Mais de 60 pessoas são resgatadas após naufrágio de veleiro próximo ao Rio

Sessenta e quatro pessoas foram resgatadas com vida após o naufrágio do navio veleiro “Concórdia”, distante cerca de 300 milhas do litoral do Rio (cerca de 550 km). A informação é do Comando do 1º Distrito Naval da Marinha, que foi acionado por volta das 17h de quinta-feira (18), quando recebeu um sinal de emergência do veleiro. Segundo a Marinha, todas as vítimas estão bem.

As vítimas estavam em quatro balsas que foram resgatadas. A Marinha não informou quantos são estudantes, professores ou tripulantes.

Segundo um dos tripulantes que foi resgatado, durante a travessia, o navio, com cerca de 64 pessoas a bordo, enfrentou fortes ventos antes de naufragar.

Segundo a Marinha, uma aeronave da Força aérea Brasileira (FAB) localizou, por volta das 20h, uma balsa salva-vidas com pessoas nas proximidades do local onde foi detectada a emissão do sinal.

A Marinha informou ainda que três navios mercantes que estavam navegando naquela área marítima se dirigiram ao encontro da balsa. Além disso, também partiu do Rio de Janeiro o Rebocador de Alto Mar Almirante Guillobel, com chegada prevista na madrugada do dia 20.

A Fragata Liberal estava marcada para partir do Rio às 9h desta sexta (19).

A Marinha informou ainda que o navio “Concórdia”, pertencente à “West Island College International” do Canadá, estava realizando a travessia de Recife para Montevidéu (Uruguai), tendo partido no dia 8 de fevereiro, com previsão de chegada no dia 23 de fevereiro.
Globo
Rizzolo: Ainda não sabemos as causas do naufrágio, de qualquer forma é uma sorte todos terem saído com vida , vamos aguardar mais informações. Parabéns à marinha pela operação de resgate.

Charge do Ique para o JB Online

Pequeno avião bate em prédio de escritórios no Texas

WASHINGTON – Um pequeno avião colidiu nesta quinta-feira, 18, contra um prédio de escritórios em Austin, no Texas, sem que por enquanto haja confirmação oficial de vítimas. Segundo o canal “CNN”, o piloto da aeronave teria derrubado o avião intencionalmente. Antes de roubar o avião, ele incendiou sua casa, informaram oficiais.

O prédio fica próximo aos escritórios do FBI (polícia federal americana) em Austin, a capital estadual. O incêndio gerado após a colisão ainda não foi controlado. Ainda não se sabe de onde o avião saiu.

Apesar de o local já ter sido evacuado, a imprensa afirma que dois funcionários de um dos escritórios do prédio estão desaparecidos.
agencia estado

Rizzolo: A fraqueza do governo Obama promove o desafio de países terroristas. Os EUA precisam entender de uma vez por todas que para continuar a ser potência militar e econômica, precisam ter um discurso duro, firme, e pró ativo com países como o Irã e outros. Observem que quando as nações cujos governos que possuem características de desrespeito as determinações da ONU, principalmente na esfera nuclear, sentiram a fraqueza do ” líder Obama”, os problemas começaram a surgir, e agora, a esta altura não há como deter tais ameaças, contudo ao que parece o caso em questão é de alçada interna ao que tudo indica o piloto inconformado com a voracidade tributária dos EUA, decidiu pela via da violência, coisas dos moradores do Texas, que possuem a tendência de promover o que nós advogados chamamos de exercício arbitrário das próprias razões.

Criação de empregos tem melhor resultado para um mês de janeiro

O Brasil criou, em janeiro de 2010, 181.419 vagas formais de emprego, de acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). O resultado é o melhor já registrado em um mês de janeiro desde o início da pesquisa do Ministério do Trabalho, em maio de 2000.

Até então, o melhor resultado para um primeiro mês do ano havia sido registrado em 2008, quando o país abriu 142.921 postos. Em 2009, foram fechadas 101.748 vagas. Nos últimos 12 meses, foram criados 1.278.277 postos de trabalho, uma expansão de 4,01% no contingente de empregados celetistas do Brasil. Desde janeiro de 2003, são 8.897.501 postos de trabalho formais a mais.

O saldo de vagas para janeiro foi resultado da contratação de 1.410.462 de trabalhadores formais e do desligamento de 1.229.043 pessoas. O resultado do mês passado reverte a forte perda de vagas verificada em dezembro de 2009. No último mês do ano, foram fechados 415.192 postos de trabalho. Em todo o ano passado, foram abertas 995.110 vagas formais no país.

Os meses de janeiro têm tradicionalmente uma geração menor de vagas, por conta da menor atividade. Em novembro, do ano passado, por exemplo, a criação de vagas atingiu 247 mil.

A meta do Ministério do Trabalho é encerrar 2010 com a criação de 2 milhões de empregos formais. Com isso, restam a criar ainda este ano 1.818.581 vagas.

Segundo o ministro do Trabalho, Carlos Lupi, a taxa de desemprego este ano deve ser a mais baixa da história, chegando ao final de dezembro entre 7,4% e 7,3%. “Este ano vai ser o melhor ano de geração de emprego no Brasil”, afirmou.

O próximo mês, de acordo com ele, deverá registrar também a maior criação de vagas da série do Caged. “O Brasil está num momento muito bom e nada melhor do indicativo da economia que a geração de emprego positiva”, disse o ministro.

Setores e estados

A criação de empregos foi mais forte na indústria, com geração recorde de 68.920 postos de trabalho, um saldo superior em 17% ao recorde anterior para um primeiro mês do ano, verificado em 2008. O setor de serviços também teve geração recorde para o período, de 57.889 empregos.

Na construção civil, os 54.330 postos criados representaram o melhor desempenho para o setor de toda a série do Caged.

No mês de janeiro, os únicos que tiveram redução de vagas foram comércio, com -1.787 postos, por conta do final dos contratos temporários de final de ano, e administração pública, que perdeu 806 postos.

Por estados, São Paulo registrou o maior número de postos criados: 51.159, seguido por Minas Gerais (20.492), Santa Catarina (19.290) e Rio Grande do Sul (18.877).

Os únicos estados a perder vagas foram Ceará, onde foram fechados 2.254 postos de trabalho formais, Alagoas (-913) e Acre (-202 postos).

Globo

Rizzolo: É uma excelente notícia que vem ao encontro das políticas pontuais de cunho desenvolvimentista do governo Lula. O grande problema daqui para frente é a política macroeconômica da manutenção das altas taxas de juros, de nada adianta termos um bom desempenho, se logo se desenha uma nova investida na alta taxa dos juros. Precisamos manter o crescimento do mercado interno, o que por conseqüência diminuirá nossa vulnerabilidade no cenário econômico internacional.

‘Meu tempo de clandestino já acabou’, diz José Dirceu

BRASÍLIA – Prestes a retornar ao diretório nacional do PT, o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu avisou hoje que vai participar, sempre que lhe for demandado, da campanha da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, à Presidência da República. “Eu já fiquei na clandestinidade por 10 anos. Meu tempo de clandestino já acabou”, disse Dirceu, ao chegar ao 4º Congresso do PT, em Brasília.

Questionado se não vê algum risco de tirar votos da petista, Dirceu afirmou: “Não tiro voto da Dilma e não acredito que ninguém da direção partidária lhe tire votos”. Sobre as articulações que vem comandando em prol da campanha de Dilma, Dirceu disse que viajou 70 vezes, no ano passado, a vários Estados a fim de ajudar nas negociações de alianças.

Ele aproveitou também para falar sobre as expectativas em torno de uma possível candidatura do deputado Ciro Gomes (PSB-CE) para a Presidência da República. Chamado por Ciro de “golpista”, em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, Dirceu manteve o tom diplomático em relação ao parlamentar. Disse que Ciro tem todas as condições de ser candidato e avaliou que o deputado não atrapalhará o crescimento da candidatura de Dilma. Questionado sobre o potencial eleitoral da ministra, o ex-chefe da Casa Civil arrematou: “Ela é do PT, é mulher, é socialista, é de esquerda. Tem todas as condições de ser candidata”.
agencia estado

Rizzolo: Sinceramente, entendo que já foi o tempo em que crucificar José Dirceu significava uma atitude ética na política. Na verdade esse receio do poder de Dirceu, essas acusações levianas, já deveriam dar lugar a um debate racional, sobre o papel do ex. ministro no atual momento político brasileiro. Os que acham que associar seu nome ao de Dilma provocaria uma debandada de votos, se enganam, até por que a figura de Dirceu não se mistura de forma alguma com a da pré candidata Dilma .

Paulo Octávio já teve encontro com Lula, diz assessoria do governador

O governador interino do Distrito Federal, Paulo Octávio (DEM), foi recebido nesta quinta-feira (18) pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, segundo assessores do governo do DF. Oficialmente, a assessoria de Lula não confirma o encontro.

O G1 apurou que a reunião entre Lula e Paulo Octávio foi breve. Os ministros da Justiça, Luiz Paulo Barreto, e das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, também participaram do encontro.

Sem horário marcado, Paulo Octávio foi ao CCBB, sede provisória do governo, disposto a falar com Lula sobre o futuro de seu mandato à frente da gestão distrital. Depois da conversa, o governador interino saiu sem dar entrevistas e seguiu para o Buriti, sede do governo do DF.

Desde a tarde desta quarta-feira (17) crescem no DF os rumores de uma possível renúncia de Paulo Octávio ao cargo. Ele substitui o governador afastado, José Roberto Arruda (sem partido, ex-DEM), preso no dia 11 de fevereiro, por suspeita de tentar subornar uma testemunha do escândalo do mensalão do DEM de Brasília.

Paulo Octávio chegou por volta das 9h30 à sede do governo e não deu entrevistas. A interlocutores, ele disse apenas que iria conversar com Lula para “buscar um caminho para a governabilidade”.

Prisão de Arruda

Nesta quarta, o Supremo Tribunal Federal (STF) confirmou que o habeas corpus, que pede a liberdade do governador Arruda, foi enviado à Procuradoria-Geral da República (PGR).

A PGR tem dois dias para elaborar seu parecer sobre o pleito dos advogados do governador afastado, o que praticamente elimina a chance de o pedido de liberdade de Arruda ser levado ao plenário do STF nesta quinta-feira (18). O próprio ministro relator do caso, Marco Aurélio Mello, disse antes de entrar em plenário nesta tarde que o habeas corpus só deverá ser julgado na semana que vem.

Mais cedo, o relator do habeas corpus, ministro Marco Aurélio Mello, disse que poderia “fazer um esforço” para colocar a matéria em discussão na Suprema Corte já nesta quinta-feira (18).

O único impedimento, segundo o ministro, era o tramite processual, já que o habeas corpus precisava do parecer da PGR. “Para levar o processo ao plenário, primeiro eu tenho de tê-lo. Ele (o processo) está de posse da Procuradoria-Geral da República. A PGR tem dois dias para dar o parecer. Se devolverem o processo hoje (quarta), posso fazer esforço para levar ao plenário nesta quinta”, afirmou Marco Aurélio.
globo

Rizzolo: A questão da governabilidade que Pailo Octávio se refere é complicada. Uma eventual comunicação formal da renúncia, que deve ser feita em um movimento político combinado com o governador José Roberto Arruda (sem partido, ex-DEM), vai abrir uma negociação em torno da linha sucessória no DF. É provável que o presidente e o vice da Câmara Legislativa desistam de assumir o governo local. Nesse caso, assumiria o presidente do Tribunal de Justiça (TJ), que organizaria a eleição indireta na Câmara Legislativa para escolher o novo governador. Vamos acompanhar.

Jornal mineiro especula com chapa presidencial Aécio-Alckmin

Enquanto o governador mineiro, Aécio Neves, passa um carnaval prolongado, de 11 dias, o jornal O Tempo, de Belo Horizonte, comentou nesta segunda-feira (15) “a hipótese de uma chapa tucana, com Aécio na cabeça e o paulista Geraldo Alckmin de vice”. A especulação saiu na coluna do bem informado jornalista Luís Carlos Bernardes.

“Corre em setores do PSDB a hipótese de uma chapa tucana, com Aécio na cabeça e o paulista Geraldo Alckmin de vice, unindo os maiores colégios eleitores do país. A bola está com Serra, ainda mais indeciso com o crescimento de Dilma nas pesquisas.

Aécio ainda sonha em disputar a Presidência. Em encontro recente nas Mangabeiras, o mineiro disse ao ministro do Trabalho, Carlos Lupi, presidente do PDT, que seria uma chapa presidencial forte: Lupi como vice dele, Aécio. Lupi sorriu, parecendo gostar. PSDB e PDT juntos, reeditariam PTB e PSD de Getúlio Vargas e do leal aliado Tancredo Neves.”

Aécio Neves foi preterido pela cúpula do PSDB, que é paulistocêntrica e preferiu o governador de São Paulo, José Serra. Em dezembro, anunciou que saía da disputa pela Presidência e disputaria o Senado. Agora, dependeria de uma desistência de Serra.

O paulista, porém, só pretende decidir em fins de março, no limite do prazo legal. Se sentir firmeza nas pesquisas, deixa o governo para disputar a Presidência. Se julgar que Dilma Rousseff se fortaleceu, fica no Palácio dos Bandeirantes e tenta a reeleição em São Paulo.

Neste caso, restaria saber se haverá tempo hábil para Aécio relançar seu projeto presidencial. Foi este o argumento que o governador mineiro apresentou a Serra, quando pressionou para que ele se decidisse até janeiro: precisaria de tempo para se tornar conhecido nacionalmente e costurar seu sistema de alianças, mais amplo que a coligação com o DEM e o PPS, articulada por Serra. No fim de março, a seis meses da eleição, os palanques nos estados já estarão montados, a partir da premissa de uma polarização Dilma-Serra.

Com O Tempo
Rizzolo: Olha que não seria má idéia, conheço pessoalmente o Alckimin e posso afirmar que um político honesto, capaz, de uma excelente índole, e acima de tudo patriota; aqueles que tentam massacram sua imagem, geralmente são os que pouco tem a acrescentar na história política desse país. Entendo com sendo simpática a idéia, e potencialmente virtuosa, é claro que tudo não passa de especulação, mas as grande saídas políticas começam assim.