Lula é candidato ao Prêmio Nobel da Paz

O presidente Luis Inácio Lula da Silva está entre os candidatos ao Prêmio Nobel da Paz. Diretor do Instituto Internacional para a Investigação da Paz, o norueguês Stein Tonnesson, teria confirmado a indicação de Lula, segundo agências de notícias internacionais. A divulgação dos premiados será em outubro. Em fevereiro, o jornal francês Le Monde já havia antecipado a indicação de Lula, mas o Instituto Nobel, por tradição não divulga a lista oficial dos candidatos. Na sexta-feira, o diretor do Instituto Nobel, Geir Lundestad, informou que há 165 personalidades e instituições propostas para o prêmio.

Stein Tonnesson afirmou ao Le Monde em fevereiro que a vitória de um político sul-americano que luta contra as desigualdades sociais é muito provável. Principalmente se esse político for o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Tonnesson disse que Berge Furre, membro do Comitê Nobel da Paz, é um grande admirador do presidente brasileiro.

Outra importante fonte de informação, o cineasta norte-americano Oliver Stone, conhecido por dirigir filmes como Nascido em 4 de Julho e JFK, é também um admirador do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e afirmou que o líder brasileiro pode ganhar o prêmio Nobel da Paz pelo acordo assinado no último dia 17 entre Brasil, Turquia e Irã, que estabelece o enriquecimento de urânio iraniano fora do território do país. Os iranianos são suspeitos de tentar fazer a bomba atômica, algo que negam.

– O Lula tem uma grande liderança. Caso ele consiga êxito no resultado do acordo, certamente será indicado ao Prêmio Nobel da Paz – previu o cineasta, em sua última viagem ao Brasil, no primeiro semestre deste ano.

O acordo não foi bem recebido pelos Estados Unidos, que liderou a quarta rodada de sanções do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) contra o governo do presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad. As relações entre Brasil e EUA foram brevemente afetadas pelo episódio e a secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, chegou a dizer que o acordo torna o mundo mais perigoso.

O cineasta disse que “o acordo está desafiando toda a dinâmica de poder (internacional)”. Ele afirmou ainda que o fato de o Brasil contrariar a política dos EUA é um exemplo das profundas transformações que os governos de esquerda trouxeram à região:

– Existem consequências para o mundo inteiro pelo fato do continente estar se tornando mais independente.
correio do Brasil

Rizzolo:É uma notícia fantástica, que merece o apoio de todo cidadão brasileiro. Lula um operário se tornou um líder não só da América Latina, mas mundial no seu empenho pela paz. A grande diferença na vida, são as pessoas terem a iniciativa da paz; por mais difícil que ela deva parecer ou improvável, mover-se em direção ao diálogo é algo extremamente importante nos dias de hoje. Entendo que é difícil dialogar com extremistas, fanáticos, mas a iniciativa de Lula foi importante do ponto de vista político, é a primeira vez que um líder da Amárica Latina de dispos a tal feito. Parabéns a Lula por ser candidato e ao Brasil por tê-lo como presidente.

Oliver Stone grava vídeo com elogios a Dilma

A pré-candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, ganhou um cabo eleitoral “importado”: o cineasta norte-americano Oliver Stone, que gravou na última terça-feira (2) um vídeo de um minuto e 31 segundos com elogios à petista. Diretor de filmes de sucesso como Platoon, Nascido em 4 de Julho e JFK, Stone reuniu-se com a petista por mais de uma hora, em seu comitê de campanha, em Brasília.

O cineasta teria elogiado a petista no encontro que os dois tiveram na última terça-feira (1). No vídeo gravado, a rasgação de seda foi maior:

– Ela é dedicada ao desenvolvimento e à continuidade do projeto Lula.

O cineasta também exalta as qualidades do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em especial a participação do Brasil na tentativa de promover um acordo nuclear entre Irã e as grandes potencias mundiais.

– A situação do Irã poderia se tornar outro caso como o Iraque. Me parece que os Estados Unidos estão interessados em outra marcha para a guerra. Eu adoro o que o Lula e o Brasil estão fazendo.

Dilma é a segunda candidata à Presidência a se encontrar um cineasta de renome mundial. Em abril, o diretor canadense James Cameron, que dirigiu Avatar, também veio ao Brasil e se encontrou com a pré-candidata do PV, senadora Marina Silva.
agência estado

Rizzolo: Precisa um intelectual americano vir até aqui para elogiar o governo Lula e o avanço que significa a candidatura Dilma. O mais interessante nisso tudo, é que os artistas brasileiros, que tanto apregoavam no regime militar a justiça social, o desenvolvimento, a luta contra a miséria, se portam de forma tímida, e omissa. Poucos falam sobre o que significa a continuidade do governo, na figura de Dilma Rousseff. Onde se conclui, que faziam aquilo tudo na época, apenas para vender discos, porque lutar na democracia, pelo que vemos, acaba dando preguiça intelectual.