França diz que encontrou área onde estariam caixas-pretas do voo 447

O governo da França anunciou às agências internacionais de notícias nesta quinta-feira (6) que o submarino nuclear “Nemrod”, da Marinha Francesa, conseguiu localizar a região marítima onde podem estar as caixas-pretas do Airbus A330 da Air France que caiu no Oceano Atlântico no dia 31 de maio de 2009, matando os 228 ocupantes do voo 447, que partiu do Rio de Janeiro com destino a Paris.

Embora prudente nas informações, o porta-voz do Executivo, Luc Chatel, disse, em entrevista à emissora de rádio “France Info”, que se trata do mapeamento de uma “região de cerca de 5 km de raio onde possivelmente o equipamento está”.

Segundo o porta-voz, a localização da área onde é mais provável se encontrar o equipamento “não significa que os aparelhos serão recuperados”. De acordo com Luc Chatel, a profundidade de mais de 3 mil metros naquela zona marítima e o relevo da região podem não permitir o trabalho de resgate das caixas-pretas.

Sinais sonoros

O porta-voz adjunto do Ministério de Defesa, Christian Baptiste, informou que o submarino nuclear captou sinais que, depois de analisados pelo fabricante, correspondem aos emitidos pelas caixas-pretas da aeronave que caiu a cerca de 1.300 km do Recife.

As causas do acidente ainda não foram totalmente esclarecidas, e, por isso, o resgate das caixas-pretas é tão importante mesmo após quase um ano da tragédia.

A Marinha Francesa informou também que um submarino- robô, equipado com câmeras, teria feito imagens da área e definido o perímetro para o trabalho de localização e recuperação do equipamento.

globo
Rizzolo: Bem, na realidade descobriram a área onde possivelmente estariam as caixas -pretas. Vamos agora aguardar se no próximo passo realmente consigam obte-las para que possamos elucidar essa tragédia.

A Alma e a Lógica

Talvez uma das maiores implicações no desenvolvimento da descrença, do materialismo e do ateísmo, seja o fato de que a nossa condição humana está condicionada a processar as situações da vida do ponto de vista lógico. Toda a nossa estrutura cerebral foi constituída no racionalismo, inserida na lógica, entre relações de causa e efeito. Portanto, não seria estranho termos certa dificuldade ao nos depararmos com uma lógica diversa da nossa, inconcebível dentro de uma estrutura materialista.

Por consequência, fatores que ocorrem nas nossas vidas por influência espiritual – conceitualmente de origem divina -passam a serem pouco compreendidos, uma vez que, o racionalismo humano não possui instrumentos, tampouco, está preparado para a compreensão de uma inversão estrutural do previsível, do justo e do humano, no contexto das tragédias na vida.

Com efeito, ao nos perguntarmos porque coisas ruins ocorrem a pessoas boas – sob o prisma da lógica humana – teremos duas vertentes dentro deste mesmo raciocínio: a primeira, seria o inconformismo, que levaria à descrença na bondade divina epor efeito, ao enfraquecimento da fé, seguido por um desespero, e muitas vezes, adotando-se como resposta, os profetas do ateísmo.

Com efeito, ao nos perguntarmos porque coisas ruins ocorrem a pessoas boas – sob o prisma da lógica humana – teremos duas vertentes dentro deste mesmo raciocínio: a primeira, seria o inconformismo, que levaria à descrença na bondade divina e por consequência, à segunda, um enfraquecimento da fé, seguido por um desespero, e muitas vezes, adotando-se como resposta, os profetas do ateísmo.

A Alma e a Lógica são elementos diversos. Uma, é oriunda da espiritualidade; vive, responde e reage aos impulsos da fé, da captação de energia cósmica, do modo de vida na relação com os demais seres vivos, naquilo que nos alimentamos, das orações, da religiosidade seja ela qual for. Outra, é fruto da experiência terrena, das relações neurocerebrais, do aprendizado, do sentido de justiça material e, portanto, inerente às condições espirituais e às suas especificidades e características místicas.

Certos atos na Bíblia – como na morte de uma vaca vermelha, cujas cinzas foram capazes de purificar o povo judeu – jamais serão certificados pela lógica. Mas, exatamente quando prescindimos da lógica humana e intelectual, nos entregando à lógica da Alma e a um entendimento que poderíamos chamar de divino se dá o salto em direção aos milagres e às transformações, que são imensos na vida de um ser humano.

Colocar Tefilin pela manhã é um ato que pouca lógica humana descreve, porém ao utilizarmos algo material como couro – determinado e previsto na Torá – implementamos uma relação entre a matéria e o espiritual, nos anulando em questionamentos racionais e, simplesmente, nos lançando em direção à lógica divina, preconizada na Bíblia, fazendo com que a conexão entre o mundo material e o espiritual se realize como um link.

A morte de ente querido, uma tragédia ou uma perda, jamais poderão ser explicadas racionalmente, sob pena de nos desviarmos da fé. Aceitar os desígnios de Deus e compreender a incapacidade de nosso sistema racional de processarmos as razões dos fatos divinos, é por si só, uma forma de compreender o incompreensível, de respeitar a evolução e a dinâmica espiritual às quais estamos predispostos a vivenciar e, com certeza, de professar a mais profunda comunhão entre a nossa simples alma humana e a grandeza daquele que é Eterno e sabe o que faz, sendo essa, talvez, a maior forma de oração.

Fernando Rizzolo