Obama planeja julgamento de presos de Guantánamo nos EUA

WASHINGTON – A equipe de assessores do presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, prepara uma proposta que permitira a centenas de presos suspeitos de terrorismo ingressarem nos Estados Unidos para enfrentar julgamentos civis. O plano o ajudaria cumprir sua promessa de fechar a prisão de Guantánamo, mas poderia exigir a criação de um novo sistema de justiça.

Durante sua campanha presidencial, Obama qualificou Guantánamo como um “capítulo triste da História americana” e disse que o sistema judicial dos EUA é capaz de julgar os detentos. Mas o presidente eleito revelou poucos detalhes sobre o que planeja fazer após o fechamento da prisão.

Segundo os planos preparados pela equipe de Obama, alguns presos seriam liberados e muitos outros teriam julgamentos em cortes criminais americanas. Um terceiro grupo de detentos, aqueles cujos casos tem implicações em informações secretas, poderiam se apresentar em novas cortes, criadas especialmente para julgar casos de segurança nacional, de acordo com assessores democratas envolvidos nas conversas.

As fontes não puderam ser identificadas, porque os planos ainda se encontram em fase de desenvolvimento. A ação poderia representar uma mudança radical em relação ao governo do presidente George W. Bush, que estabeleceu tribunais militares para processar os presos somente na base naval de Cuba e se opôs firmemente a levar os réus para os EUA.

O rival de Obama na disputa à Casa Branca, o republicano John McCain, também havia prometido fechar a prisão, mas se opunha a realizar julgamentos nos fóruns criminais americanos.
Agência estado

Rizzolo: O que eu acho o mais interessante nessa nova era Obama, é a liberalidade exagerada. Nem bem assumiu, Obama procura dar ao seu governo, uma ” embalagem de bonzinho”, condescendente, o que na realidade pode se transformar num grande problema. A forma que esses julgamentos se dariam ninguém sabe ainda, tampouco quais seriam as competências de cada um; alem disso, essa postura liberal, abrirá oportunidade para que os verdadeiros terroristas atuem de forma mais intensa, até porque, não é pelo simples fato de Obama se propor a ser ” bonzinho”, que os impiedosos terroristas irão se tornar puros. Isso é uma ilusão que Obama vendeu, e que agora irá que entregar ao povo americano.

É como já cansei de dizer neste Blog , o dia em que o povo americano perceber que os EUA se tornaram um País vulnerável com Obama no poder, eles não perdoarão, e terão saudades dos republicanos. Uma potência militar ” boazinha” é tudo que os russos e sua turma desejam. Obama surge como um tipo Jimmy Carter, só que com o imenso apoio dos negros, vamos ver no que vai dar.

Hoje aqui na França o jornal Le Figaro, em sua manchete, analisa a crise mundial e seus efeitos nas montadoras de automóveis, segundo Le Figaro a indústria automobilística mundial atravessa uma grave crise que atingirá 85.000 empregos até o final deste ano. Amanhã será feriado aqui na França, será comemorado o 90º aniversário da assinatura do Armistício que na realidade marcou o fim da Primeira Guerra Mundial, pelo menos o trânsito em Paris ficará melhor. Um leitor me perguntou se era um ” Congresso sobre vinhos ” !! ( risos..)

Advogados dos presos de Guantánamo’ apóiam Obama

“Os EUA precisam de um presidente capaz de restabelecer o domínio da lei e o compromisso com os direitos humanos”, afirma manifesto do grupo

“Estamos com Obama para restabelecer o domínio da lei e o compromisso com os direitos humanos”, afirma o grupo “Advogados de Guantánamo”, em sua declaração de apoio ao pré-candidato democrata à Presidência dos EUA.

Os “Advogados de Guantánamo”, reconhecido grupo de advogados que defende os presos seviciados na base norte-americana em Cuba, manifestaram seu apoio à candidatura do senador democrata Barack Obama. “Os Estados Unidos precisam de um presidente capaz de restabelecer o domínio da lei, demonstrar o compromisso com os direitos humanos e restaurar a reputação do país na comunidade internacional”, afirma o grupo, em comunicado oficial.

Obama tem ampliado apoios e fortalecido sua candidatura com a defesa do fechamento da prisão na base, afirmação que tem sido reiterada em vários comícios. Desde 2002, o enclave ianque na ilha caribenha é usado como cativeiro de “combatentes inimigos” seqüestrados pela CIA. Nesta condição, o governo dos EUA submete seus prisioneiros a práticas perversas e desumanas, como já fartamente documentado. Como se não bastassem as torturas, Bush faz tábua rasa das convenções internacionais sobre prisioneiros políticos, inclusive impedindo o acesso a advogados e a qualquer garantia jurídica. Oficialmente, o número de detentos chega a 300, inúmeros capturados ilegalmente e conduzidos até o local por meio de vôos clandestinos, violando a soberania de vários países europeus.

Na avaliação de Gary Issac, um dos que assinam o manifesto – que já conta com a assinatura de mais de 80 profissionais de direito -, “não se trata de um debate entre a ‘América vermelha’ (conservadora) e a ‘América azul’ (liberal)”, mas da luta por justiça. “Em nossas viagens pelo país, encontramos muitos americanos, de diferentes orientações, profundamente perturbados com o que acontece em Guantánamo”, ressaltou. De acordo com Gary, o grupo amplia apoios na medida em que a população vai tomando conhecimento das barbaridades praticadas.

Hora do Povo

Rizzolo:A base norte americana de Guantánamo em Cuba, é exemplo de ilegalidade e arbitrariedade cometida pelos republicanos dos EUA em nome de uma luta contra o ” terror”. Obama é um candidato progressista democrata, que já reiteradas vezes se manifestou contrário a essa base do horror. O desrespeito aos Direitos Humanos, se expressa de forma assustadora em Guantánamo, vez que o direito de defesa é totalmente prejudicado, face às práticas perversas ali perpetradas em nome de uma pseudo legitimidade. Como sempre digo, vamos torcer para que os democratas retomem a grande nação americana. O povo americano merece.