Idosos arcam com maior parte das despesas em 53% dos lares

De acordo com estudo do IBGE, essa situação é mais expressiva no Nordeste, onde os idosos são responsáveis por mais da metade da despesa familiar em 63,5% dos domicílios.

As pessoas com 60 anos ou mais de idade arcam com pelo menos metade da despesa da família em 53% dos lares brasileiros. Foi o que pesquisadores do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) constataram após análise de dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) 2007.

Os dados foram divulgados hoje (24) e são parte da Síntese de Indicadores Sociais do IBGE. De acordo com o estudo, essa situação é ainda mais expressiva no Nordeste, onde os idosos são responsáveis por mais da metade da despesa familiar em 63,5% dos domicílios.

Segundo a pesquisadora do IBGE Lúcia Maria Cunha, os dados refletem a importância da contribuição dos idosos no conjunto do orçamento familiar. Ela ressaltou que na área rural essa ajuda é ainda mais importante, sobretudo, nas regiões mais carentes. Nas áreas rurais do Nordeste, por exemplo, o índice chega a 73% dos domicílios.

Outra constatação do estudo é que o aumento da expectativa de vida nas últimas décadas permitiu uma maior possibilidade de convívio, em uma mesma família, de duas ou até três gerações diferentes.

Em 2007, de acordo com os dados da Pnad, 45% dos idosos viviam com seus filhos na condição de chefe de domicílio, sendo que nas Regiões Norte e Nordeste os percentuais chegaram a 50%.

Agência Brasil

Rizzolo: Como sempre afirmo, a previdência social é um poderoso instrumento de transferência de renda, e o fator previdenciário é um redutor perverso e injusto, principalmente aos pobres cuja expectativa de vida é inferior aos ricos que possuem um padrão de vida melhor, e contam ainda com uma medicina privada. Ao contrário do que alguns pensam, as pessoas quando se aposentam acabam sim utilizando os recursos da aposentaria, na maioria das vezes, para suprir as necessidades dos filhos desempregados ou até dos netos. Por tal razão não consigo conceber que o governo ainda tenha dúvidas em relação se mantém ou não o fator previdenciário, não consigo conceber como deputados da Câmara ainda não se sensibilizaram com esse absurdo. Lula afirmou que se aprovado na Câmara não vetará.

Só um parlamentar insensível, seria capaz de votar pela manutenção dessa aberração legal. Agora, eu não vejo ninguém da esquerda, defendendo o pobre aposentado, eu não vejo sequer uma notícia nesses sites esquerdistas, sobre esse fator perverso, eu só vejo discurso bonito, falam muito nos pobres, nos excluídos, mas nos velhos, nada. Ah! Os velhos que se danem não é? Não votam, e se votam logo não mais votarão, não é ? Essa é a política dos aproveitadores e daqueles que desrespeitam os trabalhadores de ontem e pensam no voto de amanhã!

E tem mais, a desculpa pela falta de recursos é uma balela, se há recursos para o funcionalismo, para o Bolsa Família, e para gastos exorbitantes do governo, há sim para os idosos. Que procurem recursos até no Pré -Sal, mas não deixem os trabalhadores sem o que é de seu direito ! Pelo fim do fator previdenciário, a maior prova é o texto acima !! Vamos nos mobilizar, divulgue o Blog do Rizzolo, pelo menos tenho ética e penso de verdade nos idosos e nos pobres do nosso Brasil !

Obs. Leitores, agora temos domínio próprio: http://www.blogdorizzolo.com.br

Lula deve vetar equiparação de reajuste do mínimo e benefícios do INSS

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva sinalizou nesta quinta-feira que deverá vetar o projeto que equipara os benefícios dos aposentados e pensionistas do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) ao reajuste concedido ao salário mínimo. Lula criticou o Congresso e cobrou responsabilidade.

“O Congresso Nacional precisa ter a mesma responsabilidade que tem o Executivo. O presidente da República não gera recursos. O governo federal recolhe os tributos que a sociedade paga e faz a distribuição, de acordo com as necessidades [da própria sociedade]. Um deles é pagar benefícios previdenciários. Ora, se o aumento concedido é maior do que a capacidade de arrecadação do próprio sistema, não tem como pagar”, reagiu o presidente após cerimônia no Palácio do Planalto.

Ontem a Comissão Especial do Salário Mínimo da Câmara aprovou uma proposta baseada em um texto do senador Paulo Paim (PT-RS), que concede aos benefícios do INSS (pensões e aposentadorias) o mesmo reajuste dado ao salário mínimo.

Indignado com a decisão tomada pela comissão, o presidente não escondeu seu incômodo. Segundo ele, os parlamentares deveriam pensar como as pessoas que têm que administrar sua contas e os salários que recebem.

“Eu gostaria que toda vez que as pessoas [no caso os parlamentares] aprovam uma despesa [também] aprovassem uma receita. É assim na minha casa e certamente é assim [também] na sua casa. É assim na casa de cada brasileiro. Toda vez que a gente quer comprar alguma coisa, a gente vai ver se tem dinheiro, depois se o salário comporta a quantidade de prestações que vai fazer e depois a gente compra”, disse o presidente.

A proposta que equipara o reajuste concedido ao mínimo aos benefícios pagos pelo INSS aguarda agora votação no plenário da Câmara. Ainda não tem data definida para a inclusão do tema na pauta da Casa.
Folha Online

Rizzolo: É impressionante a insensibilidade do governo para com os idosos, esse é o governo petista que apóia as minorias e se esquece daqueles que durante toda suas vidas dedicaram seus esforços a contribuir a uma previdência que hoje, segundo nosso presidente, não deve ser reajustada de acordo com o salário mínimo.

Isso é um tremendo pouco caso com os idosos, típico de que quem tem um discurso para uns e outro diverso para aqueles que já não representam tanto na sociedade. Isso é o PT, esse é o governo Lula. Nada mais justo do que conceder um aumento nos benefícios de acordo de com o aumento do salário mínimo, em consideração aos idosos do País.

A falta de respeito é total, não é ? E o pior, o presidente é contra uma proposta baseada em um texto do senador Paulo Paim (PT-RS), do próprio PT. É, pelo que vejo tem o PT bom e o PT ruim. Muito triste isso.