Governador paulista quer frear escândalo Arruda, diz jornalista

Segundo relato de Rodrigo Viana, ex-jornalista da Rede Globo e responsável pelo blog “Escrevinhador”, o governador de São Paulo, José Serra (PSDB), intercedeu junto à emissora pedindo para “pegar leve com Arruda” e evitar maiores repercussões sobre o esquema de propina descoberto no governo de José Roberto Arruda/Paulo Otávio, revelado pela Operação “Caixa de Pandora”, da Polícia Federal.

“Isso respingaria na minha candidatura”, teria argumentado o tucano, na descrição de Rodrigo Viana, que tem como fonte um senador. Este parlamentar, diz Viana em seu blog, tem informações seguras sobre o esquema do governador do DF. “Em julho, ele avisou a vários jornalistas que havia uma fita de Arruda pegando dinheiro. Poucos acreditaram. As fitas estão aí”, lembra Viana, descrevendo o parlamentar como “um dos mais bem informados do Congresso (ele transita bem entre governistas, mas é de um partido que tem boas relações com a oposição)”.

Agora ele adverte que a fita mais impactante ainda não foi divulgada. Arruda apareceria numa cena de “adoração monetária”, louvando as notas novinhas em folha. “Eu vi a fita, ela existe. Só não sei se vai aparecer”, disse o membro do Senado.

O senador deu as informações numa conversa em “off” com jornalistas: “a Globo vai tirar o pé do escândalo, o Serra chamou a direção de jornalismo e ‘pediu’ (ênfase irônica) para baixar a bola, e não bater tanto no Arruda”, informou o parlamentar. O que tem atrapalhado o plano tucano de sumir com o escândalo são as manifestações, carreatas e protestos quase diários exigindo a saída do governador e do vice. Além disso, destacam-se as ações da OAB-DF e outras entidades, que estão determinadas a não descansar enquanto Arruda, Paulo Otávio e sua turma não forem defenestrados do Palácio do Buriti.

Na avaliação do ex-jornalista da Globo seria difícil ignorar um escândalo desses. Mas, em sua visão, tudo é uma questão de ênfase jornalística. O pedido de Serra, segundo ele, “não foi pra sumir com o caso, mas pra baixar a bola…”. Coincidência ou não, na mesma hora em que a Rede Record fazia uma reportagem de meia hora sobre a pancadaria promovida por Arruda contra os estudantes em frente ao Palácio do Governo do Distrito Federal, no início da semana passada, a Globo apresentava uma reportagem sobre um robô no Japão. Também na mesma semana, o “panetonegate” já tinha sumido da primeira página da “Folha”. Mas, no caso da Folha, nem precisaria mesmo do “pedido” de Serra. Para se ter uma idéia da “isenção” dos Frias, no auge do escândalo de Arruda, uma das manchetes da “Folha”, foi “Dinheiro do BNDES sai mais rápido para petistas”.

“Parece inacreditável. Mas, nesse caso, quase tudo parece inacredi-tável: das meias e cuecas à desculpa do panetone… Eu já não duvido de mais nada”, comenta o blogueiro, atualmente trabalhando na TV Record de São Paulo.

Num dos novos filmes revelados esta semana Arruda aparece pedindo a Durval Barbosa que arranje um emprego para seu filho, além de insinuar que tem algum esquema no TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Além de receber os pacotes de dinheiro, ele diz “isso aqui é para resolver as questões no TSE”. Sobre seu filho, ele acrescenta. “O menino formou em economia. Você arranja aí uma colocação para ele numa dessas empresas do esquema, mas não deixa ninguém saber que ele é meu filho”. Segundo alguns cálculos, cerca de R$ 500 milhões foram desviados pela quadrilha chefiada por Arruda. Tudo devidamente filmado e gravado por Durval Barbosa, até então, homem de confiança do governador.

A preocupação do tucano com o desgaste que sofrerá com a continuidade das notícias sobre o caso Arruda tem fundamento. Serra tinha praticamente convidado o governador para compor sua chapa como vice na eleição de 2010. Ele estava tão empolgado com Arruda que já tinha até um magnífico e criativo slogan para a campanha eleitoral da dupla. “Vote num careca e ganhe dois”, disse Serra, sob risos e aplausos de seguidores de ambos, numa reunião realizada em setembro, em Brasília. O encontro, que teve a presença dos “dois carecas” foi realizado para a assinatura de um convênio entre a Sabesp (empresa de saneamento paulista) e a Caesb, sua congênere no Distrito Federal (ver foto ao lado, reprodução do vídeo que corre na internet).

SÉRGIO CRUZ

Jornal Hora do Povo

Rizzolo: Bem primeiramente precisa-se saber se isso é verdade, se houve efetivamente ” um pedido de Serra”, eu acho difícil. Para casos como este, Serra nem precisaria “pedir”. Se a emissora, como consta o texto é pró Serra, para que ” pedir”? Agora não há dúvida que isso irá respingar na candidatura Serra. Provavelmente na campanha política o PT vai requentar o assunto até sua exaustão, e não é por menos, um mensalão do DEM deverá ser explorado como assim o foi, o mensalão do PT, nada mais natural, não é?

Manifestantes enfrentam policiais em Brasília

BRASÍLIA – Manifestantes pró-impeachment do governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda (DEM), entraram em confronto hoje com policiais militares na Praça do Palácio do Buriti, sede do governo do Distrito Federal.

No final da manhã, um grupo de manifestantes da CUT e do PT protestavam em frente ao Palácio do Buriti contra a permanência de Arruda no cargo, com discursos e palavras de ordem gritadas de um carro de som.

A situação começou a ficar tensa quando estudantes aderiram ao movimento e ampliaram a manifestação invadindo a pista em frente ao Palácio do Buriti, chamada de Eixo Monumental, provocando a paralisação do trânsito. O contingente policial foi reforçado pela Cavalaria da PM. . O que lembra a época da ditadura, com apenas uma diferença: havia naquela época menos corrupção. Democracia sim, mas com qualidade, que é o que mais nos falta.Os estudantes resistiram à investida agredindo os policiais com pedras e mangas colhidas das árvores no gramado central. O Batalhão de Operações da Polícia Especial (Bope) foi acionado para ajudar a conter o protesto.

Os manifestantes saíram do Eixo Monumental mas resolveram caminhar em direção à rodoviária, que fica no ponto central do Plano Piloto de Brasília. A PM usou bombas de gás lacrimogêneo e balas de borracha.

Os estudantes já haviam organizado um protesto de seis dias na Câmara Legislativa do DF e foram retirados do local ontem. Eles reivindicam o afastamento de Arruda, único governador eleito pelo DEM em 2006, alvo da Operação Caixa de Pandora da Polícia Federal no dia 27 de novembro. Imagens em poder da PF mostram indícios de um esquema de pagamento a políticos, empresários e aliados do governador, proveniente de propina vinda de empreiteiras e prestadoras de serviço.
agencia estado

Rizzolo: Legítima é a manifestação e jamais deveria ela ser coibida. É triste inferirmos que a nossa democracia é de caráter primitivo. A corrupção, a bandalheira, o desmando, a falta de ética tudo isso ocorre e é em muitas vezes defendido de forma sutil, ou abafado, agora a livre manifestação os protestos são coibidos pela força policial. . O que lembra a época da ditadura, com apenas uma diferença: havia naquela época menos corrupção. Democracia sim, mas com qualidade, que é o que mais nos falta nesse momento.

Para Gilmar Mendes, impunidade alimenta corrupção

RIO – O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Gilmar Mendes, afirmou que a impunidade é um dos fatores que motivam a ocorrência de casos de corrupção, como o descoberto recentemente no Distrito Federal envolvendo o governador José Roberto Arruda (DEM) e a cúpula política local. Sem citar nomes, ele falou que é preciso promover mudanças no sistema político brasileiro – especialmente em relação ao financiamento de campanhas eleitorais.

“No quadro político tem havido punição, abertura de processo, reação, mudanças no sistema. Eu mesmo estou convencido da necessidade que nós introduzamos outras modificações. Por exemplo, podemos discutir sistema de financiamento público de campanha”, disse o presidente do STF, logo após participar do Footecon, Fórum Internacional de Futebol, realizado no Riocentro, zona oeste do Rio. O ministro foi assinar convênio com o Clube dos 13, que passará a participar do Projeto Começar de Novo – iniciativa do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) para reintegrar egressos do sistema penal ao mercado de trabalho.

Para Mendes, é necessário revisar critérios para diminuir os riscos de impunidade. “A Justiça deve ser severa. Devemos discutir isso e apertar os critérios contra a impunidade”, relembrando casos de três governadores que tiveram seus mandatos cassados recentemente pelo Poder Judiciário, acusados de abusos durante as eleições de 2006.
agencia estado
Rizzolo: Não há dúvida que a certeza da impunidade acaba por alimentar a corrupção, que no caso do nosso país já se tornou endêmica. Há que se promover a severidade na aplicação das penas e rever os critérios contra a impunidade, como afirma o ministro Gilmar Mendes. O grande problema desse país é a má formação da ética na política, a maioria dos candidatos são representantes de grupos que os financiam, e pouco compromisso possuem com o povo brasileiro e sim como seus financiadores de campanha. Este círculo pouco virtuoso precisa ser quebrado através de uma corajosa reforma política. Mas os partidos querem? Não esperem punição ao Arruda por parte do DEM, até porque se ele resolver contar tudo o prejuízo é grande. Arruda é um arquivo vivo e não pode ser magoado.

OAB-DF entrega 11º pedido de impeachment de Arruda

BRASÍLIA – A presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) do Distrito Federal, Estefânia Viveiros, entrou hoje na Câmara Legislativa do Distrito Federal com o décimo primeiro pedido de impeachment do governador do Estado, José Roberto Arruda (DEM), por crime de responsabilidade. “A OAB está cumprindo seu dever institucional, pedindo o impeachment do governador e seu vice”, disse ela, que estava acompanhada do presidente da OAB nacional, Cezar Britto. “O que aconteceu aqui interessa a todo o Brasil. Demos o nosso apoio a um ato de quem quer um País melhor”, afirmou Britto.

Na semana passada, a Procuradoria-Geral da Casa rejeitou seis pedidos protocolados por terem como autores entidades representativas ao invés de cidadãos, como prevê a legislação. Por isso, o pedido da OAB apresentado hoje foi assinado “pela cidadã” Estefânia. Dois pedidos de impeachment – do advogado Evilázio Viana Santos e do ex-deputado distrital Chico Vigilante (PT) – já foram aceitos e encaminhados à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).
agencia estado

Rizzolo: Alguma coisa há de que ser feito em face a tanta corrupção. Por bem a OAB se utiliza de um apropriado remédio jurídico em nome de uma cidadã que o” impeachment”. Vamos ver se isso vai dar em alguma coisa, a qualidade da nossa democracia está deplorável.

Lula diz que crise no DF é deplorável e defende Constituinte

KIEV – Um dia após dizer que as “imagens não falam por si só”, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva condenou nesta quarta-feira, 30, o fato de políticos do Distrito Federal terem recebido dinheiro de empresários, conforme imagens divulgadas pela Polícia Federal.

“É deplorável para a classe política”, desabafou o presidente, ao defender a realização de uma Assembleia Nacional Constituinte, depois das eleições de 2010, específica para refazer a lei eleitoral. “Não é possível continuar do jeito que está. Todo mundo quer a reforma política, mas ela não acontece. Da mesma forma que todo mundo quer a reforma tributária e ela também não acontece. Só eu já mandei duas reformas políticas para o Congresso. Enquanto não tiver uma reforma política, nós vamos ser pegos de sobressalto, com notícias dessas magnitude”, afirmou Lula, pouco antes de embarcar de Kiev, na Ucrânia, para a Alemanha.

Lula disse que não foi condescendente ao afirmar, na terça-feira, 1º, que as imagens do governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda, secretários e deputados distritais recebendo dinheiro não falavam por si só. “Eu não fui condescendente, nem incriminei ninguém. Apenas disse que tem um fato em apuração, que é preciso que termine a apuração, que a Polícia Federal, o Ministério Público e a Justiça estão investigando. Eu não posso, como presidente da República, condenar alguém numa pergunta ou entrevista, com mesma facilidade que vocês (imprensa) . Tenho de esperar o fim da investigação para falar”, disse.

O presidente destacou, no entanto, que “as pessoas que fizeram coisa errada têm de pagar”.

Lula disse que viu algumas imagens na imprensa e que considera o caso muito grave. “Tudo isso vai ser um processo, que vai passar por vários tribunais, até o juízo final. Não sei o que o parlamento distrital vai fazer. A mim resta esperar a decisão da Justiça e do inquérito que vai para a Polícia Federal”.

Reforma política

O presidente reiterou a necessidade da reforma política pelo Congresso Nacional, para “moralizar os partidos políticos e o processo eleitoral”.

“Se o Jânio Quadros (ex-presidente da República) fosse vivo, diria que existe um inimigo oculto que não deixa votar no Congresso. Todo mundo já percebeu que isso tem de ser votado, mas quando chega ao Congresso não votam. É como a reforma tributária”, disse o presidente.

Ele lembrou que quando o texto de reforma tributária foi apresentado por seu governo, houve um pacto entre governadores, empresários, sindicalistas e líderes. “Só que quando entra no Congressos tem uma força invisível que não deixa andar.”

Questionado se essa força invisível seriam os próprios legisladores, Lula admitiu que sim. “Possivelmente sejam. Os partidos políticos deveriam estar defendendo essas reformas.”
agencia estado

Rizzolo: Bem uma coisa é a reforma política, necessária, que todos querem menos os partidos e os empresários que doam e acabam tendo o parlamentar nas mãos. Outra é a sórdida capacidade de receber. E não é difícil, ser honesto milhões de brasileiros o são, mas um governador, de um partido que se diz moralista, protagonista daquelas cenas? Isso é deplorável.

O problema não é unicamente a reforma política, são os políticos brasileiros, esses que já estão aí há anos e que dominam os partidos, as convenções internas, etc. Constituinte para isso nem precisa, todos querem a reforma, porem existe resistência partidária e empresarial, maus empresários pagam para ter retorno, e o ciclo se perpetua. Para isso não há necessidade de Constituinte e sim de vergonha na cara.

Em nota, Arruda diz que apresentará ‘provas irrefutáveis’ de sua inocência

O governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda (DEM) divulgou nota na tarde desta terça-feira (1º) que apresentará “provas irrefutáveis de sua inocência e de que foi vítima de um complô urdido por um homem que tem mais de 30 processos por corrupção” –uma referência ao ex-secretário de Relações Institucionais Durval Barbosa, que denunciou o suposto esquema de corrupção no governo.

Segundo Arruda, todos os processos contra Barbosa são do tempo em que o ex-secretário ocupava cargo de confiança no governo anterior, do ex-governador Joaquim Roriz, então no PMDB, hoje filiado ao PSC. De acordo com o a nota, Barbosa teria em suas denúncias a “ajuda de adversários políticos, e que, para se livrar da lama, jogou lama em todas as direções”.

O governador também negou que na reunião com a direção do Democratas, nesta segunda-feira (30), tenha pressionado a legenda contra sua expulsão. “Ao contrário de versões maldosas veiculadas em alguns veículos de comunicação, a reunião transcorreu em um clima de elegância e respeito mútuo, sem nenhum tipo de pressão. O que o governador do DF pediu foi que o partido desse a ele amplo direito de defesa, respeitando os prazos estatutários”, diz a nota.

Arruda diz ainda que confia na “decisão serena do partido” e que “respeitará seja ela qual for”. A Executiva Nacional do DEM se reúne às 16h desta terça em Brasília para decidir o futuro de Arruda.
globo

Rizzolo: A classe política desse país é realmente vergonhosa. Só mesmo deletando todos os políticos profissionais, e elegendo novos nomes conseguiremos restabelecer a ética. É claro que há necessidade de uma reforma política, porem isso não é motivo para que a desonestidade reine. Quem é ético, honesto, jamais recebe dinheiro ilícito. Falta religião, respeito, ética, e principalmente vergonha. O pior é que desta feita é a oposição que é corrupta, não existem mais nomes, nos resta apenas os novos que surgirem e dispostos a lavar a dignidade da coisa pública.

Aécio e Serra pedem explicações sobre mensalão no DF

SÃO PAULO – O governador de São Paulo, José Serra (PSDB), disse nesta segunda-feira, 30, que os fatos revelados pela operação Caixa de Pandora, da Polícia Federal, são “gravíssimos” e que a opinião pública “requer mais explicações”.

“Os fatos revelados, inclusive por filmes, são gravíssimos. A Justiça está trabalhando, acho que a opinião pública requer mais explicações a respeito daquilo que aconteceu por parte do governo e da Câmara Legislativa. Eu acredito que a Justiça, no caso, será feita porque está trabalhando de uma maneira muito efetiva”, afirmou o governador, em cerimônia de entrega de 238 apartamentos na Mooca, zona leste da capital.

Imagens em poder da Polícia Federal mostram indícios de um mensalão no Distrito Federal, que seria patrocinado com propina paga por empresas que têm contratos com o governo. Políticos do Distrito Federal, inclusive o governador, José Roberto Arruda (DEM), foram flagrados recebendo dinheiro. O DEM é o principal aliado dos tucanos na corrida presidencial do ano que vem.

Aécio

Em uma curta declaração distribuída na noite desta segunda pela assessoria de imprensa do Palácio da Liberdade, o governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), comentou as denúncias.

“Essas notícias surpreenderam a todos. Espero que toda essa questão possa ser esclarecida o mais rapidamente possível em benefício da boa prática política”, afirmou Aécio, sem citar o governador José Roberto Arruda (DEM), principal implicado no escândalo.

Pré-candidato tucano à Presidência da República em 2010, o governador mineiro manteve nos últimos meses intensa interlocução com Arruda, que demonstrava alinhamento com a ala do DEM que passou a manifestar preferência por Aécio na disputa com o governador de São Paulo, José Serra.

O governador de Minas passou a segunda-feira em despachos internos no Palácio das Mangabeiras. No início da noite ele recebeu representantes do Encontro Estadual de Lideranças “Mulheres Debatem o Brasil”, realizado na capital mineira e promovido pelo PSDB Mulher, Mulher Democratas e Núcleo de Mulheres-PPS. Após o encontro, Aécio não atendeu a imprensa.

agencia estado
Rizzolo: Bem resta a eles apenas a indignação. O grande problema é que a oposição já vinha se desgastando em função da falta de discurso, agora então a situações piora. Apenas a indignação e as propostas de rigor na apuração dos fatos sobraram no âmbito de uma oposição debilitada. Realmente choca o nível de corrupção que assolou este país.