Senador Christopher Dodd: “Até três milhões de americanos podem perder suas moradias”

Os processos de execução [perda para o credor ] de imóveis hipotecados duplicaram no mês de julho nos EUA, chegando a 179.599 casos, apresentando um aumento de 9 % em comparação com junho último e 93% se comparado com julho de 2006.

O senador e presidente do Comitê Bancário do senado norte-americano, Christopher Dodd, afirmou na terça-feira, 21, que “entre um e três milhões de pessoas podem perder suas moradias nos Estados Unidos”.

“Por causa de certos tipos de créditos concedidos entre 2004 e 2006, a variação das taxas de juros pode elevar as prestações de 400 dólares a mais de 1.500 dólares, para os que contraíram os típicos empréstimos a risco, que ofereciam baixas taxas de juros no início”, afirmou o senador democrata.

DESPEJOS EM ALTA

“Estamos no nível mais alto de despejos em 37 anos, e no nível mais baixo em 10 anos na construção civil, pelo que solicito ao governo que, sem demora, faça o necessário para que as pessoas possam manter suas casas”, destacou Dodd.

Segundo o site Re-altyTrac, nos sete primeiros meses de 2007, foram iniciados mais de 1,1 milhão de processos nos EUA, o que representa um aumento de 60%.

O ritmo da devolução de imóveis nos Estados Unidos aumentou também em relação ao primeiro semestre, quando o percentual era de uma em cada 134 casas, com um total de 925.986 procedimentos (referentes a 573.397 casas, um aumento de 55% em um ano).

O presidente do RealtyTrac, James Saccac
Hora do Povo

Rizzolo: Alem do prejuízo moral que a população pobre americana sofre com os irresponsáveis especuladores que davam e ofereciam de forma irresponsável crédito á vontade pra “girara dinheiro” depois tiveram que correr e “tampar o rombo” para isso acreditam no “Estado Máximo”. No caso, nem os magnatas de Wall Street e de outras praças, nem a mídia ou os “teóricos” neoliberais, consideraram tamanha montanha de dólares, euros e iens uma negação do seu “Estado mínimo”.

Agora, clamam, a hora é de “estado máximo”, de acordo com o conhecido lema, muito devidamente apropriados privada-mente os lucros, ao aparecerem os prejuízos, “socialismo” neles. Wall Street anda pululando de socialistas, nos últimos dias… Como se vê, o estado só deve ser “mínimo” quando se trata de cuidar da saúde do povo, garantir educação, saneamento básico, infra-estrutura e desenvolver as áreas estratégicas da economia. Aí, haja rigor fiscal, cortes dos “gastos” e tesoura nos programas sociais que é pra gentalha não ficar mal acostumada ““.

É lógico que essa operação que não passa de uma pirâmide é uma forma de amarrar o pobre trabalhador operário americano a uma dívida que ele não teria condições de pagar. Muitos desses devedores são latinos explorados até o último fio de cabelo. Agora, aqui isso vai ter um “ganho secundário”, o Meirelles deve estar eufórico, tem motivos de sobra para a manutenção do cassino Brasil, com a desculpa da crise dos mutuários americanos.

O próprio fato da inadimplência dos pobres americanos que não possuem casa própria, já é uma prova cabal, que até no império o neoliberalismo está se autodestruindo, já está em decomposição, e isso, é claro, é bom para os democratas como Hillary que já aproveita e sublinha um discurso menos republicano egoísta, tentando resolver o problema mutuário americano.

Observe que as camadas mais pobres tanto lá como aqui são as que mais se sacrificam para manter a doutrina do “Consenso de Washington” agora consolar o pobre assalariado americano que geralmente é negro ou latino de que “entre um e três milhões de pessoas podem perder suas moradias nos Estados Unidos”, não vai ser fácil.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: