Apesar de aprovação recorde, Lula não transfere votos a Dilma

SÃO PAULO – A aprovação ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva disparou quase dez pontos, segundo a pesquisa CNT/Sensus, divulgada nesta segunda-feira, 22. Lula passou de 69,3% para 77,7%, e voltou ao patamar do primeiro ano de governo, em 2003. A avaliação do governo também subiu de 57,5% para 68,8%. Esse é o melhor resultado da série histórica da Sensus, iniciada em julho de 1998. Mesmo batendo recordes de popularidade, Lula não consegue transferir votos para a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, a favorita para sucedê-lo, nem para outros candidatos do PT, que aparecem em último lugar em simulações na disputa de 2010, revela levantamento.

Em todas as simulações para as eleições presidenciais em 2010, os candidatos do PT estão em último lugar. Na primeira simulação, na disputa com o governador de São Paulo, o tucano José Serra, Dilma Rousseff teria 8,4% dos votos, contra 38,1% de Serra. O deputado Ciro Gomes (PSB-CE) ficaria em segundo lugar, com 17,4% e Heloísa Helena, presidente do PSOL, com 9,9%. Embora em último lugar, Dilma mostrou uma ligeira melhora em relação à pesquisa de abril, quando ficou com 6,2% dos votos na disputa com esses três candidatos.

Numa segunda simulação, na qual Serra é substituído pelo governador de Minas Gerais, Aécio Neves, do PSDB, Ciro Gomes lideraria o primeiro turno, com 24,9%, seguido por Aécio, com 18,2%. Heloisa Helena teria 13,4% e Dilma, 8,6%.

Num outro cenário, no qual o candidato do PT seria a ex-prefeita de São Paulo Marta Suplicy, José Serra lideraria com 37,9%, Ciro Gomes viria em segundo lugar, com 18,9% e Marta ficaria com 5,9%. Numa quarta simulação, o candidato do PT seria o ministro de Desenvolvimento Social, Patrus Ananias, que ficaria com 2,7% dos votos. Nesse cenário, Serra teria 38,5%, Ciro Gomes, 19,6% e Heloisa Helena, 10,6%.

Segundo turno

A CNT/Sensus mostra que nas simulações para o segundo turno das eleições presidenciais em 2010 os candidatos tucanos sairiam vitoriosos. Em um cenário em que a disputa seria entre José Serra (PSDB) e Dilma Rousseff (PT), Serra venceria com 51,4% dos votos, enquanto Dilma teria 15,7%. Embora continue muito atrás, Dilma apresentou uma melhora em relação à pesquisa de abril, quando Serra teria 53,2% dos votos e ela, 13,6% dos votos.

Numa segunda simulação, em que a disputa seria por Aécio Nevers (PSDB), Dilma ficaria com 18,4% dos votos e o candidato tucano venceria com 34%. Num terceiro cenário, no qual disputariam José Serra e Patrus Ananias (PT), o tucano venceria com 55,1% dos votos e o candidato do PT teria 7,7%. Num último cenário, no qual Serra disputaria com Ciro Gomes (PSB), Serra venceria com 47,1% dos votos e Ciro Gomes ficaria com 22,5% dos votos. A pesquisa CNT/Sensus foi realizada de 15 a 19 de setembro e ouviu duas mil pessoas em 24 Estados. A margem de erro é de 3 pontos, para baixo ou para cima.

O diretor da Sensus, Ricardo Guedes, avaliou que ainda não há transferência de votos do presidente Lula para os candidatos do PT, mas lembrou que a ministra Dilma Rousseff, tem subido paulatinamente nas pesquisas e que, por não serem nomes que estão no cenário político, os candidatos do PT ainda têm chances de crescer com o início da campanha eleitoral. “São nomes mais recentes, que precisam ser feitos”, disse Guedes.

Segundo ele, nomes que deixaram de participar do cenário político, como os ex-ministros José Dirceu e Antonio Palocci, por serem mais conhecidos da população, teriam mais chances de melhor colocação nesse momento nas pesquisas. Guedes lembrou que, em Minas Gerais, o candidato a prefeito de Belo Horizonte Marcio Lacerda, apoiado por Aécio Neves, do PSDB e por Fernando Pimentel, do PT, começou a campanha com 3% dos votos e deve chegar ao segundo turno.

Qualidade de vida e Lula

A avaliação regular do governo caiu de 29,6% para 23,2%, enquanto que a avaliação negativa teve uma redução de 11,3% para 6,8%. A desaprovação do presidente Lula caiu de 26,1% em abril para 16,6% em setembro.

A pesquisa revela ainda que 61,5% dos entrevistados acham que a qualidade de vida melhorou nos últimos quatro anos, enquanto que 11,6% consideram que houve uma piora, e 25,8% acham que está igual. Segundo o diretor da Sensus, Ricardo Guedes, a avaliação sobre a qualidade de vida é um bom referencial sobre a possibilidade de o presidente Lula fazer seu sucessor. Segundo ele, esse indicador é utilizado nas eleições dos EUA e mostra que candidatos com índice acima de 50% tendem a fazer seu sucessor.
Agência Estado

Rizzolo: A pesquisa demonstra, o quase todo mundo já desconfiava. Os votos de Lula são de cunho personalíssimo, ademais o presidente já há tempos se desvinculou do PT, dos partidos, dos amigos, sendo então figura única popular e incapaz de transferir votos. O que o povo demonstra com isso ? Demonstra que a população quer é Lula, pode lá talvez a pedido dele transferir alguns votos, mas a massa quer Lula. É o mesmo que um grande cantor de música sertaneja pedir para que a população goste de outro cantor amigo dele. Não vão gostar, ainda mais se for de saia e se chamar Roussef.

Nada contra a ministra Dilma, mas venhamos, falta muito, viu. Alem disso, o passado não ajuda. Dilma não teve um passado de política e sim de agitadora, por mais que ela queira demonstrar ” ternura” é de caráter marrudo, e o povo não gosta disso. E mais, tem mais chance a Marta em ser popular do que Dilma. Já disse isso em várias ocasiões, e acreditem é uma opinião pessoal, imparcial, de bom senso. Entre o PT do bem e PT do mal sempre fico com os primeiros, com todo o respeito a ministra Dilma Roussef. Olha, sinceramente para mim acho uma boa notícia, nada de transferência; não adianta; o povo quer o cantor principal. Canta Lula, canta….

Obs: Leitores agora temos domínio próprio: http://www.blogdorizzolo.com.br