainda, mais ou menos 10.000 ogivas nucleares em bunkers por todo o país como ‘contrapeso’ a qualquer surpresa. Medo do que ?? Sr. Obama ? Vamos enfrentar. Israel já não enfrentou coisas piores ?

Recordista em processos entra com ação contra o Guinness

Jonathan Riches já processou Platão, Nostradamus e a Torre Eiffel.
Ele é chamado de ‘Zeus das ações judiciais’ e de ‘Johnny Sue-nami’.
Considerada a pessoa que mais entrou com ações na Justiça, o norte-americano Jonathan Lee Riches decidiu processar o Guinness. Ele quer que o livro dos recordes pare de citar o seu nome, segundo o jornal americano “Spokesman Review”.

Chamado de “Zeus das ações judiciais” e de “Johnny Sue-nami” (trocadilho em inglês entre as palavras processo e tsunami), Riches entrou com o processo na semana passada contra o Guinness, apesar de estar preso acusado de fraude e conspiração.

Ele alega que, até hoje, apresentou mais de 4 mil ações em todo o mundo. “Eu tenho tantos processos assinados com a minha caneta e mão direita, que tenho artrite nos meus dedos, dormência nos meus pulsos”, escreveu ele em sua última ação.

Em seu currículo, Riches já apresentou ações contra Platão, Nostradamus, o time de futebol americano New England Patriots, o ex-presidente dos EUA George W. Bush, Britney Spears, monges budistas, o Lincoln Memorial e a Torre Eiffel.

Quando sair da cadeia, ele afirmou que pretende abrir uma loja para ensinar as pessoas a entrar com processos sem a necessidade de um advogado. No entanto Riches vai ter que esperar até 2012, quando termina sua pena.
globo

Rizzolo: Bem, este cidadão só pode ser uma pessoa que pouco tem a fazer. Não é possível ter a voracidade litigiosa que ele possui processando a todos. O pior, está preso. Ou seja, se socorre da tutela jurisdicional para realmente aparecer. Ainda bem que no Brasil ainda não existe este tipo de obsessivo, da forma em que o Judiciário se encontra por aqui moroso, Jonathan Lee Riches ficaria desmotivado, e se daria logo a outro hobby.

Fatiar investigação da CPI da Petrobras é nova ofensiva do PSDB

SÃO PAULO – Com as principais vagas da CPI da Petrobras preenchidas por governistas, o PSDB articula pedir a atuação do Ministério Público e da Polícia Federal na apuração das denúncias que serão alvo da comissão no Senado, numa espécie de investigação “paralela”.

A informação foi dada ao estadao.com.br pelo tucano Álvaro Dias (PR), autor do requerimento que pediu a instalação da comissão . “Ontem (terça-feira) na reunião de bancada pedi que a cada denúncia relevante levantada na comissão façamos uma representação encaminhada ao MP, com base em indícios. Faremos isso de uma forma fatiada, na medida em que todo processo é lento”, disse.

A comissão vai apurar, entre outras denúncias, a suposta manobra contábil que levou a empresa ao não pagamento de cerca de R$ 4 bilhões em tributos federais.

Confira os principais trechos da entrevista:

O PSDB vai investir em uma investigação paralela da CPI da Petrobras?

Sim. Ontem, na reunião da bancada, sugeri que cada denúncia relevante que aparecesse na CPI, durante a investigação, fosse encaminhada ao Ministério Público pelo partido. Iremos ao MP, encaminharemos uma representação.

Mas só a CPI não é suficiente?

Veja, com a maioria governista (a base tem direito a 8 das 11 vagas da comissão). Teremos dificuldades com alguns pedidos, como quebra de sigilo e coisas do gênero. Então encaminharemos as denúncias, uma a uma, para que tenhamos cumprido nosso dever.

Como as denúncias serão encaminhadas?

Faremos isso de forma fatiada, na medida em que todo processo é lento (na CPI). Cada caso é um caso. Ganharemos tempo se encaminharmos caso a caso, o MP terá mais tempo para pedir ao Judiciário quebra de sigilo quando acharmos necessário nas denúncias. Convocamos o MP a atuar, assim como convocamos também a Polícia Federal, já que o MP sempre atua como aliado do órgão, são parceiros.

O senhor apontou a velocidade nas investigações como um dos motivos para a investigação paralela. Acredita numa atuação superficial da comissão?

Veja, queremos aprofundar a investigação. Não faremos um cronograma pré-definido. As denúncias vão aparecendo e vamos encaminhar para aprofundar antes de denunciar- se achar necessário- ao Judiciário. Vamos aguardar.

agência estado

Rizzolo: Com efeito a proposta do PSDB do ponto de vista estratégico e jurídico é perfeita. Ao encaminhar as denúncias relevantes ao Ministério Público a CPI terá um suporte investigativo maior. Já em relação à Polícia Federal nem precisava ser convocada vez que a pedido dos representantes do “parquet” ( Ministério Público) a polícia judiciária federal faria as devidas diligências. Boa medida esta, boa ofensiva. É claro que existe um componente político nesta CPI, por outro lado existem denúncias graves e que passam pela obrigatoriedade das investigações, doe a que doer.

Charge do Pelicano para o Bom Dia (SP)

AUTO_pelicano

Polícia brasileira detém suposto membro da Al Qaeda

São Paulo, 26 mai (EFE).- Um suposto membro da rede terrorista internacional Al Qaeda foi detido no Brasil, confirmaram fontes policiais à Agência Efe nesta terça-feira.

As fontes consultadas pela Efe, entretanto, não confirmaram se o detido é um suposto líder da Al Qaeda, e evitaram fornecer detalhes da operação, a identidade do suspeito ou suas atividades.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva confirmou a detenção ao ser perguntado sobre o assunto na coletiva de imprensa concedida ao lado do chefe de Estado venezuelano, Hugo Chávez, em Salvador.

“A informação é que há uma pessoa detida e que a Polícia Federal (PF) está investigando sob sigilo, mas não tem condições de provar nada até agora”, disse Lula.

O chefe de Estado brasileiro também criticou o fato de a denúncia ter partido de fora do país.

“Acho que é uma falta de respeito alguém de fora opinar sobre uma pessoa que foi detida no Brasil e que está sendo investigada sigilosamente. O Brasil não tem o hábito de dar opiniões sobre o que ocorre em outros países”, declarou. EFE

Rizzolo: Bem, como podemos constatar em sites americanos,” The arrest was reported Tuesday by the Associated Press (AP)”, ou seja a origem da informação vem da Associated Press (AP). Segundo informações, se trata de um integrante da alta hierarquia da organização terrorista Al Qaeda. A Associated Press, é uma respeitável agência de notícias e seu dever é informar. Entendo que de nada adianta o governo não se conformar com o vazamento, o papel da imprensa é realmente informar, e a responsabilidade sobre o vazamento não é do órgão informativo. O Brasil segundo a agência de notícias, tem sido alvo de grupos radicais árabes que atuam em Foz do Iguaçu. Ao que parece o presidente Lula cada vez mais não gosta de notícias tampouco de ler jornal como ele próprio alega.

Ao que parece o suspeito já foi liberado e nada ficou comprovado. Outras informações dão conta que setores da PF e do próprio MP não gostaram do desfecho do episódio e reafirmam a ligação do agora ex-detido com a rede terrorista chefiada por Osama Bin Laden.