Lula anuncia nova fase do PAC; investimentos serão de R$ 17,2 bi

No dia em que o ministro da Fazenda, Guido Mantega, avisou que os cortes de gastos não vão poupar nem o Programa de Aceleração de Crescimento 2 (PAC 2), o presidente Luiz Inácio Lula da Silva anunciou as obras da nova fase em clima de festa, no Ministério das Cidades, em Brasília. Na plateia, estavam vários governadores e prefeitos que tiveram suas regiões contempladas.
O total de investimentos previstos para todas as regiões brasileiras no PAC 2 é de R$ 17,2 bilhões. Desse valor, R$ 7,3 bilhões vão para saneamento; R$ 3,9 bilhões para urbanismo; R$ 3,8 bilhões para drenagem; R$ 1,5 bilhão para pavimentação; e R$ 544 milhões para obras em encostas.

A declaração de Mantega foi durante o seminário Diálogos Capitais, promovido pela revista Carta Capital, com apoio do jornal Brasil Econômico, no Rio. Quando falou de cortes, o ministro classificou a medida como um difícil desafio a ser cumprido. “O PAC tem projetos que estão terminando este ano ou que estão para terminar nos próximos anos. Esses não serão mexidos. Tem projetos novos, que estão para começar — e esses poderão começar mais lentamente, não começar imediatamente”, explicou.

Na segunda-feira, antes das declarações de Mantega, o presidente Lula estava otimista durante o anúncio dos projetos do eixo “Cidade Melhor” selecionados para o PAC 2 em cidades de regiões metropolitanas e com mais de 70 mil habitantes das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste e acima de 100 mil das regiões Sul e Sudeste. Ele brincou, chamando os municípios a apresentarem projetos para o programa.

“O país vivia um momento de deterioração administrativa. Hoje, temos condições de fazer investimentos, pois o desenvolvimento chegou a todo o território nacional. O projeto é algo básico para a liberação do recurso de vocês. Inclusive, aconselho que todos os governos e prefeituras criem um departamento de projetos. Apresentem e façam projetos, pois só assim vocês mostrarão o que se pode fazer em um Estado ”, brincou o presidente Lula.

Investimentos

Ao anunciar que a responsabilidade pela coordenação das obras do PAC vai sair da Casa Civil para o Ministério do Planejamento, Lula se antecipou à sua sucessora, Dilma Rousseff. “Essa moça (Miriam Belchior) vai para o Planejamento e junto com ela deve levar essas coisas do PAC, que ela conhece como ninguém”, brincou o presidente referindo-se à futura ministra do Planejamento, Miriam Belchior.

Profissional da confiança de Dilma, Miriam trabalhou durante o governo Lula na Casa Civil, coordenando o PAC. Com sua ida para o Planejamento, a coordenação do programa também passa para a pasta.

Da Redação, com informações do O Dia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: