Polícia investiga assalto em casa de Silvio Santos, no Morumbi

Assaltantes invadiram uma das casas do apresentador Silvio Santos , no Morumbi, bairro de alto-padrão na Zona Sul de São Paulo. De acordo com a Polícia Civil, quatro pessoas foram feitas reféns, entre eles estavam a filha e o genro do apresentador. A casa, na Rua Antônio de Andrade Rebelo, é a mesma em que ele e sua filha Patrícia Abravanel foi sequestrada em agosto de 2001.

Segundo informou ao G1 neste domingo (14), o delegado Paulo Françolin Jr., do 89º Distrito Policial, no Portal do Morumbi, onde o caso foi registrado, os bandidos entraram na casa por volta das 22h15 de sábado (13). Eles roubaram um utilitário esportivo e objetos.

De acordo com ele, a filha e o genro do proprietário da casa estavam no imóvel. O delegado, no entanto, não informou o nome das vítimas – e nem confirmou se o imóvel pertencia a Silvio Santos.

Assalto

De acordo com o boletim de ocorrência do caso, divulgado pela Secretaria da Segurança Pública, um copeiro da casa foi ao 89º DP e contou à polícia que chegava ao imóvel quando duas pessoas, pelo menos uma delas armada, renderam-no e exigiram que ele ficasse na guarita. Um dos assaltantes ficou com o funcionário, enquanto o outro foi para dentro da residência, onde estavam outros dois comparsas.

Ainda, segundo Françolin Jr., os criminosos amarraram e trancaram as quatro pessoas que estavam no interior da casa num dos cômodos.

Para a polícia, o copeiro disse que os criminosos queriam informações sobre um cofre, que ele informou não ter conhecimento. O funcionário declarou que, para ter acesso à residência, os bandidos renderam seguranças de um imóvel vizinho.

Os criminosos fugiram com o carro que estava na garagem do imóvel. A PM achou o veículo, que estava abandonado na região, e o devolveu ao copeiro.

Imagens do circuito interno de monitoramento de câmeras de segurança teriam gravado a ação. As gravações devem ser analisadas pela polícia para tentar ajudar a identificar e prender o bando.

Segundo a secretaria, os proprietários ainda não foram à delegacia prestar esclarecimentos.

SBT

Procurada pela reportagem, a gerente de comunicação do SBT, Maísa Alves, negou a informação de que a filha de Silvio Santos tenha sido vítima de roubo. Ela ainda disse que nenhum imóvel da família do apresentador foi invadido e que Silvio Santos não está no país.
globo

Rizzolo:Essa história ainda está incompleta, o importante é aguardarmos uma declaração oficial do apresentador em relação a este evento. Agora, não há dúvida que a criminalidade em São Paulo está aumentando, aliás criminalidade e enchentes fazem o noticiário diário da cidade.

Dilma e Serra marcam presença no carnaval da Bahia

SALVADOR – Pré-candidatos à Presidência da República, a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff (PT), e o governador de São Paulo, José Serra (PSDB), ensaiaram tímidos passos de samba,no sábado, 13, à noite, no carnaval de Salvador, mas não se encontraram. Dilma soltou uma pomba branca na saída do bloco Ilê Ayê e tomou banho de pipoca para abrir os caminhos. Longe dali, Serra assistiu à passagem dos trios elétricos no Circuito Barra-Ondina de local privilegiado: o camarote da cantora Daniela Mercury. Os dois adversários na disputa eleitoral de 2010 chegaram à capital baiana no fim da tarde, vindos de Recife, com apenas meia hora de diferença.

Exibindo uma figa azul no peito, Dilma jogou beijos, acenou e tirou fotos com os foliões. “O carnaval aqui na Bahia é uma manifestação muito forte e autêntica do povo”, disse ela. Ao lado do governador da Bahia, Jaques Wagner (PT), e da primeira-dama, Fátima Mendonça, Dilma contou ter escolhido o Ilê Ayê para visitar porque queria conhecer um bloco de matriz africana. “E o Ilê, como disse a Fátima, é o mais lindo dos lindos”, comentou a ministra. “O mais belo dos belos”, corrigiu a primeira-dama, numa alusão a trecho de música que faz referência ao bloco de Salvador.

Dilma participou do ritual de purificação e limpeza energética – tradicional na saída do bloco – do terraço da casa onde nasceu o Ilê Ayê, que também é um terreiro. Trinta e seis pombas brancas, simbolizando a paz, foram soltas em homenagem aos 36 anos de fundação do bloco carnavalesco. O ator Lázaro Ramos acompanhou o ritual e também recebeu banho de pipoca. Dois imensos balões brancos com a inscrição “Petrobras” e com o logotipo do governo federal (“Brasil, um País de todos”) enfeitavam a rua.

Distante dali, no camarote de Daniela Mercury, Serra tentava demonstrar entusiasmo. “Estou tomando um banho de carnaval”, dizia ele. A cada acorde mais alto, o governador balançava a cabeça e acenava para o povo. No palanque de Serra havia deputados e senadores do PSDB e do DEM. Apesar do tom eleitoral da visita, tanto Serra como Dilma negaram a tentativa de angariar votos. “Não vim aqui interessado em palanque eleitoral. Vim para curtir mesmo”, afirmou o pré-candidato do PSDB.

“Todos nós temos o direito de curtir, nesses três dias, o carnaval. É uma agenda brasileira”, emendou Dilma, pouco antes da saída do bloco Ilê Ayê, quando questionada se estava ali cumprindo agenda de candidata. Animada, a ministra subiu uma ladeira para chegar à sede do Ilê, distribuindo sorrisos e fazendo sinal de positivo para os foliões. Na hora de ir embora, questionada se o caminho havia sido cansativo, ela brincou: “Pra baixo todo santo ajuda, mas a subida é mais difícil.” Um eleitor do PT não se conteve. “Quem sobe uma ladeira dessas está preparado para subir a rampa do Planalto”, disse ele. Dilma sorriu.
estadão

Rizzolo: É lógico que isso já é campanha, só não entendi porque os dois pré candidatos estiveram no mesmo local, na Bahia. Não há melhor local para demonstrar afinidade com o povo do que o carnaval, e demonstrar que apreciam a festa.