Em ata, Banco Central defende postura mais cautelosa

SÃO PAULO, 30 de julho (Reuters) – Uma postura mais cautelosa do Banco Central daqui para a frente reduzirá o risco de reversão abrupta da política monetária no futuro, apontou a ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom).

O documento, divulgado nesta quinta-feira, mostrou que alguns membros do Copom já viam respaldo para manter a Selic na reunião deste mês, mas acabou prevalecendo o consenso de que havia espaço para uma redução residual.

“O Copom considera que uma postura mais cautelosa contribuirá para mitigar o risco de reversões abruptas da política monetária no futuro e, assim, para a recuperação consistente da economia ao longo dos próximos trimestres”, destacou a ata.

“O Copom avalia, adicionalmente, que a preservação de perspectivas inflacionárias benignas irá requerer que o comportamento do sistema financeiro e da economia sob um novo patamar de taxas de juros seja cuidadosamente monitorado ao longo do tempo.”

No encontro da semana passada, o juro básico foi reduzido em 0,50 ponto percentual, para 8,75% ao ano.

folha online

Rizzolo: O Copom considera, que uma postura mais cautelosa contribuirá para mitigar o risco de reversões abruptas da política monetária no futuro e, assim, para a recuperação consistente da economia ao longo dos próximos trimestres. No entender do Copom, os juros caíram muito e essa queda continuará afetando favoravelmente a economia nos próximos meses. Tudo para explicar que a festa acabou, nada mais de queda nos juros, e a fundamentação complexa serve apenas para legitimar um não.