Chávez elogia ‘perfeição’ dos Jogos e avanços da China

CARACAS – O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, elogiou hoje a “perfeição” dos Jogos Olímpicos de 2008, em Pequim, ao ressaltar os avanços “milagrosos” que a China alcançou sob a condução de um “Governo comunista”.

Em seu programa de rádio e TV “¡Alô Presidente!”, Chávez afirmou que os Jogos de Pequim “foram perfeitos, entre os melhores da história”.

“Um povo feliz, milhões de chineses tomando as ruas e as avenidas. Não houve nem um protesto, nem repressão nem nada”, disse o líder venezuelano.

Chávez rejeitou as acusações dos Estados Unidos de que na China se “violam os direitos humanos” e que é um país marcado pelo “atraso” político, social e econômico.

A China é “um país socialista, com um Governo comunista e uma economia aberta, um país que realizou milagres”, declarou Chávez.

O presidente da Venezuela anunciou uma visita oficial à China em setembro, em uma data ainda não determinada.

Agência Estado

Rizzolo: Ao se impressionar com a perfeição e elogiar algo performático, Chavez tenta fazer de um cenário bonito uma propaganda de cunho comunista. Comparar um regime baseado em disciplina nos jogos Olímpicos, é algo de uma simplicidade absurdo. Ora todo munda sabe, e principalmente aqueles que apreciam a liberdade, que na China isso não existe, liberde jamais. Aliás existe hoje uma tendência a se vincular um Estado autoritário como algo melhor que uma pretensa liberdade, o espírito autoritário dos regimes comunistas vendem uma imagem de desenvolvimento coletivo, mas detestam a liberdade individual. Aliás, China insiste com “a perseguição e a punição” a jornalistas e ativistas dos direitos humanos durante os Jogos Olímpicos, um evento que “nunca mais” deve ser realizado em um contexto de violação de direitos, disse neste domingo o diretor do escritório espanhol da Anistia Internacional (AI), Esteban Beltrán.

Com efeito, os autoritários comunistas ainda estão ressentidas do poder dos EUA ao influenciar – depois da queda do muro – países que outrora estavam escravizados do ponto de vista ideológico e material pela antiga União Soviética. O pior é ver aqueles que como Chavez acham a escravidão chinesa maravilhosa. Observem que a escravidão comunista e a escravidão de outrora no Egito, são irmãs em gênero. Chavez e outros com este discurso, querem sim ressuscitar “os Egitos” que existem dentro de nós, para que passivamente deixarmos ser subjugados de forma cruel. Estou fora, gosto da liberdade.