Datafolha: Dilma e Serra crescem dentro da margem de erro

Em meio à polêmica em torno dos resultados das últimas pesquisas eleitorais, o instituto Datafolha divulgou neste sábado (17) uma nova pesquisa de intenção de voto na corrida presidencial. Apesar de toda a exposição midiática e do lançamento em grande evento no último dia 10, o pré-candidato do PSDB José Serra cresceu pouco (2 pontos) em relação à pesquisa de 27 de março. O tucano oscilou de 36% para 38%. Dilma, do PT, subiu de 27 para 28%.

Assim, a vantagem do tucano que era de nove pontos, agora, é de dez pontos. Do ponto de vista estatístico, o quadro não sofreu alteração – a margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

Marina Silva (PV) teve 10% das intenções de voto, seguida por Ciro Gomes (PSB), com 9%. Há 7% que votarão em branco, nulo ou em nenhum. Outros 8% dizem ainda estar indecisos. Em março, Marina tinha 8% e Ciro 11%. Assim, esta é a primeira vez que Marina ultrapassa Ciro nas intenções de voto.

Quando Ciro Gomes é retirado do quadro de candidatos – o PSB ainda não o lançou oficialmente -, a diferença entre Serra e Dilma alarga-se um pouco: o tucano fica com 42% contra 30% da petista – uma distância de 12 pontos.

Para o jornlaista Fernando Rodrigues, da Folha Online, “há indicações de que tanto Serra como Dilma chegaram a um determinado ponto limite nas suas campanhas –considerando as estratégias de ambos até o momento. Talvez os dois candidatos devam agora considerar uma alteração nessas estratégias, cada um a seu modo, numa tentativa de ganhar mais apoios.”

Dilma lidera espontânea

Na pesquisa espontânea – em que os nomes dos candidatos não são apresentados ao entrevistado – Dilma tem 13% contra 12% de Serra. Na pesquisa anterior, a petista aparecia com 12%, e o tucano, com 8%. Em simulação de um possível segundo turno entre os dois candidatos, Serra tem 50% da preferência dos entrevistados, Dilma tem 40%. No mês passado, 48% escolheram o ex-governador de SP e 39% optaram pela ex-ministra.

Sobre a rejeição de cada candidato, houve pouca alteração. Ciro GOmes é o mais rejeitado com 27%. Em seguida vem Dilma e Serra com o mesmo percentual: 24%, seguidos por MArina Silva que tem 20% de rejeição.

Pela segunda vez o Datafolha testou os candidatos de partidos pequenos. Apenas no cenário em que não aparece Ciro, 2 nanicos pontuam 1% cada: Mário de Oliveira (PT do B) e Zé Maria (PSTU). Nessa hipótese, Serra tem 40%, Dilma fica com 29% e Marina registra 11%.

O Datafolha realizou esta pesquisa cinco dias após a festa do PSDB para José Serra se lançar na disputa. O outro levantamento, feito entre 24 e 25 de fevereiro, também ocorreu cinco dias após o lançamento oficial da candidatura da petista Dilma Rousseff.

Resultados polêmicos

A última pesquisa Datafolha, divulgada em 27 de março, causou polêmica ao contrariar tendência apontada em outras sondagens. Na ocasião, aliados da candidata petista não contestaram, mas suspeitaram dos números divulgados pelo Datafolha.

Pesquisas posteriores de outros institutos mostram uma tendência diferente e apontam para uma etagnação de Serra e crescimento das intenções de voto de Dilma. Segundo as mais recentes pesquisas Vox Populi e Sensus, os dois candidatos estariam tecnicamente empatados.

A diferença de resultados levou o grupo Folha a questionar a metodologia dos concorrentes e motivou o PSDB a pedir uma auditoria na pesquisa Sensus.

A pesquisa deste sábado do Datafolha mais uma vez contraria os demais institutos e pode também levar o PT e aliados de Dilma a reivindicar ao Datafolha os dados completos da pesquisa para uma auditoria.

Rumores de manipulação

Desde a pesquisa anterior, rumores nos bastidores políticos indicaram que poderia haver manipulação nos resultados para favorecer José Serra. Na ocasião, os números surpreenderam até aliados do tucano. Um jornalista da Folha de S. Paulo chegou a dizer que “O resultado do Datafolha veio no momento em que (Serra) mais precisava mostrar força perante o mundo político”. Outro colunista do jornal, Clóvis Rossi, afirmou em sua coluna: “O resultado da pesquisa (Datafolha) mais recente, ontem publicada, é um denso mistério, ao menos para mim. Não consigo encontrar uma explicação forte para o fato de José Serra ter subido quatro pontos em um mês”.

Nesta semana, o jornalista Luis Nassif postou em seu blog um comentário dizendo que “Em vez de jogar com margens de erro em todos os estados, para beneficiar a candidatura Serra, o Datafolha jogou toda a variação no sul. E aí escancarou os erros cometidos, abrindo margem para fortes suspeitas de manipulação da pesquisa. Foi o mais desgastante episódio na vida do instituto – que conquistou credibilidade nos anos 80 ao fazer o contraponto ao IBOPE”.

Ibope

A pesquisa Datafolha, registrada sob o número 8.383/2010 no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), foi realizada nos dias 15 e 16 de abril e foram ouvidas 2.600 eleitores de 144 municípios.

Na próxima semana, uma pesquisa Ibope deve ser divulgada. O instituto registrou ontem (16) no TSE o pedido de novo levantamento,solicitado pela Associação Comercial de São Paulo. Os resultados poderão ser divulgados no dia 21 de abril.

Rizzolo: É claro que existem rumores em relação à pesquisa Datafolha, eu pessoalmente prefiro entender que não houve alteração do quadro em função da margem de erro de dois pontos da pesquisa. A alternância no quadro de pesquisas é natural face ao fato de que a campanha ainda está no início, portanto é muito prematura qualquer observação mais aguçada no desempenho de ambos os candidatos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: